Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Cultura

Edição de 60 anos do Festival Folclórico do Amazonas continua indefinida

Até o momento, apenas as categorias de danças Prata e Bronze estão previstas para acontecer, já a Ouro pode não ocorrer esse ano



Capturar2.PNG Governador José Melo suspendeu o patrocínio para a realização do Festival Folclórico do Amazonas, na categoria de danças: Ouro (Foto: Evandro Seixas - Arquivo A CRÍTICA)
07/06/2016 às 22:22

O destino do 60º Festival Folclórico do Amazonas continua indefinido. Até o momento, apenas as categorias de danças Prata e Bronze, que recebem patrocínio da Prefeitura de Manaus, estão previstas para acontecer, no próximo mês. Já a Ouro, que recebia recurso do Governo do Estado, pode não ocorrer esse ano em virtude da suspensão da verba anunciada no mês passado pelo governador José Melo para contenção de gastos.

O professor e ex-presidente da Associação Cultural Folclórica Educandense Boi Bumbá Garanhão, Ivo Morais, está acompanhando as discussões envolvendo o Festival Folclórico do Amazonas e contou que as apresentações das categorias Prata e Bronze serão realizadas no Centro Social Urbano (CSU) do bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul. Ainda não há data definida, mas a previsão é que ocorra no mês de julho, durante 20 dias.

Quanto às apresentações da categoria Ouro, que inclui a disputa entre os bois bumbás Garanhão, Brilhante e Corre Campo, ele disse que está ameaçada. “Estamos tentando conseguir uma audiência com o prefeito Arthur Neto para vermos a possibilidade de a prefeitura arcar com a estrutura para que a categoria realize seu festival. O governo cortou todo o patrocínio e só cedeu o sambódromo para a festa. Se tudo der certo a disputa entre os bois será dia 20 de agosto”, revelou.

Para o presidente da Associação dos Grupos Folclóricos do Amazonas (AGFAM), Raimundo Nonato Bentes, dificilmente haverá festival folclórico esse ano a não ser que haja um milagre. Mas, ele acredita que essa tradicional festa vai ressuscitar no próximo ano ainda mais forte. “Deram um tiro à queima roupa que levou a morte súbita o festival. Mas essa festa vai ressurgir se não for pelas associações de grupos folclóricos, será pelas mãos das pessoas que viram os esforços que fizemos e não vão deixar essa cultura ficar viúva”, afirmou.

O presidente da Associação dos Grupos Folclóricos de Manaus (AGFM), Milton Ferreira dos Santos, é outro que acredita que não haverá festival sem o recurso do governo. Mas, afirma que todos estão empenhando em realizar a festa. “Esse ano todo mundo vai ter que dar seu jeito agora de que forma ninguém sabe. A gente não esperava, mas reconhecemos que o governo tem que pagar o funcionalismo, em outros Estados tem muitos governos que não estão cumprindo com esse compromisso”, lembrou.

Saiba mais

Os bois Brilhante, Corre Campo e Garanhão haviam apresentado no último dia 18 de maio seus temas, logos e camisas para o 60º Festival Folclórico do Amazonas de 2016. Dois dias depois, o governo anunciou os cortes de verbas para a área da Cultura e o reordenamento do sistema estadual de Saúde.

Festival

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), informou que, diante da decisão do governo José Melo, em suspender o patrocínio ou qualquer despesa com festivais culturais, na capital e interior, não haverá despesa pública estadual com o Festival Folclórico do Amazonas e as agremiações já foram comunicadas sobre a situação.

A Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por sua vez, informou que o apoio aos grupos folclóricos da categoria Prata do Festival Folclórico do Amazonas estão mantidos, conforme previsto. A pasta não informou detalhes sobre a data e a organização das apresentações, além de toda a infraestrutura do evento.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.