Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
Artes Visuais

'Raízes Amazônicas' homenageia artistas locais em murais

De acordo com o produtor cultural Waldemir Nascimento, a ideia é dar espaço para outros nomes que também são a ‘cara’ da cultura amazonense



WhatsApp_Image_2021-01-18_at_13.35.42_7CA92040-99AE-44BE-BC7D-3EAC41F67BD3.jpeg A cantora Lucinha Cabral está no rol de artistas ilustrados (Foto: Bárbara Railane/Divulgação)
18/01/2021 às 13:42

Reconhecer a contribuição de artistas locais à cultura da região ainda em vida. É esse o objetivo da série de grafites "Raízes Amazônicas", idealizada pelo grafiteiro e produtor cultural Waldemir Nascimento, conhecido artisticamente como "Cria". Ao todo, o projeto conta com nove painéis espalhados pela capital, sendo seis desenvolvidos entre o final de 2020 e o início deste ano.

Os cantores Lucinha Cabral, Márcia Novo e Nunes Filho, a atriz Maria dos Rios, o rapper Jander Manauara e a entidade Uýra Sodoma – vivida pelo artista visual e também biólogo Emerson Uýra – compõem a lista mais recente de homenageados.



Contemplada pelo Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020 – Lei Aldir Blanc, a proposta teve seus ‘rabiscos’ iniciados há três anos, com o mural em homenagem ao poeta, cantor e compositor parintinense Chico da Silva, feito de forma totalmente independente. À época, “Cria” contou com a parceria do grafiteiro Anderson Pena.

De acordo com “Cria”, da pintura em homenagem a Chico – que, com mais de 30 anos de carreira conta com uma ‘bagagem’ recheada, tendo participado de programas de grande audiência, como o "Domingão do Faustão"; composto para artistas de sucesso, como a cantora Alcione; e conquistado a medalha do mérito cultural Péricles Moraes da Academia Amazonense de Letras (AAL) – surgiu o nome da série de grafites.

No ano seguinte, o produtor cultural desenvolveu outros dois murais com recursos próprios, estampando os rostos do cantor e compositor itacoatiarense do estilo brega-romântico Abílio Farias – único homenageado já falecido, cujo grafite foi realizado na fachada da residência do filho do cantor, Pedro Farias, que é amigo do artista visual – e do grafiteiro e rapper Denis LDO – produzido durante a 5ª edição do evento de grafite “Anauê”.

Propósitos

O projeto “Raízes Amazônicas” nasceu com dois propósitos, segundo o grafiteiro. "O primeiro era tirar um pouco o foco de que Amazônia é somente cultura de floresta e mato. Já o segundo era quebrar a ideia de que as homenagens só podem ser feitas para artistas já falecidos. Não que isso seja errado, mas não há nada mais gratificante que poder olhar para o artista, abraçá-lo, enquanto reconhece o que ele fez de bom para agregar a nossa cultura", pontua.

Selecionados

Com a contemplação no edital cultural, o grafiteiro deu início aos outros seis painéis para o projeto “Raízes Amazônicas”, que, atualmente, envolve quatro pessoas, incluindo o próprio “Cria”, os produtores culturais Bárbara Railane e Jaison Estefesson, bem como o artista convidado, Denis LDO.

A seleção dos novos homenageados foi feita por meio de pesquisas na Internet e em redes sociais. “Escolhemos alguns com mais de 20 anos de carreira, que eu mesmo não tinha conhecimento do quanto já contribuíram para a nossa cultura. Cada artista agrega na sua área cultural de forma significativa”, salienta “Cria”.

Na rede

A série de grafites pode ser acompanhada pelo perfil do Instagram @raizes.amazonicas. Os murais da atual edição contam com tamanhos que variam de 3mx3m até 3mx9m. “Por conta disso, tivemos que procurar espaços com medidas específicas, mas com a mesma visibilidade dos anos anteriores”, detalha “Cria”.

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.