Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
publicidade
publicidade

GAMER

Youtuber e drag Samira Close fala sobre ascensão no universo dos games no Brasil

Entrando num universo dominado em maioria por homens héteros, Samira vê em seu trabalho forma de divertir e fazer companhia aos outros grupos menos destacados na rede


11/12/2018 às 15:27

O universo gamer sempre esteve presente na vida de jovens e crianças de todo o mundo. Com o advento da internet, os jogos online criaram uma rede universal de jogadores de diversas idades e estilos. Hoje, é possível acompanhar streams de todos os estilos de jogos e jogadores. No Brasil, a drag Samira Close, 24, vem conquistando seu espaço e fazendo bastante sucesso entre os players.

Com mais de 155 mil inscritos em seu canal no YouTube, a cada dia, Samira se esforça para quebrar barreiras e estereótipos nesse universo. Ela é uma das poucas drags a atrair centenas de seguidores e visualizadores em seus vídeos. Com muito humor e irreverência, Samira se destaca.

"Sempre gostei muito de jogos online e há uns dois anos e meio eu estava jogando com uma amiga e as pessoas sugeriram que eu abrisse minha própria live. Resolvi abrir e pedi de um amigo para usar esse nome Samira Close - que ele utilizada -, e ele concordou", afirma a gamer que esteve no último final de semana em Manaus para mais uma edição do Anime Jungle.

A princípio, Samira não se montava, mas com o passar do tempo foi desafiada e começou a se maquiar e se vestir como drag queen. "Fiz um desafio com o pessoal e em troca me montei como drag e depois disso passei a me montar mais vezes, e agora só faço live montada", conta.

O primeiro viral de Samira foi há dois anos com o vídeo "Tem um Eminem no meu jogo". De acordo com Samira, o vídeo foi reproduzido milhares de vezes no Facebook e YouTube. Após o sucesso do vídeo, a personagem Ágatha Ferroz, criado por Samira para jogar GTA V, estourou na web.

Resistência com humor

Entrando num universo dominado, em sua maioria por homens héteros, Samira vê em seu trabalho uma forma de divertir e fazer companhia aos outros grupos menos destacados na rede.

"Acho que meu trabalho é ajudar as pessoas no sentido de fazer companhia. O ramo de jogos é super machista, as mulheres e LGBT's não sentem que tem uma chance, não sentem que são bem vindos e abraçados e meu trabalho ajuda a mostrar que mesmo eu fazendo drag tenho meu espaço e podemos conquistar. Seja no trabalho, em nossa vida pessoal", explica.

"Por isso, sinto que hoje as pessoas me enxergam nessa maneira: tanto pela brincadeira e zoeira, quanto como alguém que está representando um público que, dentre muitos momentos, é esquecido", completa.

Todo o trabalho e sucesso na web está proporcionando a Samira nova experiências e horizontes. Com agenda lotada, a drag se desdobra entre eventos e presenças VIP's, além de sua rotina de streamer na internet.

No final de novembro, a drag viajou para Londres, convidada para um evento sobre games. "Quando você entrega sua vida, seu coração, trabalha duro para alguma coisa, você espera o sucesso e o retorno daquilo. Às vezes é algo maior do que você espera, como é o meu caso, mas estou lidando com muita felicidade e aproveitando o máximo que eu puder", finaliza.

Frase

Sinto que hoje as pessoas me enxergam nessa maneira: tanto pela brincadeira e zoeira, quanto como alguém que está representando um público que, dentre muitos momentos, é esquecido

publicidade
publicidade
Festa nordestina no CSU do Parque Dez marca aniversário de associação
Polícia orienta pais sobre ameaças contra crianças e adolescentes na internet
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.