Publicidade
Entretenimento
Vida

'Pre-pa-ra': Mulheres tomam conta do funk brasileiro

Com o estouro de “Show das Poderosas”, Anitta se torna o novo fenômeno nacional. Outras belas também roubam a cena nos palcos e redes sociais 17/06/2013 às 11:17
Show 1
Karol K, Valesca Popozuda e Anitta são as belas mais ousadas do momento no funk brasileiro
Gabriel Machado ---

Cria do YouTube, a carioca Larissa de Macedo Machado vem fazendo um verdadeiro estardalhaço no cenário musical do Brasil. Sob o pseudônimo de Anitta, inspirado na minissérie de Manoel Carlos “Presença de Anita”, o rosto, e rebolado, por trás do fenômeno “Show das Poderosas” cravou sua marca em um gênero que, durante anos, esteve ligado a vozes masculinas: o funk.

Com um estilo diferente, que foge ao gênero tradicional e propõe uma mistura entre ritmos como pop e R&B, no melhor jeitão Beyoncé, a cantora de apenas 20 anos já abocanhou, em poucos meses, música em novela das 20h, topo do iTunes e lugar cativo nas principais atrações da TV brasileira. É só ligar em qualquer canal que, eventualmente, você vai se esbarrar com alguma entrevista, apresentação ou notícia envolvendo o nome da funkeira.

“Ela tem uma espontaneidade que lhe dá credibilidade. Não é uma criação de gravadora, é uma artista natural, com conceitos próprios e bem trabalhados”, comentou o editor da revista Rolling Stone Pablo Miyazawa, em entrevista recente ao portal Zero Hora.

Não à toa que no lançamento da sua primeira turnê, na semana retrasada, no Rio de Janeiro, Anitta se deparou com a venda dos ingressos esgotada e teve o privilégio de dividir o palco com nomes como Preta Gil e Thiago Martins. O feito se torna ainda mais impressionante se levarmos em conta que a cantora possui apenas quatro músicas próprias - o resto de seu show, com 1h40 de duração, é compensado com covers de outros sucessos do gênero e hits internacionais.

NOVA FASE

Uma das pioneiras dessa fase feminina no funk e líder da Gaiola das Popozudas, Valesca Popozuda diz que o início de carreira, em um gênero tão “masculinizado”, foi bastante complicado. “Sofri preconceito por todos os lados, mas tive muito apoio também e nunca abaixei a cabeça: enfrentei tudo de frente e, quando subia ao palco, mostrava que tinha vindo para ficar”, revelou a cantora ao A CRÍTICA.

Prestes a iniciar uma nova etapa na carreira (em setembro deste ano, Valesca deixará a Gaiola), a funkeira confessa nervosismo, mas revela já ter engatilhadas diversas novidades. “Estou começando a absorver isso. É uma experiência nova e sempre dá aquele frio na barriga, porém, coloquei na minha cabeça que é um novo recomeço. Meus novos projetos são surpresa, mas posso revelar que incluem um DVD, músicas inéditas e documentário sobre minha vida”, completou.

AO VIVO

No show que fez em Manaus no início do ano, ao lado da banda Oz Bambaz, Valesca divulgou que teria vontade de gravar um álbum ao vivo na cidade. Mesmo sem data ou local definidos, segundo a cantora, a ideia deverá sair do papel. “Meus empresário e produtor musical estão fazendo reuniões para colocar isso em prática, espero ter notícias em breve. Me apresentar em Manaus foi uma experiência ótima, única e que espero ter novamente”, concluiu.

Fique de olho nela

Ex-The Voice, a cantora Karol K é a nova aposta do funk brasileiro. Com o seu primeiro single de trabalho, “Pedra Preciosa”, e show prontos para serem lançados, a artista promete dar uma nova cara ao gênero.

“É um funk jovem e atual. Tem uma pegada leve de ‘diva pop’, porém, com um estilo Karol de ser (risos). O Brasil pode esperar muito agito, estou vindo com gás e tenho certeza que todos irão conhecer um novo estilo de funk”, adiantou a cantora, que diz não ter se inspirado em nenhuma outra artista para compor a sua identidade “funkeira”. “Busquei trazer as minhas experiências musicais para o mundo do funk”, finalizou.

Publicidade
Publicidade