Publicidade
Entretenimento
Gastronomia

Roteiro de sabores para (re)descobrir o Centro Histórico da capital amazonense

Cheia de encantos, a região central de Manaus oferece muitas delícias aos turistas e moradores. Confira as opções: 28/04/2017 às 15:18
Show portal1
Aberto há 11 meses, na rua 10 de Julho, com vista para o Teatro Amazonas, o Caxiri já conquistou o paladar manauara (Foto: Aguilar Abecassis)
Lucy Rodrigues Manaus (AM)

Além da beleza, da história e da arquitetura de seus prédios - herança do período áureo da Borracha- o Centro de Manaus oferece também uma infinidade de sabores. Uma prova é a consolidação de tradicionais e o surgimento de novos espaços gastronômicos, mostrando a resistência e ousadia dos empresários que, sem esperar pelo poder público, estão investindo e apostando na revitalização do lugar. Com isso eles buscam não apenas atrair turistas, mas fazer com que os próprios manauaras (re)descubram e voltem a ter prazer em ir ao Centro. No roteiro dessa semana, o Bem Viver convida o leitor a fazer um passeio e conhecer algumas delícias dessa região por onde Manaus começou.

Calçada alta

Um dos mais tradicionais  de cidade, com influência da gastronomia portuguesa, o bar e restaurante Calçada Alta  (rua Costa Azevedo, 96) completou 30 anos cheio de novidades. O espaço está sendo ampliado com mais um salão climatizado para atender aos clientes. Com a perda recente de seu fundador, o português Antonio Silva, o legado da família e das delícias da cozinha de dona Clementina foram repassados ao filho, Marco Silva, que hoje se desafia diariamente a manter o padrão de qualidade da casa. “Falar de Centro tem que falar do ‘Calçada’. Completamos 30 anos e ficamos muito felizes por essa história de tradição do nosso bacalhau, receita da minha mãe, que atravessa gerações. Nós ampliamos e investimos para que o público de Manaus possa continuar a ter essa referência no Centro”, afirma o sócio-proprietário. Entre os pratos mais pedidos da casa, o Bacalhau à Espanhola, cozido no azeite com cebola, tomate, batatas. O prato custa R$ 150 e serve duas pessoas. O restaurante fica aberto de segunda a sábado almoço e jantar 10h às 22h30. Delivery e reservas: 3234-4081.

 

Caxiri

Funcionando no segundo andar de um dos casarões históricos da rua 10 de julho, com pé direito alto e janelas com vista para o Teatro Amazonas, o Caxiri está aberto há 11 meses e já conquistou o paladar manauara. À frente da cozinha, a chef paulista Debora Shornik, que veio para o Amazonas em 2013 para uma consultoria de dois meses em um hotel de selva em Novo Airão e acabou ficando mais de dois anos na região. “Depois ajudei na abertura de outros dois restaurantes lá, o Flor do Luar e o do Mirante do Gavião”. Agora, junto com outros dois sócios, toca o novo projeto em Manaus. “A gente prioriza os ingredientes da região e usa muito o carvão e a churrasqueira no preparo. Porém, não é simplesmente uma gastronomia regional. Não replico as receitas regionais, as tomo como inspiração para minhas criações”. Entre elas, a Costela de Tambaqui na churrasqueira com gratin de banana pacovã, aiolli de tucumã e dukkah. O prato serve bem uma pessoa e custa R$ 65. O espaço funciona de terça a sexta das 12h às 15h (almoço) e das 19h às 23h (jantar). Há opção de Menu Executivo no almoço e carta de drinques e vinhos. Informações e reservas: 9255044910 / 3304-8700.

 

Casa Monsenhor

Logo na saída do Largo de São Sebastião, na esquina com a rua Costa Azevedo, no número 179, um novo espaço chama a atenção.  Com todos os ares de uma cafeteria charmosa, a Casa Monsenhor  é, na verdade, uma boutique de pães e doces, como explica o chef e proprietário Luiz Fonseca Filho. “Nosso foco não é o café, mas os nossos pães e bolos artesanais, receitas de família inspiradas pela minha vó Nilza, que tinha um talento especial para gastronomia”.
 Economista por formação,  Luiz conta a história da Casa que reúne famílias portuguesas. “A família Façanha vem de Tefé, no Amazonas. Um Monsenhor, que gostava de usar especiarias, influenciou a vovó Nilza. Ela presenteou todos os netos com experiências gastronômicas incríveis, em que as especiarias estavam sempre presentes”. Inspirado por esta história, Luiz, que sempre gostou de gastronomia e fez diversos cursos de panificação, criou as receitas, com misturas exclusivas. Entre elas, os bolos Capuchinho, Monsenhor e, com influência da parte italiana da família, o pão Basílica da Toscana. No lugar é possível tomar um chá ou café acompanhado do pão da casa torrado, croissant, quiche de bacalhau e doces. Os combos custam a partir de R$ 15 e os pães e bolos inteiros R$ 39,90. Aberto todos os dias, das 8h às 11h30 e das 15h às 20h. Delivery aos sábados: 3307-9906.

 

Saiba mais - Outras opções no Centro

O Bistrô Fitz Carraldo, na rua 10 de Julho, no Hotel Vila Amazônia: 3347-7832;
Bar O Jangadeiro,  na rua Marquês de Santa Cruz, um dos mais antigos de Manaus: 3233-4301.

Publicidade
Publicidade