Publicidade
Entretenimento
Vida

Restaurantes em meio a belas paisagens são destaque na cidade

Eles oferecem não só cardápios de dar água na boca, cheios de quitutes típicos, mas também panoramas de encher os olhos 14/12/2014 às 15:47
Show 1
Noore & Jahan, o restaurante panorâmico no alto do Taj Mahal Continental Hotel (foto), dá vista para toda a cidade
Jony Clay Borges Manaus (AM)

Ter uma bela paisagem ao alcance da vista pode ser a diferença entre uma simples ocasião e uma grande experiência. E isso também vale para a hora das refeições: um bom prato fica ainda melhor se degustado em meio a um cenário aprazível. Levando isso em conta, o A CRÍTICA preparou um roteiro com restaurantes que oferecem não só cardápios de dar água na boca, mas também panoramas de encher os olhos.

Vista do alto

Um ótimo exemplo da combinação gastronomia & paisagem em Manaus é o Noore & Jahan: o restaurante panorâmico no alto do Taj Mahal Continental Hotel dá vista para toda a cidade, com destaque para o Teatro Amazonas emoldurado pelo rio Negro e pela floresta, num giro completo a cada 45 minutos.

No cardápio, as sugestões do chef incluem o Fantasia de Peixes da Amazônia, à base de pirarucu, tucunaré, pintado e molhos regionais (R$ 130, 3 pessoas) e a caldeirada de tambaqui (R$ 94, 2 pessoas). Os pescados da região também se destacam em pratos como o filé de peixe grelhado ao molho de cupuaçu ou o surubim em filé ao molho (R$ 47, cada).

Há ainda saladas e opções da cozinha internacional, como massas (o spaghetti à bolonhesa ou carbonara sai a R$ 26) e frutos do mar (como o camarão à indiana, a R$ 66). O Noore & Jahan tem ainda carta de vinhos com rótulos nacionais, como o Quinta de Morgado (tinto ou branco, R$ 96 a garrafa, 750ml), e importados, caso do branco português Periquita e do tinto chileno Santa Julia (R$ 130 a garrafa, 750ml, cada).

Monumento de perto

O Teatro Amazonas pode ser “degustado” ainda mais de perto no Tambaqui de Banda do Largo de São Sebastião. Da varanda ou das mesas no calçadão, é possível apreciar o monumento em todo o esplendor, numa visão marcante. “Turistas elogiam muito a casa pela visão e pela proximidade do Teatro, e pelo clima da praça, bem diferente do resto do Centro”, comenta Wagner Carvalho, gerente geral do restaurante.

A pedida para acompanhar tal cenário é o Tambaqui de Banda: o prato-assinatura da casa vem em quatro tamanhos, do pequeno (R$ 44,90, 1 a 2 pessoas) ao Super (R$ 104,90, 5 a 6 pessoas). Há ainda opções expressas, como o filé de pirarucu à milanesa (R$ 24,90), a caldeirada de tambaqui (R$ 27,90) ou a chamada matrinxã de casaca, quem vem recheada com farofa de banana, média (R$ 69,90) ou grande (R$ 79,90).

Como entrada, uma boa sugestão é experimentar o Caboco Enrolado, canapé de pirarucu com cream cheese enrolado em banana frita (R$ 18,90, 6 unid.) ou o bolinho de pirarucu da casa (R$ 14,90, 4 unid.). Para beber, o restaurante oferece desde água e refrigerantes a cervejas long neck e drinques diversos.

Atrativo natural

Outro cartão-postal da cidade, o Encontro das Águas é o grande atrativo da Moronguêtá Peixaria. “É o nosso carro-chefe: as pessoas procuram muito a casa por conta da paisagem”, confirma Vanessa Peres, supervisora do restaurante, situado no bairro de Vila da Felicidade, Zona Sul de Manaus.

Se o panorama é o maior atrativo, o cardápio não fica atrás. O carro-chefe da casa é o Tambaqui à Moronguêtá, com filé de peixe na chapa, panachê de verduras, banana pacovã frita, baião ou arroz branco, batata palito e farofa (R$ 81, 2 pessoas).

Há ainda o Encontro das Águas, com filés de tambaqui ou pirarucu e dourado, molhos branco (batata) e escuro (macaxeira), mais acompanhamentos (R$ 94, 2 pessoas); e o Rio Negro, com filé de tambaqui, batata sauté e acompanhamentos (R$ 81, 2 pessoas).

A carta de bebidas tem de água e refrigerantes a bebidas alcoólicas, com destaque para drinques exclusivos como o Encontro das Águas, à base de gim, coca-cola e limão, ou o Solimões, feito de suco de taperebá, abacaxi e leite condensado, com ou sem vodka (R$ 10, cada).

Rio Negro e a ponte

Entre cartão-postal e beleza natural, a Peixaria Chapéu de Palha da Bênção tem dos dois: o rio Negro e a ponte estaiada que lhe emprestou o nome são os destaques da paisagem que se vê do restaurante na Vila Marinho, na Compensa, Zona Oeste. O ambiente rústico e em sintonia com a natureza são um charme à parte.

O peixe regional reina absoluto no cardápio: são dez variedades, em versões assadas, fritas, à escabeche ou em caldeirada. Alguns exemplos são o tambaqui assado sem espinha, o pacu frito e a caldeirada de bodó – que tem até fãs cativos entre os frequentadores.

O buffet é livre, com acompanhamentos diversos, ao preço único de R$ 40, enquanto água e refrigerantes saem à parte — ah, e não são vendidas bebidas alcoólicas. “É um lugar tradicional, para quem quer degustar um bom peixe”, restringe o proprietário Manoel Pestana.

Mas talvez o maior diferencial da casa sejam as redes e cadeiras de balanço à disposição dos clientes – nada melhor para relaxar ou até tirar uma sesta após uma lauta refeição. E, afinal, depois de encher os olhos e o estômago, um descanso é sem dúvida merecido!

Serviço

Chapéu de Palhada Bênção: localizado na Avenida Rio Negro, 131A, Vila Marinho. Aberto de qua. a dom., inclusive feriados, do meio-dia às 15h (92) 3082-0018

Moronguêtá: localizado na Rua Jaith Chaves, 30, Vila da Felicidade. Aberto todos os dias, das 11h às 20h (92) 3615-3362

Noore & Jahan: dentro do Taj Mahal Continental Hotel, localizado na avenida Getúlio Vargas, 741, Centro. Aberto todos os dias, de meio-dia às 15h e das 19h às 23h (92) 3627-3737


Tambaqui de Banda: localizado no Largo de São Sebastião, Centro. Aberto todos os dias, das 11h às 23h (92) 3236-5995 (delivery)

Popular

O estilo é mais popular, mas as praças de alimentação do Mercado Adolpho Lisboa são uma opção para um café ou almoço com vista para o interior do conjunto arquitetônico, inspirado no francês Les Halles e reaberto há um ano. Algumas opções: jaraqui frito com baião no Restaurante Rei Davi (R$ 12), caldeirada de tambaqui na Peixaria João (R$ 20), galinha caipira no Restaurante 3 Mulheres (R$ 10) ou o tucunaré à escabeche no Restaurante Amazonas (R$ 15).

Publicidade
Publicidade