Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Vida

Sócios do Caprichoso lançam manifesto de repúdio e pedem eleição já

O documento chama a atenção das autoridades e da nação azul afirmando que o atraso nesta decisão é uma ameaça a participação do Caprichoso no Festival Folclórico de 2014



1.jpg Sócios do Caprichoso lançam manifesto de repúdio e pedem eleição já
02/08/2013 às 07:29

Pretensos candidatos a presidente do Caprichoso se reuniram ontem à noite, em Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) e lançaram um manifesto de repúdio contra a atual diretoria da agremiação folclórica e que pede com urgência a realização da eleição do boi, este ano. O documento chama a atenção das autoridades e da nação azul afirmando que o atraso nesta decisão é uma ameaça a participação do Caprichoso no Festival Folclórico de 2014.

“O Festival Folclórico de 2014 está ameaçado de não acontecer com a disputa entre Garantido e Caprichoso, isto tudo por conta da estratégia da atual presidente do Caprichoso, Marcia Baranda, de tentar se manter no poder”, diz um trecho do manifesto.

A oposição chamou ainda de golpe a prorrogação do mandato da atual presidente Márcia, até o ano de 2016, obtido em Assembléia Geral, que foi derrubada pelo juiz Itamar Gonzaga, da 3ª. Vara da Comarca de Parintins. Marcia recorreu da decisão ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Pelo estatuto do boi o mandato da presidente encerraria em setembro de 2013. A lei maior do bumbá não permite reeleição. O Estatuto também estabelece a realização da eleição no primeiro domingo de setembro, que este ano cairá no dia 1º do referido mês.

“Compromete o festival porque a construção do “boi de arena” inicia logo após a eleição, com a escolha do tema, concurso das toadas, pesquisa, produção de CD e DVD, entre outras atividades que se seguem até a apresentação no Bumbódromo”, disse Rossy. “Foi uma assembléia ilegal e os sócios querem a realização da eleição. Este é o sentimento da nação azul e branca”, completou Joilto.

“Depois de três anos de mandato, acumular duas derrotas para o contrário (2011 e 2013), inclusive o Centenário, Marcia recorre ao Tribunal de Justiça do Amazonas, num ato de desespero, para fazer valer a inconsistente decisão da Assembleia Geral que lhe concedeu, sem fundamentos ou amparo legal, mais três anos de mandato (2013/2016)”, diz um outro trecho do manifesto que é assinado pelos sócios Joilto Azêdo, Rossy Amoedo, Francisco Caromba, João do Carmo Careca, Narciso Picanço, Affonso Piranha que pleiteiam disputar a presidência do boi.

“Pelo estatuto hoje a presidente deveria nomear a comissão eleitoral, para receber as inscrições de chapas”, disse Caromba. “Nos 15 dias antes da eleição teria que ser baixado o edital para a eleição”, completou Affonso.

A reportagem tentou falar com Márcia no seu telefone celular que caiu na Caixa Postal. Assessores informaram que a presidente está viajando.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.