Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
SÉTIMA ARTE

Produtora amazonense vai premiar melhores críticas sobre cinema brasileiro

Prêmio José Gaspar de Crítica Cinematográfica está com inscrições abertas até o dia 31 de março de 2017



b0315-10f.JPG Nome da premiação é uma homenagem ao crítico José Gaspar
15/12/2016 às 10:52

A partir de hoje, estão abertas as inscrições para a primeira edição do Prêmio José Gaspar de Crítica Cinematográfica, que vai contemplar análises textuais inéditas sobre filmes brasileiros em cinco categorias. As inscrições seguem até o dia 31 de março de 2017 e podem ser feitas pela página http://premiojosegaspar.blogspot.com mediante o pagamento de uma taxa de R$ 60.

A iniciativa é da produtora audiovisual amazonense Maya Filmes e vem para valorizar e incentivar a produção crítica profissional no País. “Hoje, principalmente nas universidades, vemos muito conteúdo crítico sobre cinema sendo produzido, mas nem sempre com uma boa entrada. Ao mesmo tempo, a gente propõe um novo olhar sobre o cinema brasileiro que, apesar das suas dificuldades, precisa ser fomentado por todos os lados”, comenta Izis Negreiros, que idealizou o prêmio ao lado de Michelle Marques.

Ela acrescenta que o edital estará aberto à participação de estudantes, críticos, roteiristas e pesquisadores de todo o País. Os prêmios em dinheiro variam de R$ 1 mil a R$ 1.200 e serão entregues em maio de 2017, após ponderação de uma comissão julgadora formada por profissionais de várias áreas ligadas ao cinema e à linguagem. 

“Fizemos uma avaliação ampla no sentido de definir quais categorias iríamos contemplar na premiação. Uma delas é voltada exclusivamente a críticas de filmes dirigidos por mulheres, seja documentário ou ficção”, acrescenta Izis.

Outras categorias do Prêmio José Gaspar contemplam filmes de longa-metragem de ficção e documentário. Também merece destaque o prêmio destinado à crítica de filme produzido no Amazonas (ficção, animação ou documentário). Segundo as regras, críticos de qualquer naturalidade podem se inscrever nessa categoria, desde que o filme analisado tenha o mínimo de 90% de profissionais amazonenses em sua equipe.

A última categoria é temática e vai selecionar o melhor texto sobre “o profissional do cinema no século 21”. Nesse caso, a premiação será em livros sobre a Sétima Arte.

Contribuição ao cinema

O nome do prêmio é uma homenagem ao jornalista e crítico amazonense José Gaspar, de 79 anos, que morou durante anos em Portugal e voltou a fixar residência em Manaus nos anos 1960, década de efervescência do cineclubismo e da produção cinematográfica na cidade.

Aqui, ele ajudou a criar o famoso Grupo de Estudos Cinematográficos (GEC), além de ter fundado os cineclubes Humberto Mauro e Silvino Santos. Gaspar também foi colaborador do Suplemento Literário Madrugada e passou pela redação de A CRÍTICA, que publicava a coluna semanal “Cinéfilo”, assinada pelo crítico. Mais tarde, “Cinéfilo” batizou uma revista editada por Gaspar nos últimos anos da década de 60.

"É bom sermos recordados por um trabalho realizado na juventude. O prêmio tende a ser um grande estímulo para as novas gerações, porque não é somente simbólico", disse ele, a respeito da homenagem.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.