Sábado, 20 de Julho de 2019
Vida

Um velho hábito: público não abre mão de alugar filmes

Mesmo com o estouro do Netflix e do iTunes, manauaras não perdem o costume de ir à locadoras



1.jpg O casal Rafael e Mõnica, apesar de usarem Netflix, não abrem mão de alugar filmes "O DVD e o Blu-Ray proporcionam uma experiência diferente, boa de sentir de vez em quando", explicou Mônica
16/05/2013 às 14:22

Com o estouro de empresas como Netflix e iTunes, sem contar aquelas pessoas que apelam à pirataria e baixam filmes pela internet, o movimento nas videolocadoras de Manaus vem diminuindo a cada ano. No entanto, mesmo com toda esta desleal concorrência, ainda existe um pequeno grupo de apaixonados pela Sétima Arte que mantém esse “mercado em extinção” vivo e não largam, por nada, o costume de locar DVDs e Blu-Rays.

Um exemplo desse reduzido público é o casal formado pela jornalista Mônica Dias e o designer Rafael Lima. Os pombinhos, todo final de semana, marcam presença na Take Vídeo, localizada no Parque Dez. “Sempre tive esse costume, desde criança. Alugar um filme na locadora já é um passeio, você vai com o namorado, família, amigos ou até mesmo sozinho e pode escolher entre tantos filmes, alguns que você nem sabia que existia. É uma sensação bem diferente de baixar alguma coisa”, comentou a jornalista, que sempre opta por levar para casa algum longa de animação.

Assim como Mônica, a estudante Tainá Conchy é outra que não larga o hábito de locar DVDs. De acordo com ela, somente a sensação de estar em uma locadora já vale a viagem de casa. “É um momento mágico ficar catando filmes e criar as expectativas deles já terem chegado. Faço isso desde pequena e sentiria estar quebrando uma tradição minha caso não aparecesse na locadora (risos)”, revelou a estudante.

Mais que um trabalho

Proprietária da King Vídeo (São Jorge, nº 7126) há 22 anos, Paula Viana conta que o número de pessoas que frequenta a videolocadora caiu drasticamente desde junho do ano passado. Contudo, um grupo de clientes fiéis se manteve firme, mesmo com todas as comodidades proporcionadas por serviços como Netflix. “Muitos já se tornaram amigos, que a gente conversa, brinca... Não estou aqui há 22 anos, mas vi muitos clientes da King crescerem”, apontou a empresária.

Segundo ela, ainda, além da tecnologia do Blu-Ray 3D, essa relação de amizade com a clientela acaba sendo um dos fatores que movimenta a videolocadora. “Eles (os clientes) sempre estão voltando e indicam a gente a pessoas novas. É a questão da propaganda boca a boca, que ajuda muito. Também nos sentimos queridos”, completou Paula.

Netflix

A Netflix é uma empresa norte-americana, líder na TV por Internet, com mais de 33 milhões de membros em mais de 40 países. No Brasil, o serviço chegou há dois anos e custa R$ 16,90 por mês.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.