Publicidade
Entretenimento
INOVAÇÃO

Plataforma brasileira de troca de casa é a nova tendência no turismo compartilhado

A BeLocal funciona como um clube de associados que adoram viajar e colocam à disposição a sua própria casa ou uma segunda casa para trocas com outros membros no site 26/05/2017 às 16:14
Show casa
Foto: Reprodução/Internet
Agência Estado Rio de Janeiro (RJ)

Existe um jeito de tirar férias sem pagar nada com hospedagem. É o que propõe a BeLocal Exchange, a primeira plataforma brasileira especializada em troca de casas. Lançado em setembro passado, o site já conta com centenas de casas pelo Brasil e em países como Argentina, Chile, Uruguai, Estados Unidos, Portugal e França. 

A BeLocal funciona como um clube de associados que adoram viajar e colocam à disposição a sua própria casa ou uma segunda casa, na praia, na serra, para trocas com outros membros do site. A inscrição é gratuita e o associado paga uma anuidade apenas quando consegue efetuar a troca. O valor de R$ 260 é válido por 365 dias, mesmo que sejam feitas outras trocas no período.

Fundadora da BeLocal, a tradutora carioca Andrea Aguiar abriu a empresa a partir da própria experiência pessoal de viajar trocando de casa. Com dois filhos, hoje adolescentes, ela começou a procurar opções de hospedagem mais confortáveis do que quartos de hotéis apertados. E descobriu uma maneira mais econômica do que alugar uma casa: simplesmente fazer uma troca.

Como funciona

Funciona assim: o site da BeLocal permite que os associados negociem e conversem previamente sem revelar seus dados pessoais e vejam fotos e descrições das casas disponíveis. Um sistema de mensagens interno facilita a comunicação entre os associados. Quando uma troca é acordada, o pagamento da anuidade é efetuado e os associados têm acesso aos endereços e combinam diretamente como será a entrega das chaves. 

Assim, cada anfitrião é também um hóspede e ambos compartilham dicas e mimos para tornar essa troca especial. A ideia do turismo compartilhado é a de que gentileza gera gentileza. "A troca de casas, embora econômica, é uma alternativa de alta qualidade", explica Andrea. "A BeLocal estabelece diretrizes para os hóspedes e anfitriões, muito nos moldes dos Bed&Breakfast, em que as pessoas são recebidas e tratadas com toda atenção, como se recebessem um amigo especial". A reciprocidade é o segredo do sucesso. "É um turismo ideal para famílias, que buscam espaço e conforto sem precisar pagar caro por isso".

O turismo compartilhado é uma tendência que já existe há décadas em outros países e começa a ser praticado no Brasil. Andrea quis criar um modelo de cadastramento gratuito para que as pessoas pudessem conhecer essa nova forma de hospedagem e ganhar confiança antes de dar início às trocas. A BeLocal possui ferramentas para dar segurança aos associados. Os dados de cada perfil inscrito são checados com auxílio da empresa espanhola Traity, especializada em identidade digital. E o site oferece um seguro específico para troca de casas, operado pela Sura Seguros. "O conceito da troca é o mesmo de toda economia compartilhada: usar os recursos já existentes, reutilizando casas que ficariam vazias e sem o impacto ambiental do turismo de massa", explica Andrea. "Ao mesmo tempo em que você viaja e se diverte, contribui para um mundo mais sustentável e colaborativo".

Publicidade
Publicidade