Publicidade
Entretenimento
Vida

Tainá - A Origem: novo filme tem pré-estreia

Jovem Wiranu Tembé, que vive a personagem no longa, participou da sessão ao lado de integrantes da equipe técnica 04/02/2013 às 08:37
Show 1
Wiranu tinha 5 anos de idade na época das filmagens de 'Tainá - A Origem'
Rafael Seixas Manaus, AM

Crianças de todas as idades, acompanhadas de seus pais e responsáveis, foram conferir a pré-estreia do filme “Tainá – A origem”, neste domingo (03), no Cinemark, localizado no Studio 5. O evento contou com a presença de Wiranu Tembé, intérprete de Tainá, Claudio Barros, preparador de elenco, e Virginia Limberger, produtora. O longa-metragem entra em cartaz no circuito nacional na próxima sexta-feira, dia 8.

Todos os presentes ficaram encantados ao ver Wiranu, indígena da etnia Tembé, situada no interior do Estado do Pará, que deu vida à personagem da indiazinha guerreira. À primeira vista, Wiranu parece ser tímida, mas essa impressão mudou ao ser questionada sobre quais foram as cenas que mais gostou de gravar.

“Foi a do balão e a de cantar a música do ‘Toque Patoque’”, disse Wiranu, que à época de gravação do filme tinha apenas 5 anos de idade. Além disso, ela não sabia falar português, somente tupi, pois na aldeia Tekohaw, onde ela vive, as crianças têm aulas de Língua Portuguesa somente a partir dos 7 anos de idade.

Cenas e atuação

O que chama bastante atenção no longa, além da fotografia e das belas imagens da fauna e flora amazônica, é a atuação de Wiranu, conforme explicou Claudio Barros. “Quando se faz um filme infantil, você não procura crianças com capacidade de interpretar as personagens, procura crianças que mais se aproximam das características das personagens. A Wiranu não é atriz, a Wiranu é a própria Tainá. Ela trouxe para o filme toda a sua experiência na aldeia, ela contribuiu para o longa com a subida em árvore, nadar, andar de canoa. A gente descobre nela a pureza no olhar, a intimidade com o universo da floresta”, afirmou o preparador.

A indiazinha contracenou com artistas significativos da TV brasileira, como Nuno Leal Maia e Gracindo Júnior, além de nomes como Guilherme Berenguer e Laila Zaid.

Sinopse

O longa conta a história de Tainá, uma indiazinha órfã, que sonha em se tornar uma guerreira e descobrir sua verdadeira origem – quem é sua mãe. Ao longo do caminho, ela faz amigos surpreendentes como Laura, uma garota da cidade perdida na selva, e Gobi, um indiozinho nerd. Eles aprendem a superar as mútuas diferenças enquanto atravessam sua movimentada jornada, dificultada por Jurupari, a encarnação do Mal, que quer destruir a primeira árvore da floresta.

Prêmios e projetos

Ao todo, as películas antecessoras da série ganharam 22 prêmios em festivais nacionais e internacionais e foram vendidas para emissoras de TV de 41 países. Para Virginia Limberger, o terceiro filme está indo pelo mesmo caminho das anteriores.

“Já começamos ganhando o prêmio de Melhor Filme Infantil Estrangeiro no Mill Valley Film Festival (na Califórnia). Esperamos que o público goste e que venha ao cinema”, afirma a atriz. “Estamos nessa luta de fazer está jornada encontrar o seu público, entre tantos blockbusters que assolam o mercado nacional”.

Saiba mais

No Carnaval

 Wiranu e Mayara Bentes, que vive a mãe da indiazinha, vão ser destaques no desfile da escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense, que este ano vai homenagear o Estado do Pará.

Pará e Amapá

Rodada totalmente na Região Amazônica, a terceira aventura de Tainá teve como locações a Floresta Nacional do Tapajós, o Rio Tapajós, em Alter do Chão, Santarém (PA), e a Ilha de Santana (AP).

Amazônia em cena

 Inicialmente, o longa ia se passar na “selva da cidade”, em São Paulo, mas as locações mudaram para a Amazônia porque a floresta tinha se “tornado” um personagem da própria história.

Amazonense

O ator amazonense Fidélis Baniwa interpreta o cacique da tribo de Tainá.

Projetos

A história de Tainá poderá dar origem a um desenho animado e uma série de televisão no futuro, segundo adianta Virginia Limberger. “A série de TV já está em produção, queremos colocá-la em cartaz nas televisões em mais ou menos um ano e meio. Depois teremos mais uma temporada de 52 capítulos, com 11 minutos cada. Achamos que também iremos conseguir emplacar um longa-metragem que vai estar em produção simultânea”, afirma ela.

Publicidade
Publicidade