Publicidade
Entretenimento
Vida

Segurando a ansiedade, pais descobrem sexo do bebê no 'Chá da Revelação'

O evento nada mais é do que um chá de bebê tradicional, mas com o bônus da grande descoberta da gestação. Alguns cuidados, no entanto, devem ser tomados: os pais devem ornamentar o local da festa com as cores rosa e azul, bem como projetar doces e demais itens em referência aos meninos e meninas 18/09/2015 às 16:18
Show 1
Larissa Pascarelli e seu marido durante chá que revelou a pequena Maria Luíza
Laynna Feitoza ---

Descobrir o sexo do bebê vindouro é, sem dúvidas, um momento marcante para qualquer família. Hoje, porém, esse momento está se distanciando cada vez mais de ficar restrito a uma sala pequena, com o pai, a mãe e um obstetra explicando o que significa as características explícitas na tela do ultrassom. Uma nova forma de revelar o gênero da criança é o chamado “Chá da Revelação”, uma celebração cujo bolo tem significado ainda mais delicioso que o próprio sabor: ele revela, por meio de seu recheio – que pode ser azul ou rosa - se o bebê é menino ou menina.

O evento nada mais é do que um chá de bebê tradicional, mas com o bônus da grande descoberta da gestação. Alguns cuidados, no entanto, devem ser tomados: os pais devem ornamentar o local da festa com as cores rosa e azul, bem como projetar doces e demais itens em referência aos meninos e meninas. Brincadeiras com os convidados também podem ser feitas, como pedir para que marquem em um painel as suas apostas: divididas entre quem acha que a criança será menino e quem crê que virá uma menininha por aí.

Quem viveu

A dentista Larissa Pascarelli, 25, e o publicitário Erick Salzer, 32, não veem a hora de Maria Luiza, em seu sexto mês na barriga da mãe, chegar. Mas para saber se a criança se chamaria Maria Luiza mesmo foi preciso pesquisa para dar uma cor mais viva à ocasião. “Quando resolvi realizar uma festa para anunciar o sexo do nosso bebê, pesquisei na internet uma maneira mais original e divertida. Foi lá que descobri o Chá de Revelação”, coloca a futura mamãe, que se reservou ao desejo de não saber o sexo antes que o momento do chá chegasse.

“Realizei o exame e pedi ao médico para não me falar e escrever em um papel, colocá-lo em um envelope, e lacrá-lo. Este documento foi enviado pela minha sogra, Maria Elaine, direto para a boleira Vania Lopes (@vaniabolos), que até o momento seria a única pessoa com acesso ao resultado que revelou o sexo do bebê”, coloca ela. O bolo teve sua parte exterior confeitada com os dois temas (menino e menina). “Só o recheio que foi feito de acordo com o gênero dela”, dialoga.

Neste caso, o recheio veio na cor rosa, com sabor de doce de leite. “Quando o bolo fosse cortado, se fosse rosa, seria menina; se fosse azul, seria menino. O nosso revelou que o bebê seria uma menina”, realça. Como Larissa e Erick só souberam do resultado no chá da revelação, ela explica que lutou para controlar a ansiedade. “Eu tentei não pensar nisso e foquei na preparação do chá. Meu marido não tinha preferência, se menino ou menina, mas gostaria muito que fosse menina, uma vez que era meu sonho ser mãe de uma”, relembra.

Larissa descreve que não houve prazer melhor do que descobrir o sexo da filha junto de sua família e amigos, além de ver a alegria de cada um deles em saber que seu sonho havia sido realizado. “Foi tanta emoção que algumas pessoas chegaram a ficar preocupadas comigo, uma vez que chorava copiosamente de alegria e não conseguia sequer falar de tanta emoção. Foi um momento mágico que compartilhei com as pessoas que mais amo e com certeza será sempre um dos momentos mais felizes de minha vida”.

Segredo guardado

O pequeno Samuel Levi já chegou, enchendo a vida dos pais, a médica Natálie Picanço, 27, e o administrador Igor Levi, 27, de felicidade. Com pesquisas na Internet e principalmente motivada pela cunhada, a doceira Francine Gall (@cicicakedoces), Natálie levou a ideia adiante. “Minha cunhada me ajudou com todos os preparativos, doces e o bolo maravilhoso, metade bailarina e metade suspensório, que nós amamos”, conta. No dia D, a irmã de Natálie, Évellin, não mediu esforços para animar os convidados do chá, na expectativa do grande resultado.

Por ser médica, Picanço logo reconheceu as imagens quando foi com o marido fazer o exame de ultrassonografia para ver o sexo. O pai do bebê, segundo ela, estava muito nervoso e acabou não aguentando a ansiedade. “Ele perguntou do doutor, então nós já sabíamos, mas não contamos para ninguém. Toda a nossa família e amigos estavam apreensivos para saber da novidade, mas não contamos nada, nem para os nossos pais. O corte do bolo foi o grande momento da revelação do sexo do nosso bebê, inclusive para as crianças da nossa família”, declara.

Para aguçar a curiosidade, os pais de primeira viagem fizeram suspense e brincavam com todos da família a respeito do sexo do filho. “Não contar para os nossos pais foi a parte mais difícil, mas levamos de letra para a brincadeira valer a pena. Estávamos muito ansiosos e na expectativa de tudo dar certo”, lembra ela. Durante a festa, a irmã da médica fez várias brincadeiras para gerar ainda mais suspense em torno do gênero da criança. “Dividimos em dois grupos, os que torciam para ser menino, e os que torciam para ser menina. Após brincadeiras fomos para a grande revelação ao cortar o bolo”, encerra ela.


Publicidade
Publicidade