Publicidade
Entretenimento
Vida

Projeto Social incentiva crianças e adolescentes a tocarem instrumentos musicais

Em um trabalho voluntário, Ítalo Vilhena, musicista profissional desde 2009, ensina crianças e jovens do bairro da Raiz, a tocarem instrumentos 05/01/2015 às 12:30
Show 1
Desbravadores do clube Shalom em uma das reuniões semanais, na quadra da igreja Adventista do bairro da Raiz, para realizar as atividades de desenvolvimento físico, mental e espiritual, entre elas, a música com a banda Shalom
Cynthia Blink ---

Ítalo Vilhena, 25, é musicista profissional desde 2009, ele aprendeu a tocar seu primeiro instrumento, a corneta, aos 13 anos de idade, na fanfarra do clube de Desbravadores Shalom (um grupo de jovens, entre 10 a 15 anos, de diferentes religiões, classes sociais e econômicas que se reúnem uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades e o gosto pela natureza), localizado na igreja Adventista do bairro da Raiz, na zona Sul da cidade.

Depois de ver a fanfarra onde aprendeu a tocar desativada e já com alguma experiência musical, Ítalo se deu o desafio de reativar a fanfarra e com o apoio do seu mestre na música, Odirley Mozambite, foi possível transformar a fanfarra em uma banda e seguir ensinando as crianças do bairro a darem vida e som a nova Banda Shalom.

“Para uma fanfarra virar banda é preciso ter instrumentos mais sofisticados de sopro (eles também são mais difíceis de aprender). A comissão da igreja da Raiz abraçou a causa e contribuiu financeiramente para a compra de alguns dos instrumentos, um pequeno grupo de irmãos também fizeram doações, eu também doei o que podia e parte dos membros conseguiram comprar os seus instrumentos”, diz o diretor da banda Shalom Ítalo Vilhena.

Para seguir com o trabalho voluntário na banda, Ítalo diz que precisa abrir mão de alguns compromissos e, em muitas situações, driblar o tempo, mas tudo é gratificante quando ver que o esforço chegar a um resultado satisfatório.

“É muito bom ver a garotada que não sabia nem como segurar o instrumento tocando surpreendentemente bem em apenas 2 ou 3 meses. Eles ficam felizes em conseguir fazer um belo som e eu fico mais feliz ainda em ter colaborado com isso”, confessa Ítalo.

Recompensa

Nesses 7 anos que o Ítalo Vilhena está na direção da Banda Shalom já foi possível ele ouvir agradecimentos emocionantes. “Uma vez o João Victor, ele tem só 11 anos, mas me falou que quando me via tocando o trompete, ele queria fazer o mesmo, o ajudei a comprar o instrumento e esse ano ele entrou na banda e se mostrou um menino de muito talento com o trompete e é bastante esforçado”, diz Ítalo sensibilizado.

Uma outra situação que motivou bastante o diretor a seguir com o trabalho voluntário foi com o Fábio Gomes, o Fabinho, 13. “Ele é um menino carente de atenção e de carinho. Vejo que a banda conseguiu ser como uma família para ele, um ambiente onde ele se sente valorizado pelo talento que tem com a percussão, ele toca atabaque, mas ano que vem já vai aprender a caixinha e está feliz com a evolução”, celebra a conquista de seu aprendiz.

Publicidade
Publicidade