Publicidade
Entretenimento
Vida

Purificadores são opções para garantir a qualidade da água

No Brasil, mais de 20 mil pessoas morrem por ano por doenças causadas pela ingestão de água contaminada, segundo a Organização Mundial de Saúde. Em Manaus, de janeiro a junho deste ano já foram registrados 77 casos de leptospirose, por exemplo 01/08/2015 às 11:02
Show 1
Poluição das redes hídricas, manipulação, transporte e até instalação e limpeza inadequada de bebedouros interferem na água que bebemos
Lucy Rodrigues Manaus (AM)

A ingestão de água em quantidade e qualidade ideais é indispensável à saude e ao bom funcionamento do organismo. Mas será que a água que consumimos todos os dias em casa ou no trabalho está livre de  contaminação? Fatores como a poluição das redes hídricas, manipulação, transporte e até instalação e limpeza inadequada de bebedouros com água envasada podem impactar diretamente na qualidade da água que chega aos nossos copos. 

“A maioria das doenças existentes tem base hídrica. A principal contaminação da água é de origem fecal. Diarréias, verminoses e vômitos são os principais sintomas das doenças hídricas, mas que podem evoluir até a morte, como nos casos de Cólera e Escherichia coli enterohemorrágica. Contaminações químicas e por resíduos (terra, vegetações) também podem dificultar o tratamento tornando a água não potável”, explica o biomédico Roberto Martins Figueiredo, mais conhecido como Dr Bactéria. 

No Brasil, mais de 20 mil pessoas morrem por ano por doenças causadas pela ingestão de água contaminada, segundo a Organização Mundial de Saúde. Em Manaus, de janeiro a junho deste ano já foram registrados 77 casos de leptospirose, por exemplo. Uma alternativa prática para resolver problemas desse tipo é o uso de purificadores de água.

“Os filtros somente eliminam a turbidez da água (materiais em suspensão, terra, vegetais, poeira, resíduos de tratamento, ferro...) não eliminando possíveis contaminações por micro-organismos. Já os purificadores, além de filtrar, também possuem ação desinfetante, eliminando possíveis germes contaminantes que poderiam ocasionas doenças. Isso é feito por meio de substâncias incorporadas no tratamento, como o cloro ou íons prata”, explica o Dr. Bactéria.

Como funcionam

Hoje há uma grande variedade  desses equipamentos no mercado, que se usados corretamente garantem a qualidade do líquido. “Os purificadores devem ser utilizados na água potável e previamente tratada, como a que vem das redes de abastecimento. Essa água sai da estação de tratamento limpa, mas recebe uma quantidade extra de cloro para evitar a contaminação por bactérias e detritos presentes na tubulação e nas caixas d’água. Ao passar pelos purificadores, eles retiram quaisquer detritos físicos, além do excesso de cloro, metais pesados e maus odores que possam contaminar a água, purificando-a”, assegura o diretor de negócios da Whirlpool Latin America, Carlos Eduardo Souza. A empresa detém as marcas Brastemp, Consul e KitchenAid e está no mercado de purificadores de água desde 2003.

De acordo com Souza, os purificadores da marca têm nível de filtragem de até mil vezes menor que o fio de cabelo e recebem a classificação P1C1 do Inmetro, que é a mais alta.

Escolha e manutenção

Na hora de escolher o equipamento mais adequado, além da certificação do Inmetro ele adverte que é preciso ficar atento para o uso que será feito do aparelho, pois dependendo da quantidade de pessoas na casa, é possível que não se tenha o desempenho esperado no resfriamento da água.

“Manaus, por exemplo, é muito quente, então se muitas pessoas vão utilizar o purificador, talvez a escolha ideal seja por um movido a compressor. Purificadores com compressor economizam muito mais energia e gelam a água a uma temperatura de cerca de 10 a 12ºC, independentemente da temperatura ambiente”, indica. A correta manutenção dos filtros e purificadores também deve ser observada. Souza explica que os filtros dos purificadores devem ser trocados de seis em seis meses ou a cada ano, dependendo da potência do aparelho. O Dr. Bactéria também alerta para a limpeza e manutenção dos sistemas hidráulicos. “Os reservatórios devem ser higienizados profissionalmente a cada seis meses, assim como a rede hidráulica. Canos antigos, principalmente de ferro, devem ser substituídos”, frisa.

Saiba mais

20 mil  pessoas morrem por ano por doenças causadas pela ingestão de água contaminada no Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde. 30toneladas  de sujeira são retiradas todos os dias dos igarapés de Manaus, segundo dados da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp).

Roberto Martins o Dr. Bactéria, ele é Biomédico diretor da empresa Microbiotécnica, divide seu conhecimento como palestrante e em livros como “Dr. Bactéria: As Armadilhas de uma cozinha”, além de programas de TV como Fantástico (Globo), Tudo é possível (Record), SP Balanço Geral(TV Record).Instagram: @drbacteriaoficial.

Publicidade
Publicidade