Publicidade
Entretenimento
Vida

Sob o olhar de especialistas: concurso fotográfico ‘Onde Passo?’ apresenta jurados

Encerra no dia 2 de outubro as inscrições para o concurso fotográfico da Manauscult, que busca novos olhares do Centro Histórico de Manaus 29/09/2015 às 10:34
Show 1
Clóvis Miranda (em pé), Óscar Ramos e Alex Pazuello integram o júri
acritica.com Manaus (AM)

Cinco profissionais premiados, e que são referência local em suas áreas de atuação, irão compor o júri do concurso “Onde passo?”, realizado pela Prefeitura de Manaus por meio da Fundação de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). O concurso irá selecionar 24 fotografias do Centro da cidade, produzidas por fotógrafos e/ou amadores, para uma exposição.

O presidente do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, o curador do Paço da Liberdade, Óscar Ramos e os fotógrafos Clóvis Miranda, Raphael Alves e Alex Pazuello integram a comissão do concurso que faz parte da programação em comemoração ao Aniversário de Manaus (24 de outubro). “Queremos estimular um olhar diferenciado sobre o nosso Centro, para que as pessoas enxerguem as belezas que temos ao redor. Por isso também escolhemos profissionais que tem um trabalho com essa proposta para compor o júri”, disse o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

Além do “Onde Passo?”, o editor de fotografia de ACRITICA, Clóvis Miranda, também faz parte do júri do principal concurso na área de jornalismo, o prêmio Esso. “É muito bom você fazer parte de um concurso na sua cidade, estimular que as pessoas olhem ao redor de onde moram para tirar fotografias”, disse. 

Vencedor de dois prêmios Esso (2008 e 2009), Clóvis  reforça que estará bem atento ao que propõe o edital, como o perímetro do Centro histórico que foi estipulado para a realização das fotos, por exemplo. Além disso, o olhar “curioso” também estará entre os critérios de avaliação. “É preciso fugir do óbvio, tem muita coisa para se explorar no Centro de Manaus, muito além dos grandes ícones como Teatro Amazonas e Mercado Adolpho Lisboa, por exemplo. Vale a pena  procurar algum detalhe, uma curiosidade”. O perímetro estipulado está descrito  no edital.

Perfil

Outro jurado é  o diretor-presidente do Implurb, Roberto Moita. Formado pela Universidade Federal do Ceará, o arquiteto e urbanista ganhou diversos prêmios e participou de inúmeros concursos e exposições, como a Mostra Arquitetura no Amazonas, no Museu de Arte de São Paulo (Masp); concurso público de Ideias para Revitalização do Entorno da Prefeitura de Manaus – Centro Histórico, projeto classificado em primeiro lugar (1994); Prêmio Jovens Arquitetos – Museu da Casa Brasileira, com o projeto Parque do Mindu, categoria urbanismo 1999; IV Prêmio Brasilit de Arquitetura – Mostra Nacional, entre outros.

Outro integrante da comissão é Raphael Alves, fotógrafo formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), pós-graduado em Fotografia: Práxis e Discurso Fotográfico pela Universidade Estadual de Londrina e em  em Artes Visuais: Cultura e Criação pelo Serviço Nacional de Aprendizagem  Comercial, além de Mestre em Fotojornalismo e Fotodocumentarismo pela University of the Arts – London/2014. Entre seus principais prêmios estão Mênção Honrosa na XVI Bienal de Arte Fotográfica Brasileira em Cores, Best of Journalism da Society for News Design (SND), 1º e 3º lugares no Prêmio de  Jornalismo Ambiental (2010), 1º lugar no Concurso Nacional de Fotografia (2010), 1º lugar no Concurso Nacional de Fotografia – SENAC (2011),entre outros.

O júri conta também com Alex Pazuello, fotógrafo amazonense que estudou em escolas como S.V.A (School of Visual Arts) e na I.C.P ( International Certer of Photography), realizou trabalhos para veículos nacionais como O Globo, Jornal do Brasil, Folha de S.Paulo e Estado de São Paulo e das revistas Caras e IstoÉ gente, além de ter recebido o prêmio Ayrton Senna de Jornalismo na categoria fotojornalismo.

Completa a comissão o curador do Paço da Liberdade, Óscar Ramos. Profissional das artes visuais, o amazonense fez curso de Pintura Livre no Museu de Arte Moderna de São Paulo, ao lado de mestres como  Ivan Serpa. Foi diretor de arte do filme “ O gigante da América” (1978), dirigido por Júlio Bressane e participou de várias exposições na Bienal Internacional de São Paulo. “Tem certos monumentos de Manaus como o Mercado Adolpho Lisboa, como os novos shopping centers de quem foi camelô, por exemplo, são muito características de uma cidade, elas refletem muito o que uma cidade é, e são temas fantásticos para pessoas como fotógrafos”, dá dica  Óscar Ramos.

Inscrições até o dia 2

As inscrições estão abertas até o dia 2 de outubro. São duas categorias: Fotos Coloridas produzidas por câmeras fotográficas e Fotos Coloridas produzidas com smartphone. Poderão ser inscritas até três fotografias por categoria, mas os concorrentes só poderão se inscrever em uma das duas categorias.

Para participar, é necessário anexar as fotos junto ao formulário de inscrição e declaração de cessão de uso de imagem, devidamente preenchidos e assinados. Os documentos estão disponíveis no site da Manauscult. As fotos deverão ser apresentadas no seguinte formato: as feitas por smartphones devem estar impressas no formato A4 (21cm X 29,7cm) e para câmeras fotográficas em formato A3 (29,7cm X 42cm). Além da impressão, as fotos também deverão ser entregues em CD, DVD ou pendrive.

Também é preciso anexar cópia de RG e CPF e comprovante de residência, tanto para pessoa física quanto para jurídica. As inscrições precisam ser protocolizadas na sede da Manauscult, localizada na avenida André Araújo, nº 2.767, bairro Aleixo, no horário das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Publicidade
Publicidade