Publicidade
Entretenimento
MUDANÇA

Lorena Simpson lança primeiro single em português em forma de manifesto político

'Eu Quero Mais' é um clamor por mudanças positivas e traz videoclipe poderoso dirigido por Daniel Alfaia, com grandes referências mas sem deixar de lado as coreografias 03/10/2018 às 15:36
Show capturar ea2f915a 147f 4af5 8334 eac24f1c126f
Clipe tem direção de Daniel Afaia, parceiro de longa data da cantora.
Maria Paula Santos Manaus (AM)

Com um videoclipe que transita entre um grito necessário e um manifesto sociopolítico, a cantora Lorena Simpson, manauara que saiu da capital para se tornar a rainha da Tribal House Music mundo afora, lançou “Eu Quero Mais”, sua primeira música gravada em português ao longo de 10 anos de carreira.

“Na verdade, eu já estava tentando encontrar essa música na nossa língua nativa há um tempo, até cheguei a gravar duas ou três músicas nesse meio tempo, mas meu coração ainda não tinha batido o martelo, falado que era essa. E agora eu consegui, junto com os meninos do Estúdio Pancadão, e o resultado é esse single ‘Eu Quero Mais’”, disse a cantora.

Com uma carreira consolidada também lá fora, Lorena diz que a mensagem chegou bem aos fãs do exterior. “Além dos fãs brasileiros que moram no exterior, tem os amigos desses fãs. Já chegaram mensagens de amigos americanos, alemães, muitos acompanham o momento político brasileiro e a receptividade tem sido bem legal”, afirmou.

Referências e Influências

Tanto a letra da música quanto seu videoclipe são carregados de mensagens fortes e referências atuais sobre a situação política do País, uma prova de que a artista queria transmitir uma mensagem ao seu público - mesmo que tenha optado por não se posicionar sobre esta questão específica na entrevista.

“A música é sobre mudança. Logo após cantar ‘Eu quero mais’ , canto duas das frases mais fortes da música: ‘vou te mostrar’ e ‘nada muda se você não mudar’, então a música é sobre mudanças que podem ser pequenas na gente e em nossas vidas, mudanças pro melhor, para o amor e que a gente reverbera no mundo. Então se queremos um mundo melhor devemos começar com elas dentro da gente, é muito fácil exigir no outro e difícil fazer com nós mesmos. E quando conseguimos não com uma exigência, mas querer por querer, a gente percebe que se espalha e se sente bem e com vontade de continuar a seguir em frente, progredindo e mudando, abrindo a cabeça para novos pensamentos e ns atualizando sobre os assuntos do mundo”, comenta ela..

Além disso, Lorena Simpson consolida sua inserção no movimento pop junto desse novo single, trazendo à tona as referências que levaram à escolha por um clipe cheio de coreografia, cores e mensagens políticas devidamente escancaradas para o público.

A genialidade da junção de todos esses temas de forma forte, porém sutil, rende então incansáveis elogios para toda a equipe de direção e produção do clipe, desde a fotografia até a escolha do elenco. Lorena mostrou não só sua voz social e artística, como de toda sua equipe, em uma produção digna de estúdios renomados mundialmente.

Saiba Mais

Gravado em São Paulo com direção de Daniel Alfaia, parceiro de outros clipes de Lorena, o vídeo de “Eu Quero Mais” traz representatividade, diversidade, críticas sociopolíticas e sensações que passam do enclausuramento à liberdade, em clima poético, coreografia contemporânea e cenas sensoriais. “Essa era nossa intenção, não só minha como artista mas de toda a equipe criativa do clipe. Queríamos um clipe que passasse sentimento ou fizesse as pessoas refletirem e sentirem coisas. Estamos tendo respostas bem positivas e estou muito orgulhosa do resultado”, disse a cantora.

Três Perguntas - Lorena Simpson, Cantora.

São 10 anos de carreira, como você enxerga sua evolução e seu momento artístico atual?
"É uma data pra refletir mesmo, olho para trás e vejo uma história linda que construí com a ajuda de muita gente, percebo uma evolução artística também muito linda. Enxergo meu momento atual muito mais maduro, como pessoa e como artista, mais certa do que quero – não que antes não fosse – mas com 31 anos me sinto com pés mais no chão para conseguir crescer com mais força".

Uma das suas principais marcas são as músicas dançantes e coreografias animadas. Acha que um dia isso pode mudar?
"Não pretendo abandonar essas marcas do meu trabalho, entrando agora para o momento pop continuo trazendo isso mas de uma forma diferente, já trouxe inclusive nesse novo trabalho. A música é dançante mas não é como antes e a coreografia tem uma linguagem nova, mais contemporânea. E acredito que daqui pra frente continue mostrando a movimentação, mas com outras leituras".

Alguma vez já sentiu preconceito por suas raízes?
"Acho que não, uma grande parte do meu público nem sabe que sou brasileira, imagina de Manaus. Agora com esse novo trabalho, muitos descobriram e ficaram surpresos, mas sempre bem felizes. Nunca encontrei problema no meio do caminho e muito menos me senti desvalorizada por ser de onde sou. Manaus está no meu coração, no meu sangue e alma, é minha raiz e referência, trago tudo da região em mim".

Publicidade
Publicidade