Quinta-feira, 28 de Maio de 2020
Dança

Contém Dança Cia. resgata raízes no novo espetáculo 'Mestiçagem'

Artista amazonense Francis Baiardi dirige peça contemplada pelo edital de Residência Artística do Sesc-AM.Espetáculo será exibido nos dias 5 e 6 de março, com entrada gratuita, no Teatro da Instalação



bv0303-002f_58ADE919-7718-4008-AC61-FFD0C8CEE025.jpeg Foto: Divulgação
03/03/2020 às 15:35

Com o propósito de resgatar nossas raízes e mostrar um Brasil nortista, negro, caboclo e indígena, a artista cênica Francis Baiardi estreia o espetáculo “Mestiçagem/Megaçitsem”. A obra traz à tona narrativas que buscam sensibilizar acerca dos nossos povos de origem.

Com entrada gratuita, o espetáculo será apresentado nos dias 5 e 6 de março, às 20h, no Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, s/n, Centro). A montagem é uma produção da Contém Dança Cia.



Para Francis Baiardi, é de fundamental importância estabelecer diálogos significativos em um processo de criação. “’Mestiçagem’ é uma obra de criação e produção em dança contemporânea que fala acerca de questões urgentes e relevantes para o povo brasileiro.

Um país miscigenado, de uma infinidade de línguas, com características físicas e culturais distintas, que vivem aspectos geográficos e recursos dessemelhantes, porém com raízes profundas nas quais precisam ser colocadas em evidências através da arte e política nos dias atuais”, diz ela.

O espetáculo é dirigido por Francis Baiardi, com assistência de Leonardo Scantbelruy e elenco composto por Agostinho Ferreira, Layla Driely e Vitor Rocha.

Para Agostinho Ferreira, a montagem é um grito de resistência a um sistema fraudulento de sociedade. Vitor Rocha reflete que "a mistura do Brasil que somos é oriunda do tráfico e do estupro". E para Layla Driely, "todas essas reflexões afetam a memória do corpo durante o processo de investigação". A obra foi contemplada pelo edital de Residência Artística SESC Amazonas 2019.

Pesquisa

Formada em dança, a bailarina capoeirista Francis Baiardi passou cerca de três meses imersa junto a uma equipe de artistas, provocando investigações e experiências que norteiam a narrativa da obra. Uma rede de artistas-colaboradores partilharam seus saberes com o grupo durante a preparação dos artistas para a obra.

Samantha 'Spantalha' Silva ministrou as aulas de Capoeira, Fidelis Baniwa e Rose Baré ensinaram a língua Nheengatu, Leo Scantbelruy prepararam aspectos de corpo/voz, além da principal provocadora, a diretora Francis Baiardi, que teceu o enraizar e o desabrochar da cena com a equipe.

Serviço

O quê: Temporada do espetáculo “Mestiçagem/Megaçitsem”

Onde: Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, s/n – Centro)

Quando: 5 e 6 de março, às 20h.

Quanto: Gratuito

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.