Publicidade
Entretenimento
Vida

'Quando subi nos palcos da Zona Leste tudo fez sentido', diz Márcia Novo, ao se redescobrir

Trabalhando na campanha de divulgação do seu mais recente EP "Tudo Novo", cantora amazonense radicada em São Paulo faz show em flutuante nesta quinta (27) e revela como se redescobriu nos palcos manauaras 26/11/2014 às 10:28
Show 1
Para as imagens de "Tudo Novo", Márcia fez ensaio fotográfico na lagoa azul de Presidente Figueiredo
Laynna Feitoza Manaus (AM)

A cantora parintinense Márcia Novo nunca havia tocado na Zona Leste. A primeira experiência que teve lá foi no período da Copa do Mundo. Novo, autora do até então álbum “Amazônia Pop” – dotado de um clima bem ‘world music’ – pediu nas reuniões de organização do evento para se apresentar na Avenida Itaúba, no bairro Jorge Teixeira. 

“Mas a sua música... não sei”, diziam os membros da organização, até então habituados com a sonoridade mais segmentada do disco anterior de Márcia. “A única referência que eles tinham de mim eram os sons de samba-rock, e eu estava querendo vivenciar uma outra história”, disse a artista. “Rapaz... você é que sabe”, selou a organização. “Me coloca lá, deixa o público dizer. Se for pra eu pegar latada, eu pego”, rebateu Novo, relatando ao BEM VIVER com a simpatia que lhe é comum.

A cantora, que havia produzido “Amazônia Pop” em São Paulo – e que se divide na ponte-aérea entre lá e cá -, já é conhecedora da forma de trabalho dos profissionais da “terra da garoa”. Os shows pelo interior paulista e participações em programas de rádio e TV de lá eram quase rotina. Mas foi no palco da Avenida Itaúba, na Zona Leste, que tudo fez sentido para Márcia. 

“Todas as dúvidas e certezas que eu tinha foram sanadas e confirmadas. Eu nunca me senti tão completa como artista no palco como eu me senti no palco da Zona Leste. Foi lá que eu disse ‘É isso’. É para esse povo que eu quero cantar, é isso que eu quero fazer”, concluiu Márcia. O repertório do show na Itaúba, por sua vez, não tinha nada de elitizado e segmentado: foi preparado com base no EP “Tudo Novo”, sucessor de “Amazônia Pop”, cujo título reflete bem a atmosfera atual da cantora: tropical, sensual e mais arraigada em sua terra e origens.

Sucesso

Os shows pela Zona Leste confirmaram as suspeitas de Márcia: a de que as canções do novo EP dariam certo. Composto por cinco músicas, entre releituras de músicas regionais e nacionais – a exemplo de “Casa do Caribe” e “Solana Star”, composições de Eliakin Rufino e George Faria, e “Você Me Encantou Demais”, do Natiruts - é na canção de abertura do disco, “Asa de Avião” que o EP de Márcia revela a força da cantora como compositora, e ao lado do cantor Bebeto, gênio do samba-rock nacional.


“Eu já tinha algumas composições, mas sempre me vi como intérprete. Mas no início do ano tive uma desilusão amorosa e me mudei de Campinas para São Paulo, aí aflorou tudo”, pondera ela. Márcia admite não estar preocupada com o “lançamento” do EP. “O álbum está disponível no meu SoundCloud (soundcloud.com/marcianovo), e livre para quem quiser adquirir”, destaca.

O produtor do EP de Márcia, Rosivaldo Cordeiro foi quem batizou o álbum “Tudo Novo”, gravado e produzido na Digital Verde Studio. Márcia até então lamentava o fato de, no passado, seu som ser segmentado ao público A e B. “Sempre quis me aproximar da massa, mas meu som não chegava, por ser muito ‘world’ e sofisticado. Não conseguia chegar nos municípios, no povo. Sentia falta de um sotaque daqui no meu som, pois tenho toda uma história no boi-bumbá. Sempre que fechava meu olho me imaginava cantando para uma multidão, a la Ivete Sangalo”, diz ela.

Márcia está em negociação com uma gravadora de São Paulo, mas o foco de agora é principalmente Manaus. Nos shows, a cantora tem distribuído versões promocionais de “Tudo Novo” como fruto da campanha de divulgação de um novo projeto. “Meu foco é dissipar as músicas para gravar o meu DVD, cujas gravações estão previstas para o fim do ano que vem”, destaca a artista. O seu desejo é gravá-lo na praia da Ponta Negra. 

“Aprendi muito com o meu disco anterior, mas eu não sou isso. Eu sou tropical, do povo, do Brasil. A minha verdade está nesse calor”, dispara. Antes de testar suas novas canções nos eventos da Copa, Márcia não planejava gravar um EP. Mas parece que os fãs que a esperavam à beira do palco na Avenida Itaúba foram a resposta.

Serviço

o quê: Luauzinho com Márcia Novo

quando: 27/11, às 21h

onde: Abaré Sup & Food (Igarapé Tarumã-Açu) - acesso por carro pela Praia Dourada

quanto: R$ 85 (incluso barca de sushi)

infos: (92) 99604-9975/98160-0532



Publicidade
Publicidade