Publicidade
Entretenimento
Vida

Poeta amazonense Thiago de Mello representa o País em antologia universal

O poeta representará o Brasil em coletânea que reúne obras de 100 escritores mundiais. O convite para integrar a obra veio junto com um título de honra e foi anunciado pelo presidente da Casa, o professor Dr. e poeta Ion Deaconescu 19/10/2014 às 10:24
Show 1
Poeta é Membro de Honra da Academia da Romênia
lucy rodrigues ---

Aos 88 anos, com textos traduzidos para mais de 30 idiomas, o poeta amazonense Thiago de Mello tem seu nome consagrado na poesia universal. Mais uma prova desse reconhecimento é a escolha para representar o Brasil na Antologia Mundial da Poesia Atual, coletânea de mais de 600 páginas recém lançada pela Academia de Letras Internacional da Romênia “Mihai Eminescu”.

O convite para integrar a obra veio junto com um título de honra e foi anunciado pelo presidente da Casa, o professor Dr. e poeta Ion Deaconescu. “Como presidente da Academia tenho a honra de anunciar que o grande poeta Thiago de Mello receberá o título de Membro de Honra de nossa academia e estará presente em ‘L’Anthologie de La Poesie Universelle actuelle’, um volume extremamente seleto que será publicado durante a segunda edição do Festival Mundial da Poesia ‘Mihai Eminescu’. O evento acontece de 16 a 19 de setembro”, informou em email à editora Global, responsável pela publicação das obras do poeta no Brasil.

O diretor-presidente da editora Luiz Alves Júnior parabenizou a Academia pela escolha do nome de Thiago, assim como a eleição de seu trabalho literário para integrar a antologia. “O poeta merece a mais alta admiração e tributo”, respondeu.

A coletânea reúne obras de 100 poetas ao redor do mundo e, entre eles, estão 15 poemas da vasta e encantadora produção do autor de “Os Estatutos do Homem”. “Eu não estou certo de que seja eu o escolhido, diante uma geração de tantos poetas brasileiros maravilhosos”, afirmou generosamente Thiago de Mello, agradecido pelo reconhecimento.

Entre os versos do poeta da floresta que integram a coletânea universal estão, obviamente, “Os Estatutos do Homem” (Les statuts de l'Homme ), que este ano completa 50 anos; “Os Barcos” (Les Bateaux); “A vida verdadeira” (La Vraie Vie); “Cantiga quase de Roda” (Ronde presque Enfantine) e “Aprendizagem amarga” (Apprentissage Amer).

Apesar de não ter podido ir ao evento, por conta da longa viagem de avião, Thiago agradeceu a homenagem com o que faz de melhor, cantando a beleza: “Na palma da minha mão/ planto uma árvore cheia de pássaros. O voo do pássaro cruzando minha alma/ só tu poderias enxergar”.

Candidatura à Academia Brasileira de Letras

No ano em que recebe homenagens nacionais e internacionais pelo cinquentenário de “Os Estatutos do Homem” e pelo mérito de sua obra, o poeta amazonense Thiago de Mello, cedendo aos apelos de admiradores e amigos, canditou-se a uma vaga na Academia Brasileira de Letras (ABL) e encaminhou sua inscrição àquela Casa para concorrer à cadeira 21, antes ocupada por Ariano Suassuna.

Duas cadeiras da ABL estão abertas: a dos escritores João Ubaldo Ribeiro e Ariano Suassuna. A eleição para a vaga de João Ubaldo será no dia 23 de outubro. Uma semana depois, no dia 30, será feita a votação para a cadeira de Suassuna. Entretanto, antes mesmo das votações, os acadêmicos ouvidos por reportagens da imprensa nacional dão como certo que as vagas serão ocupadas pelo historiador Evaldo Cabral de Mello, 78, e pelo jornalista e escritor Zuenir Ventura, 83, respectivamente.

“Me candidatei sim, mas nunca iria ficar pedindo votos para ninguém. O meu voto é o meu mérito literário. A academia tem que considerar os méritos literários de quem pretende um lugar na Casa de Machado de Assis”, afirmou o poeta.

Em crônica publicada no A CRÍTICA, o advogado, escritor e membro da Academia Amazonense de Letras Júlio Antonio Lopes comentou a candidatura de Thiago de Mello como motivo de orgulho para a cultura nacional. “A simples candidatura de Thiago de Mello já é uma honra para os amazonenses e motivo de orgulho para a nossa cultura. A glória, por sua vida de luz, Thiago já tem. Caso vença, será ela compartilhada por todos nós. Não podemos e nem devemos nos omitir, portanto! Se 40 votos eu tivesse, 40 votos eu daria para vê-lo – e ver-me como amazonense – ingressar na ABL (...) Ele não precisa, portanto, da láurea acadêmica para ser o que é: um dos grandes vultos da literatura nacional e, certamente, o maior poeta brasileiro ainda vivo. A ABL ao escolhê-lo, de tal sorte, estaria não apenas praticando um ato de justiça, mas também e principalmente engrandecendo a si mesma com tão notável membro”.

Vaga ocupada

Na última quinta-feira, 9 de outubro, a ABL elegeu o poeta maranhense Ferreira Gullar como o novo ocupante da cadeira 37, vaga que era do poeta Ivan Junqueira, morto em 3 de julho por falência múltipla dos órgãos. O maranhense recebeu 36 dos 37 votos possíveis- o que não foi para ele ficou em branco.

Novo livro a caminho

No momento, o poeta está em Barreirinha, sua terra natal, onde pretende ficar pelos próximos três meses para finalizar o que intitula como seu último livro de poemas inéditos. “Acerto de Contas” e que até o final do ano deverá ser lançado pela editora Global.

“Pretendo ainda lançar mais um livro de histórias ‘Eu e os outros comigo’, onde vou contar coisas que se eu não contar ninguém irá. Nele falo de pessoas e histórias da minha infância, a começar pela minha mãe Dona Maria, da minha professora do curso primário Dona Aurélia , meus companheiros de escola, gente de muitos cantos do mundo, homens e mulheres que iluminaram a minha vida”, adiantou.

Publicidade
Publicidade