Publicidade
Entretenimento
ENTREVISTA

Rapper Projota volta a falar de amor em "A Voz e Violão"

Aos 32 anos de idade, artista resgata as origens com a música lançada na última sexta-feira (26). Em entrevista ao BEM VIVER, ele conta detalhes sobre sua atual fase e revela os planos para 2019 29/10/2018 às 15:21 - Atualizado em 29/10/2018 às 15:52
Show dsc 4826 13390094 ae69 4509 a63e bca315f02208
Música ganhou clipe gravado em parque de diversões e praia no litoral paulista (Foto: Rafael Strabelli)
Juan Gabriel Manaus, AM

Falar sobre amor nunca foi problema para Projota. Conhecido pelo romantismo que carrega nas letras, o rapper acabou encarando um período sabático de composições sentimentais. Embarcou em um tom crítico e dentro da atmosfera política que cerca o Brasil, apontou o dedo na ferida, cutucou, se fez ouvir - e foi 
ouvido. 

Após os sucessos de “Sr. Presidente” e “Mayday”, o artista de 32 anos decidiu que era hora de voltar às origens e pôr novamente em evidência aquilo que mais o identifica. “Eu fico pensando nas razões pra isso (escrever sobre amor) e acho que a principal é a mais simples de todas: Eu gosto”, diz o rapper que lançou nesta sexta-feira (26) a música “A Voz e Violão”, seu mais novo 
single.

Em entrevista ao BEM VIVER o rapper paulista falou sobre o processo de criação da nova música, que ganhou um clipe gravado no litoral paulista com a participação dos atores Sidney Santiago e Manuela Tavares, os projetos futuros e até a sua entrada no mundo da dramaturgia.

Entrar em uma pegada política no atual momento em que o país vive é até compreensível, mas o que te fez voltar a falar de amor nas vésperas da decisão? Pro Projota, o recado já foi dado?

Na real não tem nada a ver com a véspera da decisão. Pra mim, eu só não posso parar de trabalhar. Ja faz um tempo que saiu ‘Sr. Presidente’ que foi minha colaboração para esse momento.

E por quê falar sobre amor?

Sabe que isso é uma pergunta profunda que eu to tentando me explicar faz um tempo. Eu fico pensando nas razões pra isso e acho que a principal é a mais simples de todas: Eu gosto. É prazeroso pra mim fazer musicas assim porque eu gosto de ouvir musicas assim. Eu sou assim desde menino, na época da escola era afim de uma menina e tinha uma trilha sonora pra aquele momento e foi desse jeito que eu fui levando as coisas.

Tu tem lançado coisa atrás de coisas nesses últimos anos o que me faz achar teu ritmo de produção bem frenético (risos). Como que funciona esse lance de criar pra ti?

Já foi muito mais frénetico. A gente meio que disputava com os amigos. Lembro eu, Rashid e  Emicida, brincando quem fazia mais rap por semana. Nego fazia 3, outro fazia 5. Hoje por já ter isso, me deu bagagem não pra parar, mas pra diminuir o ritmo. Eu sou um cara que já tem uma maturidade pra não ficar com medo da fonte secar. Eu ja passei tantas vezes por essa fase de medo que eu nem sinto mais. Esse ano foi assim, eu estava há um tempão sem compor até uma semana que do nada eu fiz 11 letras, foi um disco e agora to trabalhando pra lançar isso no primeiro semestre do ano que vem.


Foi nessa pegada que nasceu o “A Voz e Violão”? Como foi que surgiu?

Então, essa música tem uma história com minha noiva de 3 anos mais ou menos. A gente ficou um tempo separado, esse tempo foi barra pra caramba e fiz outras músicas, mas aproveitei em fazer essa música pra voltar com ela, não tive coragem de mostrar, ai guardei, mas depois mostrei e deu tudo certo.

A música ganhou um clipe também né? Me conta um pouco sobre o clipe e como foi produzir ele.

A gente imaginou duas locações. É um casal que acaba representando nós dois, na praia e no parque de diversões. A referência que a gente tinha era uma praia no inverno e a gente conseguiu um dia perfeito.

Outra coisa que me chamou atenção é que agora tu também ta entrando nesse mundo da dramaturgia com participação em um filme e uma série. Como que isso aconteceu?

Eu te falo que Deus na minha vida é surreal, é indescrítivel, as coisas como ele faz. É deus quem projeta minha carreira. A gente participou de carceireiros há quase dois anos. O meu episódio saiu há duas semanas atrás, e o filme gravado há 1 ano e meio atras vai sair mês que vem. Isso ajudou a criar um clima de ‘caramba, o projota é ator?’, e eu gostei, quero mais.

Quais os planos pra 2019?

A gente vai continuar trabalhando alguns singles pra lançar o álbum. Quero continuar crescendo, fazendo mais shows.

Publicidade
Publicidade