Sábado, 20 de Julho de 2019
Vida

Surpresa: cão desaparece de casa por três meses e reencontra tutora em seu local de trabalho

Ana Lúcia, que vive há 4 anos com o animal, o resgatou ainda filhote após ser atropelado por uma moto. Já adulto, ele desapareceu e meses depois a reencontrou cerca de 14 km longe de casa



1.jpg Ana Lúcia Leocádio e o cãozinho Benjamim, após o reencontro
15/05/2013 às 14:04

Há três meses o cachorro Benjamim, um vira-lata de aproximadamente 4 anos, fugiu da casa da supervisora de restaurante Ana Lúcia Leocádio, 29, onde vivia desde que era filhote. O animal sumiu sem deixar rastro aparente. Ela sofreu, mas resolveu não dar maior ênfase às buscas.

Nesta quarta-feira (02) o cão protagonizou aquele que pode ser um dos maiores momentos de alegria do novo ano para a supervisora: reencontrou a dona, misteriosamente, no local onde ela trabalha. Segundo ela, atitudes como essa sinalizam a grandiosidade do elo que pode ser estabelecido, sim, entre homem e aquele que é tido pelo ditado popular como ‘o seu melhor amigo’.

O cãozinho faz parte da vida de Ana Lúcia desde o momento que, ainda filhote, foi atropelado por uma moto na frente da casa dela, e perdeu o movimento das patas traseiras. Ana Lúcia o resgatou e resolveu criá-lo. Hoje o animal está em perfeitas condições físicas.

“Ele tinha dois meses na época e, desde então, está comigo há quatro anos. Quando ele fugiu, até suspeitei que era minha irmã quem tinha deixado ele na rua”, brincou Leocádio, que mora no bairro Cidade Nova I e trabalha no bairro Aleixo, respectivamente nas Zonas Norte e Centro-Sul da cidade, zonas territorialmente distantes em cerca de 14 km uma da outra.

O sumiço não teve maiores explicações, de acordo com a supervisora. “Eu saí para trabalhar de manhã e ele estava em casa. Quando voltei do trabalho à noite, ele já não estava mais” afirmou.

Sofrimento e reencontro

O sofrimento foi constante desde que o cachorro desapareceu, mas a tutora tinha, no fundo, esperanças de reencontrá-lo. “Sofri e chorei muito. Passei o ano novo pensando nele, mas no fundo pensei que, se ele tinha ido embora por conta própria, ele voltaria”, admitiu.

O reencontro foi improvável e emocionante, conforme Ana Lúcia. “Ele reapareceu nesta quarta (02), por volta das 15h. Quando saí do restaurante e estava a caminho do ponto de ônibus, ele pulou nas minhas pernas. Quando virei, o reconheci e comecei a chorar ali mesmo”, disse Ana Lúcia, que completou: “As pessoas no ponto de ônibus perguntaram, assustadas com a abordagem dele, se ele era meu, se eu alimentava ele na rua. Eu disse que era meu mesmo, que ele tinha fugido de casa e que estava reencontrando-o”, comemorou.

Surpresa

Para o veterinário Shirlley Soares, o reencontro é realmente impressionante. “Se ele tivesse ido com ela até o trabalho dela, se conhecesse esse trajeto até o restaurante, ele saberia mesmo refazer esse caminho. Mas se não, é realmente uma surpresa”, pontuou Soares.

Porém, de acordo com o médico, o amor dos cães por seus tutores é imprescindivelmente real, e a psicologia animal ainda é algo a ser desvendado mais a fundo por estudiosos. “Eles têm a inteligência deles, mas ainda é objeto de estudo a questão da psicologia dos cães”, certificou Shirlley.

Se é coincidência ou não, talvez a ciência explique algum dia. Mas Ana Lúcia terá motivos de sobra para comemorar a chegada do novo ano a partir de agora. “Liguei para um amigo e disse: ‘Esse é o meu presente de ano novo’”, finalizou a supervisora.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.