Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
PRESERVAÇÃO

SEC e Iphan fecham convênio para Restauração do Pano de Boca do TA

O processo de restauro do Pano de Boca do Teatro, que está previsto para acontecer em dois anos, contará com recursos de aproximadamente R$ 1,5 milhão do Ministério da Cultura



WhatsApp_Image_2018-12-29_at_15.28.20_B047B59D-1455-4BA6-93F7-0184EE8FF035.jpeg
29/12/2018 às 16:00

Na manhã deste sábado (29/12), no hall do Teatro Amazonas, o secretário de Cultura, Denilson Novo, e a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Manaus (Iphan-AM), Karla Bitar, assinaram o Convênio para Restauração do Pano de Boca do Teatro Amazonas. 

A cerimônia contou com a exibição de um vídeo do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que falou sobre o investimento do  MinC, e com a participação do historiador Otoni Mesquita, que, na ocasião, lançou a nova edição do livro “Manaus: história e arquitetura (1669-1915)".

O processo de restauro do Pano de Boca do Teatro, que está previsto para acontecer em dois anos, contará com recursos de aproximadamente R$ 1,5 milhão do Ministério da Cultura (MinC). 
Durante a cerimônia de assinatura, a superintendente do Iphan, Karla Bitar, destacou a importância da guarda compartilhada do Patrimônio.

“Com a celebração deste convênio, podemos refletir sobre a importância da guarda compartilhada do Patrimônio. Destacamos o grande esforço e mérito do Ministério da Cultura em obter o recurso, assim como da Secretaria de Cultura que, a partir de algumas semanas, deverá iniciar os trabalhos de restauro”, afirmou. “O Iphan do Amazonas, nesse contexto, continuará dando sua contribuição na busca de melhores soluções para a realização deste trabalho”.  

O secretário de Cultura, Denilson Novo, afirma que a assinatura do convênio é a realização de mais um importante passo dessa gestão cultural.

“Trata-se do Pano de Boca original do Teatro, que há mais de dez anos não é utilizado. Há dez anos a população amazonense não tem acesso a toda beleza dessa obra de arte”, comenta. “Considero muito importante tornar acessível à população para despertar o sentimento de pertencimento, porque isso faz parte da nossa história, da nossa cultura”.

Denilson destaca ainda a parceria entre os órgãos. “Estamos muito felizes com a parceria do Minc, via Iphan. Juntos, tornamos possível esse importante passo para o desenvolvimento cultural e preservação do nosso Patrimônio Histórico”, pontua. 

No vídeo exibido durante a cerimônia, o ministro Sérgio Sá Leitão falou sobre o investimento do MinC e afirmou que a restauração é um presente para a população do Amazonas.

 “Estou feliz de terminar minha gestão no Ministério da Cultura honrando o compromisso que assumi quando estive em Manaus, em junho de 2018. Os recursos já estão disponíveis, já foram repassados, toda burocracia foi vencida e o trabalho de restauro pode começar”, comenta. “É sensacional que possamos dar esse presente de final de ano para a população amazonense, para os amantes da cultura, para os entusiastas do Teatro Amazonas. Espero que o trabalho seja realizado em altíssimo nível e que em breve possamos apreciar esse belíssimo item”.

Lançamento de livro – Na ocasião, o historiador Otoni Mesquita lançou a nova edição do livro “Manaus: história e arquitetura (1669-1915)” e parabenizou a iniciativa.

“Como cidadão que sou, quero parabenizar o Iphan e a SEC pela iniciativa e, principalmente, agradecer pela preservação desse importante bem que integra o Teatro Amazonas”, disse. “Acredito na importância da divulgação desse feito para que a população possa criar uma relação afetiva com esse bem”. 

Processo para o restauro – Durante análise do projeto de restauro, o Iphan trouxe para Manaus a técnica Cláudia Regina Nunes, especialista na área têxtil, da superintendência do Iphan no Rio de Janeiro, para somar conhecimento com a equipe de restauro da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

As tratativas para o investimento na restauração aconteceram ao longo de 2018 e o anúncio oficial foi feito pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, no mês de junho, durante visita ao Amazonas.
O Pano de Boca do Teatro Amazonas foi confeccionado em 1894, pelo artista brasileiro Crispim do Amaral, e descreve o encontro dos rios Negro e Solimões. O item é uma das peças mais raras deste que foi o primeiro monumento tombado em Manaus pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.