Publicidade
Entretenimento
Iniciativa

Unidos por uma causa: Artistas apoiam Amazonia Live do Rock In Rio

Artistas e bandas como Evandro Mesquita, NX Zero, CPM 22, Mart’nália, Capital Inicial, se uniram para apoiar a realização do Amazonia Live 10/04/2016 às 04:00
Show 1067819
Na foto, os músicos da NX Zero que manifestaram apoio ao projeto (Reprodução)
Jony Clay Borges Manaus (AM)

Atrações que passaram pelos palcos do Rock In Rio ao longo dos últimos 30 anos deram seu apoio ao Amazonia Live, novo empreendimento da franquia de festivais. No lançamento da iniciativa, na última segunda-feira, dia 4, artistas e bandas como Evandro Mesquita, NX Zero, CPM 22, Mart’nália, Capital Inicial, marcaram presença e se uniram em apoio ao projeto, que inclui o reflorestamento de áreas degradadas da Amazônia e a realização de um grande show em Manaus, com transmissão internacional via live streaming.

Um desses artistas foi Evandro Mesquita, que destacou união de arte e consciência ambiental no projeto. “Estamos aí para participar em qualquer projeto que levante a bandeira ecológica e com música”, declarou o cantor e compositor carioca, que participou de todos os Rock In Rio no Brasil, até a recente edição no Rio de Janeiro, da qual participou ao lado da nova formação da Blitz. “Há um público novo cantando as músicas da Blitz, que descobriu na Internet ou com os pais”, diz.

Mesquita mostrou disposição para se apresentar em Manaus, caso seja convidado para o line up do Amazonia Live, e lembrou com carinho de suas passagens pela cidade: “Adoro Manaus, já estive no meio da floresta, já passeei por aqueles rios todos. É sempre deslumbrante esse contato com a natureza”.

Mart’nália foi outra que se predispôs a cantar na capital, que visitou por várias vezes atuando como backing vocal do pai, Martinho da Vila. “Tenho uma familiaridade legal com a cidade, com amigos antigos dele que acabam sendo meus”, declara a sambista. Ela ainda elogia o apelo ecológico da iniciativa. “O que a gente precisa mais é falar disso. A questão ambiental move o mundo hoje”.

O chamariz ambiental também encantou Baby do Brasil, que espera poder participar das ações do projeto e, assim, realizar o sonho de desenvolver trabalhos ao lado de povos indígenas da região. “Desde a época em que cantei ‘Todo dia é dia de índio’, que virou música de escola em todo 19 de abril, sempre foi um projeto meu estar lá, criar uma plataforma viável e conseguir fazer. Quando (Roberto) Medina (presidente do Rock In Rio) me falou do projeto, no backstage do festival, fiquei apaixonada”, disse. “Fico grata a ele por estar se empenhando em coisas que realmente têm valor”.

Mensagem

Integrantes das bandas Jota Quest, NX Zero e CPM 22, respectivamente, Rogério Flausino, Di Ferrero e Fernando Badauí expressaram entusiasmo em contribuir na difusão do Amazonia Live, de forma a ampliar o alcance e os resultados da iniciativa. “Acho lindo, pois é a hora de usar nosso papel de formador de opinião a favor do mundo”, destacou Ferrero, dizendo-se na expectativa de poder participar do lado musical do projeto no palco. “Não sei se a gente vai tocar em Manaus. Só sei que eu quero muito!”.

Badauí, por sua vez, anima-se com a ideia de difundir o espírito da ação entre os fãs do CPM 22. “É mais um lance de engajamento, de divulgação pelas redes sociais para o nosso público, da questão da sustentabilidade e da preservação do meio ambiente”, diz.

Flausino lembra que o engajamento do Jota Quest é antigo – vem desde o CD “Oxigênio” (2000), quando o grupo esteve na região e realizou ações ao lado do Greenpeace. E manifesta sua adesão ao projeto de Roberto Medina. “O Rock In Rio está mais uma vez fazendo a diferença, apoiando uma causa que talvez seja a ‘causa das causas’”, diz. “Vamos espalhar isso para o mundo”.

Publicidade
Publicidade