Sexta-feira, 04 de Dezembro de 2020
Literatura

Romances manauaras são contemplados no 'Prêmios Literários Cidade de Manaus'

Os romances “Tocaia do Norte”, de Sandra Godinho, e “Terra Úmida”, de Myriam Scotti, são os escolhidos locais em meio à longa lista de selecionados



Tocaia_do_Norte_418E00EF-FC36-401A-B1AC-4FB1340A4101.jpeg "Tocaia do Norte" levou o Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela, na categoria nacional (Foto: Divulgação)
28/10/2020 às 12:23

Destinado aos escritores brasileiros que possuem obras literárias inéditas, o Concurso Prêmios Literários da Cidade de Manaus premiou onze obras em sua nona edição. Os romances “Tocaia do Norte”, de Sandra Godinho, e “Terra Úmida”, de Myriam Scotti, são os únicos representantes locais a compor a lista de contemplados.

Finalizado em abril deste ano, “Terra Úmida” trata sobre relações familiares, tendo como pano de fundo o ciclo da borracha e a chegada dos judeus marroquinos à Amazônia. A autora – que iniciou sua trajetória como escritora em 2014, com histórias infantis e crônicas maternas – comenta que a obra nasceu a partir de um dos contos de seu e-book “Éden Tártaro” e de um ‘empurrão’ do revisor do projeto. “Ele mandou um e-mail falando que tinha ficado muito curioso pela história da personagem do primeiro conto e disse que talvez saísse um bom romance dali”, detalha.



Após o incentivo, Myriam – que é formada em Direito pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) – tomou para coragem para se inscrever em um curso específico sobre preparações de romance e dar início a sua primeira história nesse gênero textual. A obra foi escrita entre 2017 a 2020.

Quando o romance finalmente ficou pronto, a autora decidiu se desafiar mais uma vez, inscrevendo o texto no Concurso Prêmios Literários da Cidade de Manaus. A aposta deu certo: com “Terra Úmida”, ela conquistou o Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela, na categoria regional. Segundo Myriam, foi emocionante ver sua obra entre as contempladas. “Demorei para acreditar que era mesmo meu nome na lista de vencedores”, ressalta.

A expectativa é que o livro chegue às prateleiras das livrarias em 2021, pela editora Penalux, também responsável pela publicação de “Mulheres Chovem”, segunda coletânea poética de Myriam a abordar o universo feminino, lançada em maio deste ano. “Quando a editora souber do prêmio, já houve convite para o livro sair ano que vem. Então estou na expectativa de que, até final do primeiro semestre do próximo ano, consiga lançar ‘Terra Úmida’”, pontua.

Romance histórico

Quem também teve uma obra representando a capital amazonense entre os agraciados foi Sandra Godinho, com “Tocaia do Norte”, que levou o Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela, na categoria nacional. No ano passado, a escritora também integrou a lista com “O Verso do Reverso”, na categoria contos regionais.

Lançado neste segundo semestre pela editora Penalux, “Tocaia do Norte” faz um registro histórico do massacre da expedição do padre Giácomo Chiarelli em 1968, no território dos indígenas da tribo Waimiri-Atroari. A obra se baseia no relato do livro “Massacre”, do padre Silvano Sabatini. “De lá, tirei as informações e ficcionalizei, criando o protagonista da obra, um seminarista de 17 anos. O livro retrata todo um conflito pessoal dele, que presencia a expedição com o padre e tem um papel fundamental pra trazer essa memória. É um romance histórico”, destaca Sandra.

A autora – que mora em Manaus há 18 anos – fala que trabalha no romance há cinco anos, entre idas e vindas, escrita e reescrita. Não à toa, tem uma grande afeição pelos personagens, que a tornam cúmplice de seus conflitos, internos e externos. “O prêmio representa a coroação desse trabalho, o que é muito gratificante, mas busca refletir também sobre a questão do índio, das riquezas da região Amazônica e um viés de desenvolvimento econômico sustentável”, assevera.

O resultado da premiação foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) da sexta passada (16), com o nome de todos os vencedores, de suas respectivas categorias, obras e denominações.

PRÊMIO NACIONAL

I – Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela

Obra: Tocaia do Norte

Autora: Sandra Maria Godinho Gonçalves

Manaus/AM

 

II – Prêmio Arthur Engrácio, destinado ao melhor livro de contos

Obra: Cartografias

Autor: Thassio Gonçalves Ferreira

Rio de Janeiro/RJ

 

III – Prêmio Violeta Branca Menescal, destinado ao melhor livro de Poesia

Obra: Entendimento Provisório

Autor: Thiago de Sousa Brandão

Brasília-DF

 

III – Prêmio Péricles Moraes, destinado ao melhor livro de Crônicas

Obra: Fechado para Balanço

Autor: Oldemar Olsen Junior

Rio Negrinho-SC

 

V – Prêmio Aldemar Bonates, destinado ao melhor texto teatral para adultos

Obra: Remodernizar!

Autor: Luiz Eduardo de Carvalho

São Paulo/SP

 

VI – Prêmio Álvaro Braga, destinado ao melhor texto de teatro infantil

Obra: Meus Queridos Monstros

Autora: Morena Arab Cattoni de Vasconcelos

Rio de Janeiro/RJ

 

VII – Prêmio Luís Ruas, destinado ao melhor ensaio sobre literatura (letras)

Obra: Singularíssima Pessoa: Augusto dos Anjos

Autor: Andrey do Amaral dos Santos

Brasília/DF

 

VIII – Prêmio Alfredo Fernandes, destinado ao melhor texto de literatura infantil

Obra: Pra onde foi a Vó Zita

Autora: Márcia Azevedo de Abreu

Campinas/SP

 

IX – Prêmio Áureo Nonato, ao melhor livro de memórias

Obra: Ausência:

Autor: Jacques Fux

Belo Horizonte/MG

 

X – Prêmio Arthur Reis, melhor ensaio histórico

Obra: A Indústria do Amazonas: Memorial Histórico

Autor: Aguinaldo Nascimento Figueiredo

 

PRÊMIO REGIONAL

I – Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela

Obra: Terra Úmida

Autora: Myriam Rachel Benayon Reis Scotti

Manaus/AM

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.