Publicidade
Entretenimento
Vida

Revolução bariátrica: nova técnica cirúrgica será realizada em Manaus

Cirurgia bariátrica feita com apenas uma incisão no umbigo será menos invasiva, com menor tempo de recuperação e com cicatriz mínima 01/07/2013 às 09:02
Show 1
A boa notícia é que a cirurgia bariátrica está evoluindo cada vez mais e Manaus está participando ativamente desse processo
Felipe de Paula Manaus, AM

Considerada o maior problema de saúde pública do mundo por muitos especialistas no assunto, a obesidade atualmente acomete cerca de 10 milhões de pessoas no País, segundo a Associação Médica Brasileira. É também responsável direta por inúmeras doenças a ela associadas, como a diabetes e a hipertensão.

A cirurgia bariátrica, conhecida popularmente como “cirurgia de redução de estômago”, é uma das intervenções viáveis para pacientes que não obtiveram respostas satisfatórias a tratamentos anteriores e tenham índice de massa corporal superior a 35 kg/m². Hoje o Brasil já é segundo lugar mundial em número de operações deste tipo, atrás apenas para os Estados Unidos.

A boa notícia é que esse tipo de procedimento cirúrgico está evoluindo cada vez mais e Manaus está participando ativamente desse processo. A última novidade foi o advento da cirurgia bariátrica por Videolaparoscopia Single Port (do inglês, portal ou acesso único), pela qual é feita apenas uma incisão cirúrgica na região do umbigo. O procedimento deve estar disponível na cidade a partir do próximo semestre.

Segundo o cirurgião bariátrico amazonense Victor Dib, que está na Espanha finalizando formação específica para atuar nesse tipo de cirurgia, a técnica reduz o tempo de recuperação, os riscos de infecção, é menos dolorosa e ainda tem maior benefício estético, pois praticamente não deixa marcas. “Com as evoluções tecnológicas e das próprias equipes cirúrgicas, as cirurgias bariátricas se tornam cada vez menos invasivas”, explica o médico.

“A videolaparoscopia acarreta menor trauma cirúrgico. Quatro a seis horas após a cirurgia, o paciente já pode andar sem dor e o restabelecimento em todos os aspectos - pulmonar, sanguíneo... – é favorecido”, completa o diretor do Instituto Victor Dib, exemplificando: “Depois de dois, três meses, uma paciente mulher, por exemplo, já pode ir para a praia de biquíni que ninguém dirá que fez cirurgia”.

No entanto, o especialista pondera que não é o paciente que decide se vai ou não fazer a cirurgia. “É o cirurgião bariátrico quem vê essa necessidade”, defende ele.

Indicação

A cirurgia bariátrica é indicada em pessoas com IMC superior a 35 kg/m² que não tenham tido resultados satisfatórios com outros métodos;

A videolaparoscopia é feita com auxílio de uma endocâmera, que permite ao cirurgião ter maior precisão no procedimento;

Com a cirurgião em um só corte no umbigo, é possível um tempo de recuperação maior, assim como menos riscos de infecção, além dos benefícios estéticos, já que, após 2 meses, o corte no umbigo praticamente some;

A videolaparoscopia é feita com o auxílio de uma endocâmera, que permite ao cirurgião ter maior precisão no procedimento;Pacientes submetidos à cirurgia bariátrica tendem em perder muito peso, mas as mudanças de hábitos de vidasão imprescindíveis; há casos em que os pacientes chegam a retornar ao peso que tinham antes da cirurgia.

IMC

Para calcular o Índice de Massa Corporal, basta dividir o seu peso pela altura elevada ao quadrado. Entre 18,5 e 24,99, o peso é considerado normal. Entre 30 e 34,99, é a chamada obesidade I. Entre 35 e 39,99, obesidade II e acima de 40, obesidade mórbida.

Publicidade
Publicidade