Publicidade
Entretenimento
Vida

Simbiose amazônica: série fotográfica 'Cabocla' tem foco na mulher e na natureza

A série do fotógrafo Rodrigo Vale deve ser concluída e exposta em novembro. Nas fotos, a beleza e a integração da mulher nativa com a floresta dão o tom 11/09/2015 às 15:16
Show 1
O fotógrafo espera montar uma exposição com a série em novembro
Lucas Jardim Manaus (AM)

O estilo de vida amazônico e a beleza da mulher nativa, vistos através de uma lente curiosa e poética. Esses são os focos da série Cabocla, do fotógrafo Rodrigo Vale.

Desenvolvida desde o mês de julho, o projeto teve raízes nas viagens que Rodrigo fez ao interior do Estado a trabalho. “Eu sou designer por formação e trabalho na [Universidade Federal do Amazonas] Ufam. O departamento ao qual estou subordinado tem uma licenciatura voltada para a população indígena e, por conta dela, visitei várias comunidades para ensinar atividades ligadas ao design, como edição de vídeos e imagens”, explicou, em entrevista ao BEM VIVER.

Contato

Esse contato com a natureza selvagem e com as populações indígenas foi o que despertou a atenção de Rodrigo, mexendo com seu interesse por fotografia, que remonta os tempos de faculdade.

“Eu já sabia que queria fotografar, mas foi esse cenário amazônico, foi esse contexto que me colocou mais em ação para fazer uma série. A verdade é que pouca gente tem acesso a essa realidade; eu mesmo só tive por causa das viagens de trabalho”, contou.

A distância física é um grande empecilho, com Rodrigo contando histórias de longas viagens feitas por barcos ou aeronaves diminutas, porém outra distância também é destacada pelo fotógrafo.

“Durante a pesquisa para a série, eu descobri que quando se fala em indígenas, há um profundo preconceito, inclusive vindo de pessoas daqui [do Amazonas]. Quando não há preconceito, há um grande desconhecimento”, desabafou.

As problemáticas viraram, então, o ponto central dos ensaios. “O objetivo passou a ser divulgar a cara amazônica mesmo. A partir disso, trabalhar a nudez feminina da mulher nativa, com um tom bastante artístico que vai passar por diversos processos na edição”, pontuou.

Beleza

Enquanto ainda tabu para alguns, a nudez de ‘Cabocla’ entá sempre entranhada nos ambientes escolhidos como cenário, de maneira que as mulheres e o lugar tornam-se um.

Nesse sentido, a escolha das modelos foi totalmente direcionada pela necessidade dessa integração, ponto-chave da série. “Considerando o tema, era importante que as modelos representassem a beleza amazônica, que não é necessariamente 100% indígena. As misturas são importantes para o projeto, principalmente as com negros. Em suma, as mulheres selecionadas tinham alguma característica, seja um tom de pele ou um tipo de cabelo, que se encaixava mais com a proposta”, comentou.

Para Rodrigo, a maneira como elas aparecem nas fotos também apresenta um link, ainda que inadvertido, com o contraste entre selva e cidade que marca o Amazonas.

“Você nota claramente que essas mulheres não são índias, que elas vivem na cidade. Algumas têm tatuagens, por exemplo, que associamos a um meio urbano. Nas fotos, no entanto, elas vestem roupas e acessórios do passado, e você tem esse paralelo”, detalhou o fotógrafo.

Futuro

Durante nosso bate-papo, Rodrigo menciona que fará um ensaio da série assim que a entrevista terminar. Isso mostra um pouco de como as atividades do fotógrafo estão a todo vapor no intuito de concluir o projeto. Ele comentou que ainda têm alguns ensaios planejados antes da edição das fotos, que deverá ver um grande número de intervenções no material captado.

Para Rodrigo, a pós-produção será uma etapa importante da obra pois vai ser a parte em que o seu lado designer vai dialogar mais intensamente com seu lado fotógrafo.

“Por um lado, vou atuar sobre toda a noção de imagem que vem da fotografia. Por outro, tem uma porção de coisas que posso construir no computador mais tarde, totalmente baseado no design”, comentou. O fotógrafo disse ainda que espera, até novembro expor a série ‘Cabocla’ totalmente pronta.

Publicidade
Publicidade