Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
CULTURA

Teatro Amazonas recebe estreia nacional da ópera Maria Stuarda no domingo (5)

Essa será a segunda grande obra a ser apresentada durante o 22º Festival de Ópera do Amazonas (FAO)



WhatsApp_Image_2019-05-03_at_19.53.09_DA4D72BD-4ADB-4209-8954-5B67B45E4EF5.jpeg Foto: Divulgação
04/05/2019 às 07:00

Os ensaios para a estreia nacional da ópera “Maria Stuarda” – que acontece neste domingo (5), às 19h, no Teatro Amazonas – estão a todo vapor. Com ajustes de som e iluminação, toda a equipe trabalha para que a primeira apresentação desta obra de Gaetano Donizetti em solo brasileiro aconteça de forma impecável.

Essa será a segunda grande obra a ser apresentada durante o 22º Festival de Ópera do Amazonas (FAO), evento realizado pelo Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura.



O ensaio-geral aconteceu na noite dessa sexta-feira (3), com músicos e solistas, sob regência do maestro Marcelo de Jesus. De acordo com o maestro, os músicos e a equipe técnica já vem trabalhando com a obra há pelo menos um mês e meio.

“O Coral do Amazonas, Núcleo de Teatro do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro e Amazonas Filarmônica, todos estão ensaiando arduamente desde meados de abril. O trabalho conta, ainda, com cenógrafos e figurinistas, camareiras e todo o pessoal da Central Técnica de Produção – é uma grande equipe que faz tudo isso acontecer”, contou Marcelo de Jesus.

História

A apresentação desta obra, segundo o maestro, vem sendo trabalhada há pelo menos três anos. “Eu e o maestro Fernando Malheiro sempre tivemos vontade de apresentar ‘Maria Stuarda’ durante o FAO”, comentou. Será a estreia brasileira da edição crítica da obra, e Marcelo de Jesus explica que sempre achou interessante essa narrativa sobre a vida da rainha Elizabeth I – além do ineditismo da ópera, mais um feito do FAO.

A ópera é baseada na peça de Friedrich Schiller e narra a rivalidade entre as primas Mary, rainha da Escócia, e Elizabeth, rainha da Inglaterra. Faz parte das chamadas “rainhas de Donizetti” – Anna Bolena, Maria Stuarda e Roberto Devereux –,  que têm Elizabeth I como personagem principal.

“A peça de Schiller conta o encontro dessas duas rainhas – que, de fato, nunca aconteceu – e Donizetti adotou esse momento na composição da obra, tornando o trecho emblemático. Tudo porque elas trocam xingamentos num linguajar fortíssimo para época. Maria Stuarda chama Elizabeth de obscena, vil e meretriz”, apontou o maestro.

Programação

Este ano, o FAO celebra o centenário do maestro e compositor amazonense Claudio Santoro. Em sua homenagem, será apresentada a ópera “Alma” e, também, um recital com canções compostas por ele.

O ponto alto do evento, este ano, segundo o secretário estadual de Cultura, Marcos Apolo Muniz, é a ampliação do acesso do público às apresentações. O FAO conta com programação nos teatros Amazonas e da Instalação, nos centros culturais Palácio Rio Negro e Palácio da Justiça, em shoppings, hospitais e escolas de Manaus, além de chegar ao interior. A agenda inclui apresentações das óperas “Ernani”, “Maria Stuarda”, “Tosca”, “Mater Dolorosa” e “Alma” no Teatro Amazonas. O Festival também oferece o projeto “Ópera Mirim”; Concerto do Dia das Mães; projeto Mulheres da Ópera; e Recital Bradesco.

Além disso, o evento promoverá o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, no dia 26 de maio, das 9h às 13h, no Centro Cultural Palácio da Justiça, com a presença do secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Medeiros Pires; da diretora executiva da Ópera Latinoamérica (OLA), Alejandra Martí; da chefe da Divisão de Assuntos Culturais, Solidariedade e Criatividade do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Trinidad Zaldivar; do presidente da Academia Brasileira de Música, João Guilherme Ripper; e dos secretários de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão; e do Rio de Janeiro, Ruan Lira.

Na parte educativa do evento, estão sendo executados os projetos “Vivências de Regência de Ópera”, para alunos da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e “Descobrindo talentos na produção cultural”, direcionado a estudantes do Ensino Médio (selecionados por inscrição).

Sobre o Bradesco Cultura

Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do país, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, além do Teatro Bradesco em São Paulo.

Em 2019, estão previstas diversas atrações, como o espetáculo “OVO”, do Cirque du Soleil, os festivais de Parintins e Tiradentes, as festas juninas de São João do Caruaru e Campina Grande e o Natal do Bradesco, em Curitiba. Segue em cartaz “O Fantasma da Ópera”.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.