Publicidade
Entretenimento
Vida

Tacacarias apostam na arte e abrem espaço aos músicos da região amazônica

Mistura de sucesso, o tacacá ganhou uma companhia especial na capital amazonense – a música, como uma forma de agregar algo a mais às experiências gastronômicas 05/10/2013 às 09:53
Show 1
Cordão do Marambaia encerra agenda do “Tacacá na Bossa” de outubro
rosiel mendonça ---

Uma das iguarias mais apreciadas da culinária amazônica, o tacacá ganhou uma companhia especial na capital amazonense – a música. O Tacacá da Gisela, no Largo São Sebastião, e a Tacacaria Parintins, no CSU do Parque 10, são referências de empreendimentos que investiram no segmento cultural como uma forma de agregar algo a mais às experiências gastronômicas dos seus clientes, tanto de dentro quanto de fora de Manaus.

“Tacacá com Pavulagem” é o nome do projeto que todos os domingos abre espaço aos artistas da região, em especial os parintinenses, na Tacacaria Parintins. Nesse domingo (6), o point encerra em grande estilo as comemorações dos seus dois anos de funcionamento com show do compositor Cileno, vencedor do Festival Amazonas de Música deste ano. A apresentação acontece a partir das 17h e terá participação especial de Eliana Printes, que acaba de lançar álbum novo.

“O nome do espaço é muito forte, e quando se fala em Parintins vem logo à mente toda a cultura que existe lá, incluindo a música”, explica a proprietária da tacacaria, Bruna Iannuzzi, contando como o projeto surgiu. “Tacacá e cultura é uma fórmula que deu certo. Até hoje não conto com apoio, mas ainda assim não cobro couvert. Para mim, é uma satisfação pessoal ver o resultado desse trabalho”, completa.

Nesses dois anos de “Tacacá com Pavulagem”, já passaram por lá artistas de destaque da música amazonense, como Zezinho Correa e Lucilene Castro, que interpreta desde a MPB até a MPA. Da mesma forma, os levantadores e cantores dos bois-bumbás têm lugar cativo no projeto.

DIVERSIFICAÇÃO

Segundo Bruna, os dois anos de experiência com a tacacaria possibilitaram certas inovações. Algumas delas começam a funcionar a partir de amanhã, como uma lojinha de suvenires que venderá produtos com a marca do espaço, além de peças criadas por artistas parintinenses. A programação cultural também passa por um momento de diversificação. Além dos shows musicais aos domingos, os clientes poderão conferir exposições artísticas e de artigos de moda.QUARTAS MUSICAIS

Criado em 2005, logo após a revitalização do Largo São Sebastião, o projeto “Tacacá na Bossa” aproveitou uma brecha na programação cultural que a SEC (de quem recebe apoio) desenvolve no lugar e passou a promover shows de Bossa Nova, estilo que marcou os primeiros passos da iniciativa.

Desde então, sempre às quartas-feiras, o Tacacá da Gisela vem promovendo encontros entre o público e artistas dos mais variados estilos, tanto do Amazonas, quanto da região Norte e de outros estados do Brasil. Já se apresentaram lá cantores como Nícolas Jr., Eliakin Rufino, Ed Motta e Gabi Buarque, além de bandas autorais em destaque na cidade, como Tucumanus e Alaídenegão.

“Às quartas temos música ao vivo, mas nos outros dias exibimos documentários e shows num telão a pedido dos próprios clientes”, conta o proprietário da banca, Joaquim Melo. “O Largo respira cultura, por isso é um espaço propício ao projeto. É diferente de um barzinho, onde as pessoas quase não prestam atenção em quem está se apresentando”.

Para ele, a fórmula do sucesso ainda inclui uma dose de perseverança e preocupação em manter a regularidade dos shows. “Além do alto nível dos próprios artistas”, completa.

PROGRAMAÇÃO

A atração da próxima quarta-feira (9), é o compositor Lucevilson de Souza; no dia 16, é a vez de Sidney Rezende, seguido por um tributo a Legião Urbana com a banda Black Cold e sessão de autógrafos com o escritor Milton Hatoum, no dia 23; já no dia 30, o grupo Cordão do Marambaia lança seu primeiro álbum no “Tacacá na Bossa”, que acontece sempre a partir das 19h.

Publicidade
Publicidade