Publicidade
Entretenimento
INTERNET

Youtuber Jout Jout lança livro 'Tá todo mundo mal', em shopping de Manaus

Em 2014 começou a gravar vídeos e criou o canal Jout Jout Prazer, no YouTube, que foi parar nas pautas de todas as mídias do país após o vídeo “Não tira o batom vermelho”, que fala sobre relacionamentos abusivos e já foi visto por 2 milhões de pessoas 17/06/2016 às 19:22 - Atualizado em 17/06/2016 às 23:46
Show joutjout
(Foto: Evandro Seixas)
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

A distribuição de senhas para a sessão de autógrafos da youtuber Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, iniciou às 16h da última quinta-feira (16), mas desde 10h já tinha gente formando fila na da Livraria Saraiva, no Manauara Shopping. "Tá todo mundo mal", é o primeiro livro da carioca de 25 anos e nele, ela reúne suas “melhores” angústias em textos tão espirituosos e iluminadores quanto os vídeos do seu canal no YouTube, Jout Jout Prazer, que acumula mais de 800 mil seguidores, 90 milhões de visualizações.

Antes de iniciar a sessão de autógrafos, cerca de 400 pessoas já estavam enfileiradas nos corredores da livraria. Todos em busca do mesmo objetivo: um abraço, uma foto, ou uma simples e rápida conversa. Quando a figura tímida e franzina surgiu escoltada por três ou quatro seguranças altos, a multidão foi à loucura. De camisa folgada, cabelos livres, rosto sem maquiagem, Jout Jout sorriu e acenou para seus fãs, enlouquecidos.

Para o BEM VIVER, Julia falou que seu livro é sobre crises. “Quando você fala sobre suas crises, as pessoas que estão lendo se sentem abraçadas, e eu queria que elas tivessem essa sensação, de ‘já passei por isso”, afirma.

De repente, a multidão interrompe a resposta com um coro “Não tira o batom vermelho!”. A afirmação faz alusão ao título do vídeo que revelou a youtuber para o grande público. Atualmente com mais de 2 milhões de visualizações, no vídeo, Jout fala sobre relacionamentos abusivos e relata uma série de instruções para as pessoas identificarem um comportamento abusivo numa relação.

Um desses fãs que entoaram o coro é o estudante de Direito Gabriel Jucá Ramos, 19. Ele foi o primeiro a conseguir um autógrafo da escritora. “Descobri a Jout no Youtube, vendo o vídeo que ela fala das cores, onde ela diz que as cores que a gente vê não são as cores que ela vê, e eu ‘gamei’ nela naquele vídeo e saí fazendo maratona dos outros vídeos. Ela fala de um jeito simples mas fala de uns temas sérios que precisam ser discutidos”, afirma o jovem, que esperou cerca de oito horas para conseguir um contato com a youtuber.

Quem marcou presença na sessão também, foi a universitária Gleyce Jane Melo, 20. “Conheço a Julia desde fevereiro de 2015, através de uma amiga, que disse que havia um vídeo dela que estava muito famoso. Comecei a assistir pois ela incentiva as pessoas a ter autoconfiança, a acreditar em si mesmo, e que as críticas são necessárias”, afirma. Gleyce chegou na livraria às 14h, mas afirma que a espera valeu a pena. “Ela tem o perfil incentivador, voltada para levantar o público, tratar de assuntos sérios de forma necessária, ela é uma incentivadora do bem”, complementa.

Três perguntas para Jout Jout, youtuber

Você tinha a dimensão de que, em Manaus, tantas pessoas a admiram?

Quando soube que tinha pra cá e falei que vinha, vi muita gente falando ‘ai meu deus que bom!’, e daí eu fiquei feliz, pois tinha muita gente torcendo pra eu vir, foi lindo.

Logo no inicio de seu canal, você relata que chorava se alguém falasse mal de você. Como lida com isso atualmente?

Eu chorava com possibilidade de alguém achar alguma coisa sobre qualquer coisa que eu falasse. Daí eu chorava por isso, mas agora fico ótima, não fico sofrendo

Se pudesse dar uma dica aos novos youtubers, qual seria?

“Acho que a dica é: primeiro não ofender ninguém, você não sabe a história das pessoas. Eu não faria um vídeo sobre um tema que não sei falar sobre”.

Publicidade
Publicidade