Publicidade
Entretenimento
Moda

SPFW desfila inverno 2017 alertando para os impactos das transformações globais

Até sexta-feira, 31 marcas apresentam suas coleções para o Inverno 2017 na bienal e em locações da capital paulista 15/03/2017 às 14:13
Show ellus n43 0012
A Ellus comemorou 45 anos com desfile remontando toda a trajetória da marca (fotos: Agência Fotosite)
Lucy Rodrigues São Paulo (SP)

Discutindo os desafios de um mundo em transição, a edição número 43 da São Paulo Fashion Week iniciou nesta segunda-feira, 13, no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, com o tema In-Pactos. Até sexta-feira, 31 marcas apresentam suas coleções para o Inverno 2017 na bienal e em locações da capital paulista. Entre as novidades, além de inaugurar o novo calendário da semana de moda - agora em março e final de agosto, aproximando a passarela do varejo-,  seis novas labels integram a temporada de desfiles.

São as marcas Alexandrine com coleção assinada por Dinho Batista, as paulistanas A.Niemeyer, TIG e 2DNM, a mineira Fabiana Milazzo e a Sissa, nova marca de Alessandra Affonso Ferreira ex-Isolda. 

"Os desfiles são hoje mais importantes do que nunca porque, além de ser uma fonte direta de conteúdo e informação, são uma ferramenta de comunicação poderosíssima para gerar desejo e recall imediato de marca", afirma Paulo Borges, diretor criativo e idealizador do SPFW. "A mudança é inevitável. O que funcionava até ontem já não funciona mais. Estamos construindo o futuro e aprendendo juntos", complementa.

Ontem, Vitorino Campos apresentou sua marca própria com um desfile bastante elogiado pelos profissionais de imprensa presentes. “Fez bater meu coração de novo”, afirmou a jornalista de moda Bruna Covacci. “Amei, ele trouxe um mix de tudo, silhuetas assimétricas, xadrez em tons preto e branco, vermelho, amarelo queimado, listras além de alguns vestidos longos e casacos esportivos”, disse a blogger Nina Stein.

Em seu ateliê, a experiente “estreante” Alessandra Affonso Ferreira (ex-Isolda) apresentou a primeira coleção da Sissa, intitulada Mombassa Dendê e inspirada no casamento de seus pais na África. Em vez de desfile, uma apresentação dos modelos, a maioria longos, com tecidos finos e belas estampas florais. Cerca de 16 mil biscoitos de polvilho fizeram parte da decoração do espaço.

O desfile de 45 anos da Ellus fez um resgate aos clássicos da marca como a jaqueta de couro, o jeans e o coturno, somando-se a eles peças românticas e de alfaiataria. 

Ainda na pegada streetstyle, Patbo apresentou coleção que teve forte influência do grafite e do hip hop norte-americano, com moletons, bonés macacões e outras peças esportivas, mescladas às pedrarias e lindos bordados que são marcas da estilista Patricia Bonaldi.

Encerrando o segundo dia de desfiles, Lino Villaventura fez um desfile mais conceitual, com vestidos brancos estruturados e muito metalizado, babados e transparências. 

Primeiro Dia

No primeiro dia de evento foram cinco desfiles: Animale, Uma Raquel Davidowicz, Jõao Pimenta e ainda Lilly Sarti e Osklen. 

 A Animale abriu esta edição pela manhã, no prédio da Bienal no Ibirapuera, com uma coleção inspirada na Itália, trazendo para o dia-a-dia da mulher brasileira referências de Florença, Veneza, Roma, Costa Amalfitana e Milão, a cidade mais explorada pelo estilista Vitorino Campos .

As peças têm recortes geométricos, assimétricos e despojados, com estampa de cobra (nas bolsas e em detalhes em paletós e barras de calça de alfaiataria), maxijoias, transparências e bordados em tweed. Muitas peças dialogam bastante com o clima amazônico.

Depois foi a vez de Rachel Davidowicz apresentar sua Uma no prédio da Pinacoteca. Com peças em  cinza mescla, vermelho intenso e grafite, a coleção apresentou  silhuetas volumosas e leves, que segundo Raquel refletem esse momento em que vivemos que precisa de um "respiro". 

João Pimeira fez um desfile bonito e bastante aplaudido, com inspirações no prêt-à-porter e também na arquitetura gótica. Chamou a atenção a escolha de tecidos inovadores: o Dryshield - membrana impermeável criada a partir do nylon, XPand - neoprene em versão biodegradável criado na impressora 3D e também dois tecidos de jacquard com desenhos do artista Roberto Alencar. Na cartela de cores, branco, off white, azul marinho, roxo e cáqui. Destaque também para as formas e recortes dos ternos e casacos e para as estampas assinadas pelo ilustrador André Juvenil. 

O inverno de Lilly Sarti teve bastante referência dos anos 80, com brilhos e cintura marcada. Na cartela de cores, tons de rosa, salmão, cobre, vermelho e nos modelos bastante brilho, transparências e veludo.

Encerrando o primeiro dia de desfiles, a Osklen, que se inspirou seu inverno na partipação de Oskar Metsavaht no exercício criativo do filme Soundtrack (estrelado por Selton Mello e Seu Jorge) . A beleza das modelos com tons de vermelho no rosto, remetendo  ao frio congelante da Antártida (cenário do filme) e os cabelos duros e desgrenhados chamaram a atenção. Os moletons,  parkas e anoraks oversized compõem a coleção que usa cinza mescla, preto, contrastando com amarelo, azul royal e laranja. 

Até sexta-feira outras 17 marcas desfilam suas coleções. Confira o calendário dos próximos desfiles:

QUARTA
15h30 Isabela Capeto
16h30 Memo
17h30 Fabiana Milazzo
18h30 Apartamento 03
21h Ellus 2nd Floor

QUINTA
11h À La Garçonne
16h Cotton Project
17h Alexandrine por Batista Dinho
18h30 Juliana Jabour
20h Amir Slama
21h TIG

SEXTA
15h Ratier
16h A.Niemeyer
17h Sebrae Top 5 - Adriano Martin, Green & Co., Jardin e PH Praia
18h Reserva
19h30 Amapô
20h30 LAB

 

Para ficar por dentro dos desfiles e bastidores da SPFWn43 acompanhe e siga nossas redes sociais no instagram @bemviverblog

Publicidade
Publicidade