Publicidade
Entretenimento
Vida

Vocalista do Natiruts, Alexandre Carlo fala sobre o esperado Luau M1, em Manaus

O músico diz durante entrevista que é sempre muito bem recebido na capital baré, onde apresenta dia 23 a turnê com o CD/DVD ‘Acústico no Rio de Janeiro’ 19/10/2014 às 12:57
Show 1
O Natiruts possui mais de 2 milhões de curtidas em sua Fan Page do Facebook, num reflexo claro da boa aceitação da banda aqui e no exterior
Loyana Camelo ---

Há quase 18 anos, o Brasil era apresentado a uma banda com um reggae fácil de se gostar, mas maduro o suficiente para abordar problemas sociais com mensagens de paz e positividade. Hoje, com uma sólida base de fãs (são mais de 2 milhões só na Fan Page do Facebook), o Natiruts reverencia o tempo de carreira bem-sucedida com o CD/DVD “Acústico no Rio de Janeiro”, cuja turnê passa por Manaus na semana que vem (dia 23, véspera de feriado) durante o Luau M1. A banda de Brasília se apresenta ao lado dos conterrâneos do Capital Inicial.

Apesar de bons quilômetros de distância da sua terra natal, os integrantes do Natiruts bem sabem o quanto são bem quistos em Manaus - não é à toa que seus shows são constantemente requisitados por aqui. De acordo com Alexandre Carlo, vocalista, é ótima a sensação de sempre voltar e encontrar tantos sorrisos. “Nos sentimos muito bem e sempre procuramos corresponder da melhor forma possível”, disse em entrevista ao BEM VIVER.

O músico adianta que o repertório para o Luau M1 será focado no material do acústico e ainda haverá espaço para algumas surpresas. O material, inclusive, foi indicado ao Grammy Latino 2013 na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro. Nele estão 21 faixas com os maiores sucessos do Natiruts e algumas regravações, merecendo destaque também as participações especiais de Luiz Melodia em “Pérola Negra”, Sônia Savinell em “Sorri, Sou Rei” e Flora Matos no pout-pourri “Natiruts Reggae Power /Esperar o Sol”.

Sucesso e planos

O reggae do Natiruts é tão reconhecido e bem aceito, que chegou a romper os limites geográficos de seu país natal.

“Estivemos em Portugal esse ano onde completamos 30 apresentações desde 2005 e fizemos um show para 50 mil pessoas em Cascais, condado próximo a Lisboa. Nunca pensei que poderíamos chegar tão longe”, relembra Alexandre Carlo.

Feliz com a longeva carreira de sucesso, Alexandre Carlo conta que o reggae “sempre esteve bem pois tem público fiel”. No entanto, isso não faz com que a banda se acomode. No início desse ano, o Natiruts registrou uma versão ao vivo do acústico, traduzida no recém-lançado DVD #NoFilter. Neste, estão hits da banda e algumas releituras de nomes como Legião Urbana, Charlie Brown Jr. e Paralamas do Sucesso.

Os próximos planos, segundo Alexandre, são investir em um material inédito no segundo semestre de 2015. “Mas antes disso gravaremos um DVD dia 8 de janeiro na cidade de Salvador onde tentaremos reunir vários artistas do reggae nacional , cada um cantando sua canção de sucesso junto com a Natiruts. Já temos confirmados Ponto de Equilíbrio, Planta e raiz, Chimarruts, Armandinho e muitas novidades ainda virão”, adianta.

Retorno esperado

Com o Luau M1, o Natiruts terá a oportunidade de retornar a uma cidade que lhe recebe muito bem, além de tocar com estimados colegas de profissão, o grupo Capital Inicial. “Já dividimos o palco diversas vezes”, afirma Alexandre. Ansioso para o show, ele manda um recado para os amazonenses. com o mesmo tom maduro de suas composições. “Cuidem das águas dessa terra maravilhosa”.

Para matar a saudade

Outro nome brasiliense de talento faz companhia para o Natiruts no Luau M1. Assim como o primeiro grupo é sinônimo de reggae de qualidade, assim é o Capital Inicial no nicho do rock: depois de quase três anos sem retornar à capital baré, os integrantes vêm para apresentar a turnê do novo EP “Viva a revolução”, lançado recentemente.

O trabalho conta com a participação de novos parceiros e sonoridades diferentes. Essa nova produção é um novo jeito encontrado pelo vocalista Dinho Ouro Preto, o guitarrista Yves Passarel, o baixista Flávio Lemos e o baterista Fê Lemos dizerem o que pensam. Além das músicas novas, o público vai se divertir ao som de sucessos que marcaram os 30 anos de carreira da banda como “Natasha”, “Primeiros erros”, “Fogo” e “Independência”. Em recente entrevista ao BEM VIVER, Dinho fez questão de ressaltar como gosta de tocar por aqui. “Todos os shows em Manaus, sem exceção, foram sensacionais. Inclusive, todos os últimos shows foram realizados na praia da Ponta Negra”.

Serviço

O quê: “Luau M1 Eventos 2014”, com Capital Inicial e Natiruts

Quando: Dia 23, às 21h

Onde: Praia da Ponta Negra

Quanto: R$ 50 (1°lote) e R$ 120 (front stage/ 1° lote) – preço para estudante

Publicidade
Publicidade