Publicidade
Entretenimento
MÚSICA

Projeto musical Zamba propõe uma reconstrução histórica através da música

Depois de muita pesquisa, estudo, testes e experimentos, o grupo conseguiu compilar a essência deste conteúdo em CD e DVD disponíveis nas principais plataformas digitais 28/03/2017 às 12:13
Show sdfj sdjf sdf
acritica.com Manaus (AM)

O projeto musical Zamba se propôs a narrar a trajetória sociocultural das Américas através da música instrumental. Depois de muita pesquisa, estudo, testes e experimentos, o grupo conseguiu compilar a essência deste conteúdo em CD e DVD, disponíveis nas principais plataformas digitais.

Lançado em 2016, o CD homônimo contém sete faixas autorais que resgatam a história dos nossos antepassados. “Buscamos de uma maneira singela narrar o início de tudo com tambores cubanos e africanos e, a partir daí, construir uma narrativa que passa pelo jazz, pelo soul, dentre outros estilos, resgatando nossa identidade”, comenta Állan Azambuja, um dos idealizadores do projeto.

A primeira faixa do disco, Zumba, por exemplo, é composta basicamente por tambores ao estilo tribal, que remete o nascimento das primeiras civilizações. O trabalho segue com Zambi, nome que significa Deus em várias etnias. Nesta faixa, o percussionista Fabio Salem relembra o período de escravidão com o som de seu berimbau.

A história avança em New Pacha. O nome faz referência ao “Novo Mundo” (New: “novo” em inglês; Pacha (abreviação de Pacha Mama), que significa “mãe Terra” ou “mundo” na América Andina).  “A música resume a época em que negros e escravos foram proibidos de tocar seus instrumentos. E, para continuar fazendo música, era preciso tocar os instrumentos do homem branco, do colonizador”, explica Gabriel Lima, músico que ajudou a fundar o grupo.  

Nas faixas seguintes, Praise, Peabiru, Jaguará e No Harlem, o grupo Zamba flerta com o Jazz e o Soul estadunidense. Todas as músicas do disco compõem o Zamba Ao Vivo no Teatro da Rotina, que conta ainda com mais uma nova faixa, Cordillera. O material foi lançado em fevereiro de 2017. O DVD foi produzido pela Quixó Produções em parceria com o estúdio Azambuja.

O projeto vem ganhando espaço. Em março, por exemplo, o grupo foi uma das atrações do projeto Instrumental Sesc Brasil, realizado no Teatro Anchieta, unidade Consolação.

Para os próximos meses, Zamba estuda algumas apresentações em festivais no nordeste do país e, ainda, uma apresentação na América do Sul. O projeto trabalha, ainda, na produção do segundo disco, que deve ser lançado no final de 2017. As composições Cordillera, Solstício, executadas no palco do Sesc Consolação, estarão neste novo trabalho.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade