Sábado, 20 de Julho de 2019
Vida

‘Spotted’: correio do amor em tempos modernos

Flerte secreto das antigas ganha versão digital em comunidades de rede social



1.jpg Comunidade permite enviar cantadas anônimas via rede social
27/07/2013 às 10:08

Todo mundo já passou pela situação de se ver subitamente atraído  por outra pessoa, mas não ter coragem ou oportunidade de dar uma cantada, iniciar uma conversa ou mesmo trocar olhares. Pode acontecer em qualquer lugar: no ônibus, no restaurante, num corredor.

Mas se a paixão súbita se der nas dependências da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), os apaixonados podem ter uma segunda chance de se aproximar de suas paqueras por meio da comunidade Spotted: Ufam, aberta há quase quatro meses no Facebook.

A fórmula do grupo é similar àquela dos “correios elegantes” de jornais e revistas das antigas, e já vem resumida na descrição da página na rede social: “Viu alguém interessante pela cantina e não teve coragem de puxar assunto? Conheceu alguém legal no Integração e se esqueceu de perguntar o Face? Mande para a gente o recado ou a situação que tudo entra na página com anonimato”.

As histórias postadas na página mobilizam os universitários internautas, que ajudam a identificar os possíveis alvos dos admiradores anônimos. No final de junho, por exemplo, apareceu um post que dizia: “Gatinho, calouro de Direito, magro, acho que seu nome é Vitor: te vi às vezes no 125, mas deu uma sumida. Trocamos olhares, não sei se lembra, mas estou com uma louca vontade de conversar contigo pessoalmente e ver se você faz Direito mesmo”.

Os amigos identificaram Victor Matos, que ficou surpreso com a cantada virtual: “É uma coisa inesperada. Ainda mais no meu caso, em que a pessoa disse que nós tinhamos trocado olhares, e eu juro que não me lembro disso”, disse ele à reportagem, via rede social. O universitário conta que acha divertido ver as histórias e marcar amigos: “Tem uns posts bem polêmicos”, brinca. E a história dele, como terminou? Bem... “Não encontrei a pessoa, mas adoraria que ela se manifestasse!”, declara, bem humorado.

Cantados e cantadas

Outra “vítima” da paquera virtual foi Manuh Miranda. Um post, que descreve em detalhes como a estudante estava numa festa junina, terminava dizendo: “Gata, me chama de fogueira de festa junina e pula em mim, sua linda!”. Ela diz ficar feliz com as investidas. “Grata pela cantada (risos). Emocionada aqui”, ela respondeu, na página.

À reportagem, Manuh diz que considera a iniciativa “muito engraçada”. Ela mesma já foi alvo de mais de um post: “Só descobri o do primeiro, que foi antes do arraial. Conversamos e somos amigos agora”, conta, rindo.

Alguns posts provocam certa “saia justa”. Como quando Gabriel Di Palma foi alvo de uma paquera – e quem avisou a ele foi a própria namorada, Lia Pimentel. “Ri bastante, afinal a descrição era simplesmente perfeita”, comentou ela. O casal levou tudo na esportiva, e defende a comunidade. “(Ela) me garante boas risadas quando alguém do meu curso é alvo”, afirma Di Palma. “A página deu um gás no ambiente universitário – que na Ufam já é de interação pura”, acrescenta Lia.

Há posts ainda mais ousados. Os administradores da comunidade enumeram exemplos: “Um sadomasoquista pediu uma parceira sadomasoquista; alunos e alunas se declarando para professores; (...) gente que, apesar de uma relação fechada monogâmica, diz abertamente que trai ou quer que a pessoa desejada traia seu parceiro”.

Pela rede

A Spotted: Ufam nasceu a partir de comunidades similares que despontaram na rede. “Surgiu depois que a ‘Folha de S. Paulo’ comentou a criação de comunidades similares mundo a fora e no Rio de Janeiro”, contam os administradores, que são estudantes de Letras, Psicologia, Direito, Filosofia, gays, bi e heterossexuais. Eles preferem não se identificar, para manter a privacidade e a confiança dos internautas.

O grupo ficou um pouco de pé atrás com a ideia, no início. “Achávamos que uma comunidade como essa era irrelevante”, dizem eles. “Mas agora vimos que muitas pessoas não têm coragem mesmo de se declarar”.

E a iniciativa vem dando supercerto. Até a tarde de ontem, a página contava com 1.826 curtidas no Facebook. O resultado até surpreende os gerentes da página: “Não imaginávamos que a comunidade iria crescer tão rápido. Ela cresceu de boca a boca. Não divulgamos nada”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.