Segunda-feira, 20 de Maio de 2019
Vida

Recital de piano no Teatro Amazonas revela talento de amazonense

Pianista brasileiro Miguel Proença incluiu arranjo do músico Anderson Farias em apresentação no último sábado, dia 4 



1.jpg
Proença com Farias, que participou da masterclass do pianista em Manaus
07/07/2015 às 09:24

Uma versão para piano da canção “Todo sentimento”, de Chico Buarque e Cristóvão Bastos, com arranjos assinados pelo músico amazonense Anderson Farias, foi um dos destaques do recital que o pianista Miguel Proença apresentou na noite do último sábado, dia 4, no Teatro Amazonas. Farias escreveu a composição a pedido de Proença, apenas um dia antes do espetáculo, que fez parte da programação de seu projeto Piano Brasil.

A colaboração entre Proença e Farias surgiu a partir da masterclass promovida pelo pianista na última sexta-feira, dia 4. Na ocasião, o pianista brasileiro de projeção internacional se mostrou admirado com a habilidade do músico amazonense de não só interpretar partituras eruditas ao piano, mas também de tocar composições de jazz e música popular. E propôs um desafio ao músico amazonense.

“Ele me perguntou se conhecia a música ‘Todo sentimento’, do Chico, e disse, ‘Dou a você duas horas para fazer um arranjo dessa música para eu tocar no recital’”, recorda Farias, que aceitou o desafio e entregou o material no tempo exigido pelo pianista. No recital, no dia seguinte, Proença falou do talento de Farias antes de executar a versão do artista local no palco. “Ele explicou que o projeto dele (Piano Brasil) busca revelar jovens talentos por onde passa. Falou um pouco de mim e tocou a composição”.

O resultado foi bem recebido pela plateia, segundo Farias. “Todo mundo se impressionou pelo pouco tempo que tive para escrever. Mas o resultado foi bom, muitos vieram me dizer que tinham achado incrível”, conta.

Composição

Ao escrever os arranjos para “Todo sentimento”, Farias deu à composição algumas características do jazz. “Ouvi uma gravação original, já conhecia mais ou menos a forma da música original, e trabalhei a partir daí. Já é uma composição de vertente popular, apenas deixei um pouco mais com a cara de jazz. E também tem influências de Debussy”, explica.

A intimidade com arranjos e composições no trabalho cotidiano como professor de Piano acabou sendo um trunfo para que Farias pudesse escrever a versão da música de Buarque e Bastos em tão pouco tempo. “Trabalho com isso há muito tempo, dando aulas sobre piano e improvisação”, destaca o músico, que leciona Piano Popular no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro (LAOCS), e Piano no Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (Caua).

Farias iniciou seus estudos na música aos 8 anos, com o requinta (instrumento de sopro), na antiga Escola Técnica Federal do Amazonas. Aos 12 anos, começou a cursar Piano Erudito no LAOCS. Mais tarde, fez o curso de Bacharelado em Música - Piano da Universidade Federal do Amazonas, onde se formou em 2013.

Em paralelo, Farias também trabalhou ao lado de artistas da música popular do Amazonas. Entre eles a cantora Karine Aguiar, com quem o pianista teve a oportunidade de excursionar pelos Estados Unidos, fazendo shows e participando de workshops, há dois anos.

Farias deve continuar colaborando com Proença com novos arranjos e versões de músicas. “Inclusive vou enviar a ele uma nova versão de ‘Todo sentimento’ mais trabalhada”, conta ele. O amazonense se diz feliz ainda com a visibilidade que o episódio trouxe ao trabalho da composição musical.

“O campo da composição para música instrumental no Amazonas é muito fechado. Faltam oportunidades para os artistas locais. Isso já é muito comum em lugares como Rio de Janeiro, São Paulo ou Brasília, onde há cursos e editais de incentivo”, assinala o músico. “O Brasil tem uma riqueza musical pouco explorada, que poderia ser vendida da mesma forma como o futebol”, diz.

Difusão

Além dos recitais, o Piano Brasil oferece ensaios abertos destinados à rede pública de ensino, com a distribuição de cartilhas ilustrativas exclusivas do projeto. Em Manaus, o ensaio com Miguel Proença foi realizado na sexta-feira, dia 3, no Palácio da Justiça.

Circuito

Consolidado como uma das principais iniciativas da música erudita brasileira dos últimos anos, o Piano Brasil já passou por Recife, Maringá (PR), Porto Alegre, Natal e Manaus em sua nova turnê. Outras dez cidades deverão receber a iniciativa até novembro deste ano.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.