Publicidade
Entretenimento
Pele e beleza

Vitamina C é o segundo elemento mais potente contra o envelhecimento de pele

A vitamina C previne o envelhecimento solar e é bastante segura para todos os tipos de pele 11/12/2016 às 05:00
Show ba20bd cec2738ef2804280934a4cb573298f76
Poder da vitamina C só fica atrás do ácido retinóico
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Ao falar em vitamina C, estamos acostumados a lembrar daquela pílula efervescente que tomamos quando estamos gripados, não é? E se você soubesse que ela é a segunda vitamina mais poderosa no que diz respeito ao antienvelhecimento da pele, ficando atrás somente do ácido retinóico – derivado da vitamina A?

“Nós temos três benefícios reais e comprovados cientificamente com a Vitamina C: primeiro seria o seu poder antioxidante, por combater os radicais livres e provocar uma certa limpeza; a neocolagênese, estimulando a formação de um novo colágeno na pele e o terceiro é o clareador, clareando principalmente as melanoses solares”, destaca a médica dermatologista Marina Abinader.

Ao contrário do retinol, que não pode ser usado durante o dia, a vitamina C não traz contra-indicações. “A gente pode utilizá-la de manhã, antes do protetor solar, e à noite, como efeito de hidratação, para melhorar a elasticidade. A vitamina C não tem o poder de se degradar com o ultravioleta e é ideal para quem mora no calor do Norte”, diz a médica.

Modo de uso

Para utilizá-la, porém, é preciso atentar para dois fatores: o primeiro é que a concentração de vitamina C em um creme deve ser de 5% a 20% para gerar resultados. “Produtos com fatores  antioxidantes têm limites estáveis. Mais do que 20% gera um efeito rebote na pele, se tornando oxidante e acelerando o envelhecimento”, afirma Abinader.

A vitamina C era muito difícil de ser manipulada em cremes porque perdia rapidamente suas propriedades. Na hora de comprar um produto, observe na caixa se a vitamina C está hospedada em “nanopartículas” ou “nanoesferas”. “Esses veículos jogam a vitamina C dentro da derme, ultrapassando a epiderme. Sem as nanopartículas, ela só penetra na epiderme, a camada mais superficial da pele”, coloca Marina.

Publicidade
Publicidade