Terça-feira, 21 de Maio de 2019
ENTREVISTA

Da televisão aos clássicos no teatro: ator Felipe Simas conquistou seu espaço

Prestes a desembarcar em Manaus, ator global falou em entrevista ao BEM VIVER sobre a carreira e o desafio para conquistar espaço na arte



PORTAL_RODRIGO.jpg
Para o ator global Felipe Simas, tanto gravar novelas, quanto atuar no palco são desafiadores (Foto: Divulgação)
22/01/2017 às 05:00

Aos 23 anos, Felipe Simas, que estreou na televisão em 2012 e logo no ano seguinte ficou famoso no papel do vilão "Cobra", de "Malhação", virá a Manaus, onde apresentará “Romeu e Julieta”. O clássico de William Shakespeare terá duas sessões no Teatro Manauara, nos dias 4 (21h30) e 5 de fevereiro (18h). Os ingressos já estão à venda na bilheteria nos valores de R$ 40 (Setor B) e R$ 50 (Setor A).

Enquanto não desembarca na capital amazonense, o ator concedeu entrevista exclusiva à equipe do BEM VIVER. O carioca passou parte da infância nos Estados Unidos e revelou que, na verdade, sonhava ser jogador de futebol, mas que por vontade divina encontrou seu propósito de vida no teatro. E confessou, ainda, ter se descoberto na “Dança dos Famosos”.

Sua estreia nos palcos foi cedo, aos 15 anos. Ser ator era um sonho de infância?
Acredito que somos todos peças usadas por Deus. Por algum motivo, Ele escolheu que eu fosse usado na arte. O meu sonho, desde criança, era ser jogador de futebol... Lutei e tentei realizar esse sonho, mas a realidade foi mudando meu pensamento. Hoje, sei que minha vida não é o que eu sonho pra mim e, sim, para as pessoas ao meu redor.

Uma parte da sua infância foi nos Estados Unidos.  Na sua opinião, qual é o melhor cenário para crescer profissionalmente: Brasil ou EUA? Hollywood ainda é uma ambição de carreira?

Pelo pouco que sei e entendo, sinto que nos Estados Unidos, não só o ator, mas qualquer profissão é mais valorizada que aqui. Não falo financeiramente, falo do respeito pela escolha profissional de um ser. Deve ser consequência de uma política mais incentivadora. Tenho planos de ir, mas no momento certo.

Você atuou em ‘Capitães de Areia’ e, agora, é protagonista de um sucesso de Shakespeare. Apresentar clássicos é mais desafiante?

Talvez, a linguagem de Shakespeare seja mais distante da nossa realidade. Mas não podemos colocar isso como desculpa e, sim, nos apropriar ainda mais das palavras... Fomos muito bem ensinados e treinados pelo nosso diretor a fazer isso. ‘Capitães de Areia’ foi uma peça comemorativa dos 20 anos do grupo Capoeira Brasil, fundado pelo meu pai, Mestre Boneco, junto com o Mestre Paulinho Sabiá e Mestre Paulão do Ceará. Foi meu primeiro contato com o palco e a primeira vez que eu senti algo parecido com o que sentia quando jogava futebol. Me diverti bastante.

Você foi campeão da “Dança dos Famosos” com a Claudia Ohana e mostrou que não apenas atua, mas dança. Já pensou em tentar um papel na Broadway?

Tenho vontade de fazer musicais. Penso em dar início a essa vertente aqui mesmo, no Brasil. Existem profissionais que merecem muito respeito e sei que acrescentariam muito a minha carreira. Mas, como tudo na vida, eu preciso ter um tempo de estudo e dedicação antes de pensar em me apresentar.

Qual é o maior desafio de cada trabalho (teatro e TV). Você tem uma preferência?

O ser humano tem uma capacidade incrível de adaptação. Quando iniciei na TV, achava muito estranho e diferente do teatro. Foi um tempo difícil até entender o mecanismo que é fazer uma novela. Quando voltei aos palcos, com ‘Romeu e Julieta’, senti a mesma dificuldade por já estar adaptado à TV. Penso em transitar pela televisão, teatro e cinema o máximo possível, em busca da qualidade do projeto, é claro, para não ficar tão distante do registro cênico que cada veículo nos traz. O maior desafio, como nosso diretor diz, é ‘se divertir fazendo comédia e se divertir, ainda mais, fazendo drama’.

Como lida com a fama e as fãs após começar a fazer novelas (especialmente Malhação)?

Lido de uma forma simples, sei que é tudo passageiro. O que fica é o que eu causei de mudança nas minhas fãs e o que elas mudaram em mim. Nos entendemos muito bem e agradeço pelo carinho que elas têm por mim e pela minha família.

Perfil

Felipe Sang Simas nasceu no Rio de Janeiro no dia 26 de janeiro de 1993. É filho do ator e capoeirista Beto Simas e Ana Paula Sang, Felipe também é irmão dos atores Rodrigo Simas e Bruno Gissoni, este último apenas por parte de mãe. Sua primeira participação na TV foi em 2013 na novela Flor do Caribe, no ano seguinte foi escalado pra viver o vilão rebelde Cobra na 22ª temporada de Malhação. Em 2015 protagonizou ao lado de Marina Ruy Barbosa, Juliana Paes e Fábio Assunção, a novela Totalmente Demais.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.