Publicidade
Entretenimento
Vida

Sorriso (quase) perfeito: modelos e artistas com dentes separados fazem sucesso pelo mundo

Tops e celebs com diastema fazem sucesso na moda e no circuito pop mundial; no Brasil ainda há bastante rejeição 07/08/2015 às 17:03
Show 1
Georgia May Jagger: filha de Mick Jagger já emprestou beleza a Versace, Miu Miu e outras
Jony Clay Borges Manaus (AM)

O que têm em comum a cantora Madonna, a atriz e cantora Vanessa Paradis e a top model Lindsey Wixson? Além de figuras famosas, todas exibem dentes da frente levemente separados. Considerado por muita gente uma imperfeição, esse espaço a mais entre os dentes – também denominado diastema – no entanto não as impediu de seguir carreiras de sucesso no mundo pop ou nas passarelas, em alguns casos até tornando-se uma espécie de marca pessoal. Nos últimos anos, outros nomes se uniram a elas, destacando-se como ícones de beleza pelo mundo.

Madonna: dentes levemente afastados chamam atenção no sorriso da diva pop (Divulgação)

Neuza Borges: uma das raras atrizes na TV brasileira com diastema (Divulgação/TV Globo)

Não é exatamente uma novidade: muitas décadas atrás, Brigitte Bardot se destacou no cinema, e se tornou até símbolo sexual na década de 1960. Mas a lista hoje é maior: além de Lindsey, norte-americana que já desfilou para Versace e Prada, entre outras marcas, outras modelos com dentinhos separados hoje nas passarelas são a britânica Georgia May Jagger, filha do Rolling Stone Mick Jagger; a norte-americana Ashley Smith; e as holandesas Lara Stone e Iekeliene Stanger.

Lindsey Wixson: na lista das "Top 50 Models Women" da Models.com (Divulgação)

Brigitte Bardot: símbolo sexual nos anos 1960 já exibia diastema (Divulgação)


BEM ME QUER...

Embora já seja mais aceito no cenário internacional, no Brasil o diastema ainda é fatal, por assim dizer, para modelos ou artistas de televisão. O produtor Luppi Pinheiro, que trabalha com casting (seleção de atores ou modelos) para TV e cinema, afirma que a lacuna entre os dentes já elimina qualquer chance do candidato a uma produção audiovisual. “Pode ser até um diferencial da pessoa, como alguém que é magrelo, mas é bonito. Mas, pela minha experiência, a pessoa é eliminada. Em TV isso é certo”, sentencia.

No universo da moda não é diferente. John Lima, diretor de casting da By Four Models Agency, de Manaus, assinala que “a indústria da moda estabelece padrões de imagens e perfis a serem seguidos”. “Modelos com diastema em início de carreira podem enfrentar um grande problema”, diz o booker. Ele acresce que há poucas ou nenhuma modelo de renome com esse perfil no Brasil, e que mesmo lá fora ostentar dentes separados pode não ajudar. “(Nem mesmo) ‘New Faces’ ao redor do mundo conseguem deslanchar na carreira sem ter feito correções”.

A rejeição ao diastema nas passarelas ou na TV ecoam um sentimento um tanto generalizado na sociedade. O sorriso perfeito, sem falhas, continua a ser o ideal. Por isso, não só futuros modelos ou artistas se veem pressionados a ter um sorriso sem lacunas, mas também pessoas públicas e inúmeros anônimos. Luppi foi um deles.

“Meus dentes eram só um pouquinho separados. Não foi por nada, mas vi tanto, nos castings, diretores dizendo, ‘Esse tem dentes separados, pode excluir’. Não é que eu vá fazer um teste, claro, pois sou produtor. Mas aquilo me incomodava”, conta ele, que fez tratamento para suprimir a distância entre os dentes.

Vanessa Paradis: diastema é marca pessoal da cantora e atriz francesa (Divulgação)

Ashley Smith: modelo dos EUA já desfilou para Prada, Chanel e Balenciaga (Divulgação)

NO CONSULTÓRIO

Tal como Luppi, muitas outras pessoas buscam se livrar do incômodo com a imagem no consultório do dentista. “Muitos relatam desconforto estético relacionado ao diastema”, afirma Luciana Mendonça da Silva, professora e doutora em Ciências Odontológicas – Dentística. Outras queixas comuns, ela diz, são quanto ao sorriso “infantil”, quando há vários diastemas, ou do “assobio” causado pelo ar passando entre os dentes, durante a fala.

Luciana explica que diastemas podem se originar de nascença ou adquiridos durante o desenvolvimento – por ausência de dentes ou hábitos prejudiciais, por exemplo. Todavia, nem todos os casos exigem tratamento. O importante, segundo a especialista, é ter uma avaliação correta para escolher a melhor forma de tratamento. “Em alguns casos”, explica ela, “pode ser necessária a intervenção ativa com aparelhos ortodônticos ou restaurações”.

Por outro lado, há casos em que o espaço a mais entre os dentes sequer atrapalha a vaidade. Luciana conta já ter recebido pessoas com diastema que, tal como Madonna, Vanessa ou as tops do início desta matéria, nem pensam em corrigir a característica. “Esses espaços se tornam, para esses pacientes, uma marca registrada de seus sorrisos”.

Lara Stone: top holandesa conquistou os holofotes mundiais há dez anos (Divulgação)


Iekeliene Stange: Kenzo, Chloé e Chanel já exibiram visual da top holandesa (Divulgação)


Publicidade
Publicidade