Sábado, 27 de Novembro de 2021
Artes visuais

Raiz Campos homenageia Feliciano Lana por meio do graffiti

Oficina em São Gabriel da Cachoeira (AM) ensina técnicas de graffiti e muralismo aos participantes. Feliciano foi um artista e líder indígena falecido ano passado, em decorrência da Covid-19



WhatsApp_Image_2021-08-19_at_21.55.26_B9740123-256B-4D70-82DE-769C814E6F54.jpeg Feliciano Lana e Raiz durante encontro em São Gabriel da Cachoeira (Foto: Juliana Radler/Divulgação)
20/08/2021 às 14:23

Traços e cores tomam forma e se transformam em artes presentes nos muros, viadutos e reservatórios da cidade de Manaus (AM), pelas mãos talentosas do muralista e grafiteiro Rai Campos, mais conhecido como Raiz. O artista que nasceu na Bahia, mas criou raízes no Amazonas, encontrou uma forma de homenagear o artista indígena Feliciano Lana por meio da oficina colaborativa "MURALIZAR: Do Raiz ao Lana", que iniciou no dia 19 e vai até o dia 22 de agosto, em São Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro, noroeste do Amazonas. 

Homenageado

O artista, desenhista, pintor e escritor Feliciano Lana nasceu na aldeia São João Batista, no rio Tiquié, e na década de 90 mudou-se para São Gabriel da Cachoeira. Ele faleceu em 2020, aos 83 anos, vítima da Covid-19. Animais, rios e florestas compõem as obras de arte da liderança indígena, que chama atenção para as histórias dos povos do noroeste amazônico, representadas por meio de desenhos que chegaram a viajar o Brasil e o mundo. O nome de Lana foi dado a um dos principais editais emergenciais destinados à cultura no Amazonas.

"Em 2018 fui à São Gabriel da Cachoeira, para participar de um projeto de revitalização de uma parte da cidade que estava abandonada. Nessa ida marquei um encontro com seu Feliciano e o conheci. Sempre muito feliz, como seu próprio apelido: seu Feliz. Ele estava com a pastinha debaixo do braço com vários desenhos. Esse era o seu Feliz. Ele é esse cara: nativo, da floresta, que passa o conhecimento através da arte, e conseguiu atingir patamar internacional sendo um cara simples e humilde", relembra Raiz.

Oficina Muralizar

O projeto realizado pela equipe Raiz Artes foi agraciado pela Secretaria  de Cultura do Governo do Amazonas e conta com o apoio do ISA, FOIRN, Pousada Bawary, Departamento de Mulheres Indígenas da Foirn e Rede Wayuri.

A proposta da oficina é que toda a comunidade participe do trabalho e que os participantes aprendam sobre técnicas do graffiti e muralismo. Dessa forma, será criado um espaço emblemático em homenagem a Feliciano Lana.

"Todos podem participar da oficina; crianças, jovens, adultos e idosos. Não tem pré-requisito. Estamos ensinando técnicas básicas de mural e de grafite, com rolo, pincel e spray, pras pessoas terem esse contato com a arte urbana. Não precisa fazer inscrição, é só chegar e ajustar no seu tempo. Tem gente que vem só de manhã e tem gente que vem só a tarde", destaca Raiz.

Quem é Raiz?

Rai Campos Lucena, conhecido na arte urbana como Raiz, nasceu na Bahia. Com apenas três meses de vida veio para o Amazonas. Ele cresceu na vila Pitinga, localizada  na Reserva Indígena Waimiri Atroari, no município de Presidente Figueiredo (AM).

 "Ter conhecido a aldeia Waimiri Atroari de perto, mudou a minha vida. Passei a ter mais respeito, valor e admiração pela cultura deles. Com o tempo fui incluindo os povos indígenas cada vez mais nas minhas pinturas e isso me aproximou deles. Foi por meio de projetos e viagens que fui conhecendo cada vez mais povos e me inspirando cada vez mais pela luta", diz o muralista.

Trabalhos e projetos

As obras do artista plástico começaram a ganhar destaque em 2007, com os trabalhos estampados em viadutos  na Djalma Batista, Coroado, Constantino Nery, Darcy Vargas, Avenida das Flores e outros. Raiz também é responsável pelos grafitis em grandes reservatórios, como o da Ponta Negra.

"Já pintei por todas as regiões do Brasil e também em eventos internacionais, como EUA, Alemanha, Uruguai e Colômbia; tudo através do grafiti. Eu sou um 'caboco do mato', tenho nem condições de ir pra lá, mas que bom que isso rolou", relembra.

Raiz passou em dois editais de cultura do Estado em 2021. O artista realizou o primeiro encontro de graffiti, intitulado 'Galo da Serra', que reuniu vários artistas de Manaus e  aconteceu na praça e bairro de mesmo nome, em Presidente Figueiredo. Atualmente realiza o segundo projeto: "MURALIZAR: Do Raiz ao Lana".

 



Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.