Publicidade
Entretenimento
Vida

Suplementação de bactérias ‘do bem’ ajuda na dieta e rendimento físico das pessoas

Iogurte, coalhada, molho shoyu e leite fermentado são algumas fontes de probióticos, bactérias que atuam na recomposição da flora intestinal 14/02/2016 às 20:08
Show 1
Estão disponíveis no mercado uma série de complexos ricos em bactérias probióticas, solúveis ou em cápsulas
ROSIEL MENDONÇA Manaus (AM)

Quem nunca estranhou a expressão “com lactobacilos vivos” estampada em algumas embalagens de iogurte? O termo é uma referência aos microorganismos do gênero Lactobacillus, uma dentre tantas bactérias conhecidas pelos benefícios que podem trazer para o corpo. Sim, nem toda bactéria tem potencial maligno. Nesse momento, cerca de 10 bilhões delas estão ocupando cada milímetro quadrado do seu intestino para garantir que ele funcione bem. 

Essas bactérias, conhecidas como probióticos e também encontradas no leite fermentado e molho shoyu, atuam diretamente na recomposição da flora intestinal, que auxilia na absorção correta dos nutrientes. E um organismo equilibrado deve ser a primeira meta dos que buscam dietas para perda de peso ou desejam ganhar massa muscular.

Pós-graduada em nutrição esportiva e funcional, a nutricionista Flávia Ignez vê os probióticos como a primeira suplementação a ser implementada nesses casos. “Antes de tudo você tem que tratar o intestino, que é o nosso segundo cérebro, como já foi provado, depois pode suplementar outras coisas”, afirma. “Nosso intestino é colonizado por diversas bactérias, e manter o equilíbrio entre as bactérias agressoras e as bactérias do bem é muito importante”.

Segundo ela, entre outros efeitos, os probióticos ajudam a reduzir o nível total de colesterol no sangue, o chamado colesterol sérico. “Eles também otimizam a absorção de aminoácidos e proteínas, aumentam a biodisponibilidade de minerais e vitaminas e, consequentemente, melhoram a imunidade”. Tudo isso contribui para uma melhor performance na academia ou nas atividades do dia a dia.

Orientação

Para um emagrecimento saudável não basta ingerir poucas calorias. É essencial praticar atividades físicas rotineiramente e ter uma alimentação correta, livre de xenobióticos como os presentes em alimentos não orgânicos. “Todo paciente que vem comigo eu sempre suplemento probióticos. É algo para a vida toda. As bactérias boas entram no nosso organismo, morrem e vão saindo, então tem que estar sempre repondo, senão você acaba colonizado só pelas bactérias ruins”.


Os probióticos podem ser suplementados em cápsulas ou na forma solúvel. De acordo com Flávia Ignez, tanto a posologia quanto a escolha das cepas (linhagens de bactérias) a serem usadas na suplementação são feitas de forma individualizada, mas entre as mais usadas estão a B. Bifidum, L. Casei e L. Rhamnosus. 

“De modo geral não há efeitos colaterais, mas alguns pacientes poderão sentir desconforto abdominal e gases no início do tratamento. Porém, com a persistência do tratamento, esses sintomas logo desaparecem”, completa.

Tratamento

A nutróloga Christiane Valente explica que os probióticos hoje são suplementos imprescindíveis nas alimentações funcionais porque aumentam os níveis de absorção de cálcio, ferro e vitaminas do complexo B. “Como imunomoduladores, eles também potencializam a formação da massa muscular”. No entanto, cada caso deve ser avaliado por um especialista, que determinará a necessidade nutricional do paciente.

Outros casos em que a suplementação das bactérias do bem são indicadas é nos tratamentos com antibióticos. “Probiótico já é um termo lindo porque significa pró-vida. Por isso eles ajudam a refazer a flora intestinal com as bactérias que normalmente protegem o organismo e que porventura são eliminados com a medicação antibiótica”.

Publicidade
Publicidade