Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
Livro

Youtuber convida leitores para uma ‘missão’

Com mais de 700.500 mil seguidores na rede social de vídeos, rondoniense lança primeiro livro aos 20 anos de idade



FARKILE.jpg Deise de Souza Freitas é mais conhecida como Farkile e ganhou fama com postagens no Youtube
09/08/2016 às 14:12

A vida de um jovem comum é rodeada de desafios e questionamentos, como “quem sou eu?”, “qual é meu propósito aqui?”, “tenho jeito para essa profissão?”, “o que eu faço da minha vida?”. E foi justamente em busca dessas respostas que a YouTuber Deise de Souza Freitas, 20, escreveu “Missão Farkile – Achei o meu chamado. Bora lá achar o seu?”, lançado este mês pela Thomas Nelson Brasil.

Nascida e criada em Porto Velho (RO), ela ultrapassa 700.500 mil seguidores na rede social, onde fala sobre moda, maquiagem, beleza, auto-estima, relacionamentos, música e — em meio a todos esses temas — Deus. Um dos vídeos recentemente publicados na página tem o título “Você não é um erro”, com mais de 50 mil visualizações. Da mesma forma, o livro incentiva os leitores a “se encontrar”.

“A principal mensagem do livro é o chamado, o propósito de Deus na vida de cada pessoa no mundo. O que é, pra quê serve, como descobrir, como exercer... Foquei nos adolescentes e jovens, pois vejo que muitos foram escolhidos por Deus para fazer algo importante aqui, na Terra, mas não conseguem exercê-lo”, explicou em entrevista por telefone, entre as viagens de lançamento do trabalho.

Apesar de não ter um significado oficial, “Farkile” se tornou o apelido de Deise, que inventou o nome, aos 13 anos de idade, para salvar os vídeos favoritos dela no YouTube. Pouco tempo depois, começou a postar as próprias produções no canal que criou, onde também compartilha receitas culinárias e canções compostas e cantadas por ela mesma. Apesar do sucesso online, a receptividade do trabalho literário surpreendeu.

“Sempre tive muita vontade de compartilhar minhas experiências e ajudar outros jovens a passar por fases em que já passei. Só que nunca imaginei compartilhando isso tudo em um livro. Confesso que é incrível ver como as pessoas acreditam em mim, em meu potencial. Às vezes, penso que eles acreditam mais em mim do que eu mesma (risos). Nada é melhor do que saber que todos estão me apoiando e torcendo pelo sucesso do meu livro”, declarou.

O sucesso de público na Internet chamou a atenção da editora cristã, que entrou em contato com a universitária no fim do ano passado. Após acertar os detalhes, Deise recebeu um prazo para entregá-lo. Apaixonada por leitura desde criança, a rondoniense teve um blog até os 16 anos e achou que não seria tão difícil encarar a empreitada. No caminho, descobriu os percalços de ser uma escritora oficial.

“Confesso: não é fácil. Tive o prazo de quatro meses de pura emoção e adrenalina. É um tema que vivi na pele, mas tive minhas dificuldades como uma escritora iniciante (risos)”, afirmou, ao ressaltar a reação de amigos e familiares. “Eles ficaram surpresos da mesma forma que eu. Afinal, quem imaginaria isso? Creio que tenho grandes promessas de Deus, mas nunca imaginaria que seriam nessas proporções”, completou.

Destaque

Os eventos de lançamento do livro “Missão Farkile – Achei o meu chamado. Bora lá achar o seu?” começaram na última semana. A escritora Deise de Souza Freitas já esteve em São Luiz (MA) e Rio de Janeiro. Nos próximos dias, passará por Curitiba (PR), São Paulo, Porto Velho (RO) e Goiânia (GO). “Estou orando para que Manaus me chame, pois preciso matar minha vontade de comer o x-caboquinho”, brincou.

Três perguntas

Você sempre gostou de ler e escrever?

Sempre! Na infância, amava os gibis; na adolescência, me viciei em sagas e, hoje, estou em uma fase de livros com temas cristãos.

Como uma jovem cristã lida com essa fama?

Muitos acham que deve ser muito difícil, mas, acredite, é super tranquilo. É tranquilo para mim que, hoje, sei quem realmente sou e o que me convém. Quando vivemos ligados em Deus, não há nada nesse mundo que consiga nos tirar do alvo, que é a santidade. Alguns acabam se desviando do caminho, porque não tinham sua identidade formada e se deixaram influenciar. Tendo uma identidade, não há nada que te mude.

As pessoas se assustam por você ser de Rondônia?

Sim, todos me perguntam isso. Por ser um Estado um pouco distante e com acesso um pouco complicado. Mas é um lugar que gosto muito. Nasci e vivi até hoje na capital que é Porto Velho. Apesar de muitos confundirem como capital de Roraima... (risos)

Receba Novidades


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.