Quinta-feira, 24 de Setembro de 2020
CULTURA

Projeto reúne espetáculos de palhaçaria para assistir em casa 

‘Maloca de Palhaç@s’ volta em novo formato e com programação ampliada



1604fa7a-9306-40da-914e-b755ed030dcc_249F547F-CB1B-4301-8EBC-3ACDC5F707BB.jpg Foto: Divulgação
11/08/2020 às 14:22

O projeto “Maloca de Palhaç@s” está de volta com programação ampliada e em formato totalmente virtual, depois de ser suspenso por conta da pandemia. A agenda de espetáculos começa nesta terça-feira (11) e segue até o dia 23 de agosto, com exibições gratuitas pela plataforma Zoom. As inscrições podem ser feitas pelo link https://bit.ly/malocaAM.

Uma das novidades do novo módulo do projeto é a Mostra Selma Bustamante, que homenageia a artista paulista e de coração amazonense, falecida em 2019. 



“Será uma humilde homenagem a ela, que foi nossa grande mestra palhaça na cidade por muitos anos. Sempre disposta a ceder seu tempo e sua casa para nos incentivar a seguir na arte, seguir palhaceando. Como o foco do projeto é esse caráter formativo, nada mais justo de tê-la conosco”, explicou a coordenadora Ana Oliveira.

A mostra exibe nesta terça-feira (11), às 20h, o último solo da palhaça Kandura, “Se essa rua fosse minha”. Interpretada por Selma Bustamante, Kandura é uma moradora de rua que carrega consigo uma história de vida baseada no dia a dia difícil, mas com o objetivo de nunca deixar de sonhar. Em silêncio, a personagem compartilha sua situação com a plateia. 

O espetáculo é uma montagem do grupo Baião de Dois, com direção de Adelvane Néia, da Cia. Humatriz Teatro, que lembra com carinho a experiência de trabalhar com a artista em Manaus. 

“Foi um prazer dirigir a Selma, uma criatura ímpar, singular. Fiquei muito feliz porque ela deixou claro que era um sonho que ela queria realizar, de fazer um solo, de poder ter um material para viajar, então foi um grande presente a oportunidade de estar com ela naquele momento”, afirmou a atriz e diretora. 

“Ela tinha um modo bem singular de entender o palhaço, não aceitava as técnicas, ela dizia que não gostava de técnica porque achava uma bobagem. Para mim foi um grande desafio, eu construí um treinamento específico para ela, o que foi muito bacana para a minha pesquisa, me desafiar a encontrar uma série de exercícios que contemplassem aquele corpo”, acrescentou. Após a exibição de “Se essa rua fosse minha”, Adelvane participa de um bate-papo com o público por meio do Zoom.

A Mostra Selma Bustamante também exibirá o espetáculo “Interditado” (13 de agosto), dirigido por Selma e encenado por Karine Magalhães, e uma apresentação do projeto “Roda na Praça” (15 de agosto), que contou com a participação da homenageada desde 2017.

MAIS ESPETÁCULOS

A agenda do “Maloca de Palhaç@s” terá, ainda, a exibição do espetáculo convidado “Qual a graça de Laurinda?”, do grupo paranaense Triolé, no dia 22 de agosto. Encenado pelos atores Alexandre Simioni e Gerson Bernardes, o espetáculo mostra dois palhaços que disputam o coração de uma palhaça que só existe na imaginação deles. A montagem, concebida para todas as idades, é inspirada na linguagem do desenho animado. Os personagens contam a história sem falas, apenas com a linguagem corporal. 

Seguindo o formato dos cabarés circenses, o projeto “ClownBARÉ” também volta à programação do “Maloca de Palhaç@s”, no dia 23 de agosto, reunindo os participantes da oficina “As sutilezas da palhaçaria em ambientes vulneráveis” em uma apresentação única e especial. A exibição será pelo canal da Fitacrepe Filmes e Artes Cênicas no Youtube.

ADAPTAÇÃO

Idealizada pela Fitacrepe e contemplada no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2018, o projeto “Maloca de Palhaç@s” promove o intercâmbio entre mestres e aprendizes da arte da palhaçaria, de Manaus e de outras regiões do país, aproximando essa linguagem do grande público. 

De acordo com a coordenadora, Ana Oliveira, a necessidade de distanciamento social afetou a todos, mas especialmente as artes e os artistas, que tiveram que buscar novas estratégias para seguir trabalhando. “Nosso trabalho não existe sem presença física e aglomeração. Ou pelo menos não existia. Estamos sendo obrigados a nos reinventar e aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis”, comentou.

SERVIÇO

O quê: “Se essa rua fosse minha”
Quando: 11 de agosto, às 20h

O quê: “Interditado”
Quando: 13 de agosto, às 20h

O quê: “Roda na praça”
Quando: 15 de agosto, às 20h

O quê: Espetáculo “Qual a graça de Laurinda?” (PR)
Quando: 22 de agosto, às 20h

O quê: Espetáculo “ClownBARÉ”
Quando: 23 de agosto, às 17h

Onde: Todos os espetáculos serão exibidos pela plataforma Zoom (exceto o “ClownBARÉ”, que será exibido no Youtube da Fitacrepe)
Quanto: Gratuito

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.