Publicidade
Entretenimento
Vida

Primeira Classe: doutora Montaha fala sobre carreira e cultura de origem

Dando continuidade a nova sessão do A CRÍTICA, a libanesa e dermatologista Montaha Jasserand conta um pouco da sua trajetória, compartilhando costumes e preferências 16/05/2015 às 09:48
Show 1
Primeira Classe: Dra. Montaha
Laynna Feitoza Manaus (AM)

As belezas do Mediterrâneo e o mistério da Amazônia certamente resultam em uma mistura singular capaz de expressar a dermatologista Montaha Jasserand. A médica, hoje membro da Academia Brasileira e Americana de Dermatologia, iniciou os estudos na Escola Francesa, localizada no Líbano, seu país de origem. Lá, ela também começou o curso de Medicina e estudou durante três anos na Universidade Americana de Beirute, mas concluiu o curso no Rio de Janeiro, ao vir para o Brasil. Hoje, em Manaus, comanda a Clínica que leva seu nome, preocupada em oferecer as maiores novidades no setor de dermatologia. E é nesse universo que o 1ª CLASSE de hoje vai mergulhar.

Em que momento da sua vida escolheu fazer medicina?

Já na adolescência eu ajudava o meu tio veterinário a cuidar dos animais na fazenda da família. Naquele momento vi que queria trabalhar com saúde, mas ajudando as pessoas, salvando suas vidas e dando mais qualidade de vida a elas. Nunca duvidei da minha aptidão e vocação.

Como foi sua vinda para Manaus?

Vim para o Brasil estudar medicina no Rio de Janeiro, onde me formei. Depois de formada abri minha primeira clínica em São Paulo. Depois meu marido – o empresário Jean Paul – foi convidado para atuar no Distrito Industrial. Vim de coração aberto, pois acredito que a família precisa estar sempre em primeiro lugar.

Como é a estrutura de sua clínica?

A nossa clínica é completa, com spa, salas de tratamentos e, o mais importante, temos tecnologia de ponta para nossas pacientes como o Cool Sculpting, a última palavra em redução de gordura localizada.

Qual o maior desafio de administrá-la?

Conto com uma equipe qualificada e afinada e amo o que faço, isso facilita tudo.

É possível unir a culinária amazônica com a libanesa?

É perfeitamente possível. Me considero uma pessoa com o paladar apurado, por conta dos temperos árabes e mediterrâneos que fui acostumada. Ao mesmo tempo me apaixonei perdidamente pelos peixes amazônicos, que já fazem parte da minha dieta.

Você equilibra o estilo de vestir com o clima daqui e o do Líbano?

Manaus tem um clima muito diferente do Líbano e preciso adaptar meu guarda-roupa a essa realidade. Ainda assim as minhas principais características vêm dos costumes libaneses, já que não consigo deixar as minhas raízes de lado. Isso pode ser percebido no meu cabelo, nos meus acessórios e no estilo de roupa que uso diariamente.

Você acredita em milagres divinos? Se sim, qual o seu?

Acredito muito. Acordar diariamente e ser abençoada com a vida é o maior milagre que eu posso presenciar diariamente. Ter saúde e ter conquistado a minha família é o maior milagre da minha vida.

Quais critérios usa para decidir as férias em família?

São decididas sempre em conjunto. Viajamos juntos duas vezes por ano, quando as crianças estão de férias. Sempre levamos em consideração as vontades de cada um, mas colocamos a diversão sempre em primeiro lugar. E curto praia nas férias em família, em minhas viagens pelo mundo.

Existe um lugar do mundo que ainda não conhece e gostaria?

O que eu gosto mesmo é de conhecer lugares novos. Já conheço mais de 50 países e no meu aniversário sempre busco conhecer novas culturas, paisagens e pessoas. Não existe um específico que ainda não tenha ido, mas tenho muitos planos de conhecer o mundo.

Quais suas marcas de maquiagem preferidas?

Adoro e uso Dior e Chanel.


BATE-BOLA

Gestos diários

A médica não é fã de expor o que presta e dedica às pessoas no cotidiano. “Acredito fortemente que não precisamos mostrar os atos de bondade que fazemos. Um dos ditados que mais carrego no meu dia a dia é ‘fazer o bem sem olhar a quem’. Procuro praticar o bem diariamente, mas sem precisar expor isso”, coloca.

Segredos de beleza

“Pode parecer clichê, mas é a mais pura verdade: o meu maior segredo de beleza é buscar a felicidade plena e realização pessoal. Busco estar sempre alegre, cercadas por pessoas que amo e fazendo o que gosto. Mesmo assim, não deixo de buscar uma ajuda da tecnologia e jamais abro mão do filtro solar”, comenta.

Estilistas e marcas

Para Montaha, o estilo pessoal independe de marcas e deve estar alinhado ao conforto. “Elas apenas complementam o seu bom gosto e sua sofisticação”, diz. O que não a impede de listar os seus nomes preferidos no ramo. “Chanel e Versace seriam duas marcas que citaria por seu conceito e luxo requintado e que uso para me sentir confortável. E agora para complementar meu look no dia a dia do meu consultório uso Gigi for Doctors (Gigi Cunha), uma estilista da nossa terra que chegou com um conceito único e diferencial para os profissionais da saúde de nossa capital”, comenta.

Amuleto de sorte

Enquanto muitas pessoas levam na carteira objetos como trevos de quatro-folhas e pés-de-coelho, a médica apóia suas crenças com força maior em sua fé divina. “Meu principal amuleto da sorte é a Bíblia, onde faço meus estudos e busco renovar as minhas energias. A Bíblia me serve como um verdadeiro escudo”, dialoga.

Sempre na bolsa

A dermatologista é adepta das tecnologias, principalmente por achar que as mesmas a aproximam de seu núcleo familiar. Aliás, dois itens dos quais ela julga indispensáveis na bolsa estão ancorandos à comunicação. “O celular, pois não consigo ficar sem notícias da minha família. Também canetas e o filtro solar”.

Lazer

Montaha sempre aproveita as belezas naturais dos dois lugares que fazem parte de suas origens. “Em Manaus eu passo os finais de semana aproveitando as belezas do Rio Negro e no Líbano eu aproveito as belezas do Mediterrâneo, as montanhas e os locais históricos”, destaca.

Publicidade
Publicidade