Publicidade
Entretenimento
Vida

Programação para o mês das crianças segue firme e forte neste fim de semana em Manaus

As produções “O Espetacular Pinocchio” e “A Bela Adormecida” recheiam a vasta programação destinada ao mês da criançada 17/10/2013 às 09:20
Show 1
Contos, familiares aos ouvidos de crianças e adultos, ganharão forma por meio do teatro e da dança
Laynna feitoza ---

Dois contos, familiares aos ouvidos de crianças e adultos, ganharão forma por meio do teatro e da dança, em duas montagens que serão apresentadas neste sábado e domingo em Manaus: “O Espetacular Pinocchio”, da produtora teatral recifense RS Produções Artísticas, irá acontecer nos dias 19 (às 18h) e 20 (às 17h), no Teatro Direcional, localizado no Manauara Shopping; e o balé “A Bela Adormecida”, assinado pela escola de dança amazonense Studio Arte 21 ocorrerá no dia 20, às 17h, no Teatro Nippaku, situado na Rua Teresina, 95, bairro Adrianópolis. As produções recheiam a vasta programação destinada ao mês da criançada.

Segundo o ator e diretor do espetáculo “O Espetacular Pinocchio”, Hugo Raffael, a produtora se baseou na história original do menino de madeira - escrita pelo italiano Carlo Collodi - para a criação e concepção da obra. Porém, técnicas mais modernas foram utilizadas para dar subsídio ao desenrolar da história tradicional no palco.

“Queríamos passar a história de um modo mais atual para as crianças, sempre com o cuidado de preservar o conto original. Utilizamos a técnica do teatro negro, por exemplo, para realizar os efeitos do fundo do mar, onde será projetada uma luz negra com um efeito neon, na tradicional cena em que a baleia engole o Pinocchio”, conta Raffael.

A trupe recifense, que está pela quarta vez em Manaus, se dedica integralmente à criação de espetáculos infanto-juvenis. Para a capital do Amazonas a produtora já trouxe releituras de desenhos como “Backyardigans”, “Barney e Os Seus Amigos”, e “Tigrão e Pooh”. O espetáculo sobre Pinocchio será apresentado pela primeira vez na cidade, tem 1 hora de duração e já circulou por cidades como Aracaju, Natal, Maceió e Recife.

O elenco é composto por Hugo Raffael (João Honesto), Ernandes Santos (Julião), Allison Uchoa (Pinocchio), Rodrigo Mota (Grilo Falante) e Raquel Simpson (Fada azul). Na trama, cinco cenários contarão a fábula e revisitarão locais-chave da história, desde a casa de Geppetto, a floresta, o fundo do mar e o sótão, onde o boneco fica preso, conforme Hugo. “O cenário trabalha basicamente uma releitura dos desenhos do próprio filme. Passamos para o teatro o que as pessoas encontraram nestas produções antigas sobre o conto”, adianta.

“A ideia original de montarmos Pinocchio corresponde ao resgate de todas as virtudes e as fraquezas humanas, como a coragem e a mentira, presentes na trama. Procuramos passar de maneira clara para as crianças de atualmente alguns aspectos do conto que foram vividos pelos pais e que já foram, de certo modo, esquecidos pelo público”, aponta.

No decorrer da peça, todas as principais ações do boneco, como a fuga para o circo, onde ele será colocado à prova, as falhas com as mentiras e as peripécias, e o ato de coragem final com o perdão da fada azul até a transformação para um menino de verdade serão rememoradas no espetáculo, que utilizará as mesmas canções do filme. Apenas a canção principal foi composta especialmente para a peça, chamada “Rock do Pinocchio”. Sobre o público manauara, eles afirmam: “Fomos muito bem aceitos. Principalmente com o espetáculo ‘Backyardigans’”, conclui.

Relembre

Pinocchio começa com a construção de um “menino” de madeira que sonha em virar um menino de verdade. “A Bela Adormecida” conta a história de uma princesa que, por conta de um feitiço lançado por uma fada do mal, adormece por cem anos. O sono é quebrado pelo beijo de um príncipe.

Sonhos em coreografia

O clássico da Bela Adormecida dá voz ao segundo espetáculo encenado pela cia. de dança Studio Arte 21, e vai contar a famosa história do sono (quase eterno) de uma princesa, que é despertado para o amor. Porém, no espetáculo, o foco será o momento do ‘felizes para sempre’, em que a princesa Aurora acorda e enfim se casa com o príncipe que a beijou. No próximo ato, os demais personagens da história são convidados para o casamento, cujo roteiro é todo coreografado pelo grupo.

Uma mescla de músicas e coreografias confere aos movimentos da produção o que é identificado como balé de repertório, segundo o bailarino e diretor Rodrigo Vieira.

“Espetáculos de repertório são raros em Manaus. Temos alguns exemplos pontuais, mas são poucas as escolas que ousam trabalhar com o balé de repertório, uma vez que a movimentação é difícil, a pesquisa é escassa e é um trabalho que envolve muito estudo de técnica corporal e de pontas”, afirma.

Apoiado em referências de escolas tradicionais de balé como Bolshoi e Kirov, o trabalho é encenado por alunos da própria escola e sinaliza, para eles, um grande desafio, conforme Rodrigo. Ainda segundo ele, os bailarinos conseguiram obter a força e carga necessária para poder desenrolar os solos e diversas variações que permeiam o espetáculo.

Publicidade
Publicidade