Publicidade
Entretenimento
Vida

Rede Calderaro reedita premiação para a melhor escola de samba e outros sete itens do desfile

O Estandarte do Povo é entregue à escola considerada campeã e galhardetes (pequenas bandeiras) premiarão sete itens que são: Bateria, Harmonia, Fantasia, Mestre Sala e Porta Bandeira, Enredo, Samba Enredo e Comissão de Frente 07/02/2013 às 11:11
Show 1
Os melhores itens do carnaval serão premiados
ana celia ossame Manaus

A Rede Calderaro de Comunicação (RCC) anunciou a volta da premiação do Estandarte do Povo, dada à melhor escola de samba a desfilar no Centro de Convenções, o Sambódromo, e aos melhores em sete itens do Carnaval amazonense. Interrompida ano passado, a premiação, criada na década de 70 por iniciativa do fundador da RCC, jornalista Umberto Calderaro Filho, retorna após a renovação dos dirigentes da Associação do Grupo Especial das Escolas de Samba de Manaus (Ageesma) e tem o objetivo de reconhecer o trabalho das escolas de samba, segundo o diretor de Planejamento da rede e da TV A Crítica, Dissica Tomaz Calderaro.

O Estandarte do Povo é entregue à escola considerada campeã e galhardetes (pequenas bandeiras) premiarão sete itens que são: Bateria, Harmonia, Fantasia, Mestre Sala e Porta Bandeira, Enredo, Samba Enredo e Comissão de Frente.

Essa iniciativa, que já virou tradição, segundo Dissica, vem ao longo de décadas, se transformando numa das principais premiações do Carnaval amazonense. “Entendemos a necessidade de premiar a melhor bateria, o samba enredo, a fantasia e outros itens e, para isso, convidamos jornalistas e pessoas ligada às artes para fazer o julgamento”, explicou o diretor da TV A Crítica, lembrando que nenhum dos jurados pode ter qualquer ligação com as escolas que se apresentam.

Respeito
A entrega da premiação, segundo Dissica Calderaro, valoriza a cultura popular e é esperada pelos presidentes das agremiações, que sugerem situações e premiações à direção da Rede Calderaro. “O Estandarte do Povo é respeitado porque os presidentes das escolas sabem da seriedade com que organizamos a premiação”, afirmou ele, lembrando que o nome “Carnaval do Povo” foi escolhido por Umberto Calderaro, um apaixonado pela festa.

A diretora de Marketing da RCC, Paula Vieira, informou que a premiação não aconteceu nos anos em que a rede transmitia o desfile, por entender que haveria, ali, um conflito ético e, também, no ano em que jornalista Umberto Calderaro foi homenageado pela Escola de Samba Vitória Régia.

Publicidade
Publicidade