Quarta-feira, 03 de Junho de 2020
quarentena

Receitas clássicas: famílias se reinventam na hora de cozinhar

Famílias resgatam os cadernos de receitas de família e prepararam pratos saborosos em casa



cozinhar_4D9AEDBF-5700-4468-B771-752FD3F49599.jpg Os clássicos cadernos de receitas de família fazem a diferença na hora de preparar a comida (Foto: Divulgação)
17/05/2020 às 14:41

Em meio à pandemia, diversas famílias estão se reinventado nesse período de quarentena, principalmente no diz respeito à alimentação. Se antes, a maioria das pessoas fazia as suas refeições fora de casa pela praticidade e pela falta de tempo no cotidiano para cozinhar, agora, por medidas de proteção à saúde da família e com todos de volta ao lar, é o momento ideal para resgatar os cadernos de receitas de família guardados no baú para todos colocarem a mão na massa. A  Crítica conversou com quatro mulheres apaixonadas pela culinária e que estão preparando pratos e quitutes saborosos com receitas que herdaram de família.

Verena Frota



Como uma boa descendente de família italiana, o gosto pelo preparo de uma comida saborosa ou um doce, passa de geração em geração. “Minha avó materna era uma quituteira de primeira mão, preparava e mantinha sua família com docinhos e salgados deliciosos. A receita mais pedida da família e amigos é a torta de banana da minha mãe Regina, imbatível”, comenta Verena.

Nessa quarentena, embora esteja apenas Verena e a filha Giovanna, ela revela que sempre estão inventando novos pratos. A inspiração vem das suas 30 receitas preferidas, as quais foram escritas à mão pela sua mãe e estão guardadas em uma pasta plastificada.

“O mais importante no cozinhar é o que acontece em volta desde momento, a escolha da receita, aquela mesma feita um dia pela sua matriarca, a memória olfativa, a leitura daquela página amarelada, me transporta para um mundo muito prazeroso da vida na casa dos meus pais”, declara.

Charufe Nasser

Como uma típica descendente de árabe, a chef de cozinha e proprietária de um restaurante que funciona em sua própria casa, também mantém suas tradições. “A cozinha é um departamento corriqueiro para mim. As receitas são tradicionais da família, algumas vieram da minha avó e a maioria herdei da minha mãe, mas foi com elas que aprendi a cozinhar todas essas receitas”, explica Charufe.

Devido sua paixão pela culinária, Nasser também é autora de um livro de receitas, intitulado “Banquete de lendas”, onde agrega todas as receitas de família, bem como releituras e suas criações com receitas tradicionais da culinária amazonense.

“Considero que a cozinha é um laboratório e nós somos os alquimistas, onde nenhuma receita sai igual a outra porque tem um tom de amor e de mão diferentes. Afinal, a cozinheira é como uma feiticeira, que encanta e conquista, pois a mulher pode se revelar na cozinha”, afirma Charufe.

Tania Castro

Apaixonada por culinária, sua forte ligação com a cozinha vem de berço. “Nasci em uma cozinha, aprendi tudo o que sei com a minha mãe, que trabalhou por mais de 30 anos com todos os segmentos da gastronomia. Cozinhar para mim sempre foi um hábito, adoro, acho que é um ato de amor para mim mesma e para com os outros”, relata a empresária Tania.

Durante a quarentena, essa relação está cada vez mais estreita, pois Tania tem resgatado as receitas escritas à mão pela sua mãe, as quais fazia na infância, como os doces e bolos tradicionais. “Ao resgatar essas receitas me sinto muito feliz, pois recordo minha infância, uma casa alegre, cheia de amor, trabalho e união na hora das refeições”, relembra saudosista.

Receita da Torta de Banana 

Banana pacovan

Açúcar

Leite

Ovos

Baunilha

Queijo parmesão ralado faixa azul

Modo de preparar

- Frita a banana bem madura cortadas na horizontal

- Separa as claras das gemas

- Dependendo da quantidade de bananas e do tamanho do pirex, calcula-se os ovos e a quantidade do leite pra torta ficar bem molhada.

- Para cada gema e cada clara use uma colher de sopa de açúcar, no tota de 2 colheres de açúcar para cada ovo.

- Bate-se as gemas com o açúcar até ficar quase branco. Depois de vem batida acrescentar o leite que deve estar fervido, vai colocando aos poucos e mexendo sempre.

- As claras são batidas separadamente até ficar no ponto de neve, acrescentar as colheres de açúcar até ficar no ponto de suspiro.

Para montar:

Utilize um pirex que vai ao forno arruma-se em camadas:

1 - Camada com as bananas fritas;

2 - Camada da gemada (as gemas com o açúcar e o leite)

3 - Queijo ralado grosso

4 - Vai colocando as camadas até concluir com as claras em neve

5 - Por último: mais queijo ralado e leva ao forno

Tânia Castro gosta de fazer doces tradicionais que aprendeu desde a infância com a mãe

Charufe Nasser lançou um livro de receitas de família e criações da culinária amazonense

Verena Frota é descendente de italianos e guarda receitas escritas à mão pela sua mãe

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.