Publicidade
Entretenimento
Vida

Rota dos Chefs é a pedida para o fim de semana em Manaus

Evento gastronômico vai oferecer pratos de chefs de 30 restaurantes no Centro de Convenções Sambódromo 28/08/2015 às 14:19
Show 1
Em sua quarta edição, a feira vai reunir chefs de 30 restaurantes e empreendimentos gastronômicos da cidade, oferecendo ao público pratos especiais a preços populares
JONY CLAY BORGES ---

Os apreciadores da boa gastronomia em Manaus já têm programa marcado para este final de semana: o Rota dos Chefs. Em sua quarta edição, a feira vai reunir chefs de 30 restaurantes e empreendimentos gastronômicos da cidade, oferecendo ao público pratos especiais a preços populares. O evento, que terá ainda atrações musicais e outras novidades, acontece amanhã e domingo, das 17h às 23h, no Centro de Convenções de Manaus (Sambódromo).

Cada barraca da feira terá cardápio com até três opções de pratos, cada qual com preço máximo de R$ 25. Dentre elas, uma será inspirada em iguarias típicas de países da Amazônia Internacional: Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru ou Venezuela. “A novidade desta edição é que definimos um tema, que é ‘Amazônia Internacional’. Cada chef estará representando um país fazendo um prato típico de lá”, explica Paulo Fortunato, um dos organizadores da feira.

A novidade, segundo ele, permitirá tanto levar sabores diferenciados ao público quanto estimular a criatividade dos participantes. “É legal para as pessoas conhecer coisas fora do nosso dia a dia, e interessante também tirar o chef de sua zona de conforto. Eu, que trabalho com comida regional, fui atrás para conhecer o que se come no Equador, tive de cozinhar e fazer testes. Isso abre a cabeça do chef para outras coisas”, diz.

Desse desafio resultaram pratos como o ceviche de pirarucu fresco do Fast Temaki, inspirado na culinária peruana, que será vendido a R$ 20. Ou a empanada do BoraLá Food Truck (R$ 10), baseada na cozinha colombiana e preparada com carne, massa de milho e purê de banana. Dentre as sobremesas, há o Bolo Tres Leches (R$ 10), criação de inspiração boliviana do Miss Doçura. Estas e outras iguarias poderão ser degustadas na Rota dos Chefs.

Paladar à parte, a feira também terá uma programação cultural para o público. Amanhã, a partir das 20h, os visitantes poderão curtir o show do ex-“The Voice” Elias Moreira e sua banda. No domingo, no mesmo horário, é a vez da banda Soda Billy levar seu repertório rockabilly para animar o público do evento gastronômico.

União na gastronomia

O Rota dos Chefs teve sua primeira edição em novembro passado, no Centro Cultural Povos da Amazônia. Já na estreia, a feira gastronômica – inicialmente batizada como Chefs na Rua – mostrou a que veio. “Tínhamos uma expectativa de 2 mil, até 3 mil pessoas para o evento. E acabou que tivemos 6 mil pessoas no primeiro dia, e 7 mil no segundo”, recorda Fortunato.

O chef, que hoje organiza a feira ao lado de Lídia Mota e Zamir Mustafá, foi também o idealizador da iniciativa. A ideia, segundo ele, surgiu após sua participação – e vitória – no prestigiado Prêmio Dólmã, no ano passado, ao ver um dos vencedores da premiação levar seus dois concorrentes ao palco para receber o prêmio.

“Os três pegaram o troféu juntos e fizeram festa. Pensei, ‘Poxa, essa união é uma coisa que não temos em Manaus’”, lembra o chef, citando ainda o exemplo de outro Estado, o vizinho Pará. “Toda vez que se fala em gastronomia amazônica, os caras se remetem ao Pará. Sou paraense, apesar de viver aqui há 25 anos, mas isso às vezes me incomodava. E isso acontece porque eles se vendem bem, são mais unidos”, opina.

Para promover essa união, Fortunato elaborou o projeto da feira gastronômica, que tocou com a ajuda dos amigos Lídia e Mustafá. E, nas feiras e fora delas, a iniciativa vem dando certo. “O intuito era reunir aos poucos os profissionais da gastronomia da nossa cidade. E é o que está acontecendo hoje: depois do Rota, todos se conhecem e vão nos restaurantes uns dos outros”, relata Lídia, lembrando que os chefs locais tinham pouco contato entre si antes da iniciativa. “Demos um grande passo”.

De olho no futuro

Para Fortunato, o Rota dos Chefs é justamente o primeiro passo para um evento maior, que chame a atenção do resto do País e do mundo para a gastronomia local. “Queremos chegar a um evento no nível do Festival Ver-o-Peso, de Belém, para onde vão nomes internacionais, onde chefs de fora são desafiados a fazer pratos com nossos ingredientes, numa grande troca de conhecimentos. E como vamos fazer? Primeiro nos fortalecendo, nos unindo”, declara.

Tirando proveito ainda do Dólmã, que no próximo ano vai realizar sua premiação em Manaus, o chef tem a esperança de colocar o Rota dos Chefs no mapa do País. “Queremos fazer desse um evento nacional, colocá-lo no calendário anual da gastronomia brasileira, e todo ano trazer chefs para cá”, declara ele, destacando antes de tudo o caráter coletivo e abrangente da iniciativa.

“O grande segredo é que existe uma causa. Não é simplesmente uma feira para ganhar dinheiro”, afirma Fortunato. “Mais importante é a união dos chefs, é ter uma classe fortalecida para conseguir algo maior para o Estado. É ter uma gastronomia reconhecida, mostrar que o Amazonas é um Estado que tem muito a oferecer nesse segmento”.

Serviço

O que é: Rota dos Chefs – 4ª edição

Onde: Centro de Convenções de Manaus (Sambódromo), av. Pedro Teixeira, 2.565, Flores

Quando: Dias 29 e 30 de agosto, a partir das 17h

Quanto: Entrada gratuita, com doação de um quilo de alimento não perecível (opcional)

Publicidade
Publicidade