Publicidade
Entretenimento
Vida

Zeca Torres prepara novo disco para 2013

Zeca colocou a gravação do novo disco, ainda sem nome definido, como um objetivo pessoal e uma forma de atender às cobranças do público que acompanha a sua trajetória e a natureza do seu trabalho 23/05/2013 às 10:17
Show 1
"Procuro me surpreender com o que eu faço, porque assim eu me sinto capaz de surpreender as outras pessoas com o meu trabalho", afirma Zeca
Rosiel Mendonça Manaus, AM

Há mais de 20 anos sem lançar trabalho novo, o cantor e compositor Zeca Torres (Torrinho) já tem material de sobra para entrar em estúdio e gravar o segundo álbum da sua carreira – disco que vai suceder “Porto de Lenha”, lançado no início dos anos 1990.

“Nunca parei de compor e de fazer meus shows aqui e em outros lugares do Brasil, mas essa necessidade de gravar é a mesma que um escritor tem de publicar seus livros; não adianta escrever para ele mesmo”, comparou Torres, que ainda vê o CD como a mídia mais palpável e que dá maior satisfação ao artista.

Zeca colocou a gravação do novo disco, ainda sem nome definido, como um objetivo pessoal e uma forma de atender às cobranças do público que acompanha a sua trajetória e a natureza do seu trabalho.

Segundo ele, dos anos 1990 até agora não faltaram oportunidades de fazer outros discos, mas nenhuma delas deu ao compositor a liberdade de ser fiel aos seus anseios e intuições artísticas.
 
“Também há a questão econômica, já que a busca por patrocínio não é tão tranqüila. Nem todos estão dispostos a investir no trabalho que eu faço, porque não o consideram muito comercial, apesar de eu achar que minha música não ter nada de hermético”, justificou Zeca Torres, reafirmando o tom popular das suas composições, ainda que sem descuidar do apuro técnico de arranjos e harmonias. “Procuro me surpreender com o eu faço, porque assim eu me sinto capaz de surpreender as outras pessoas com o meu trabalho”.

Critérios pessoais

O próximo disco de Zeca Torres terá 12 faixas, que serão selecionadas a partir de um repertório de cerca de 25 composições inéditas, incluindo parcerias “amazônicas” com Eliakin Rufino, Joãozinho Gomes, Sérgio Souto, Célio Cruz e Aldísio Filgueiras (com quem ele compôs a clássica “Porto de Lenha”).

“Não tenho uma preocupação em dar um tom regional ao trabalho, até porque minhas convicções são outras: faço a música que me vem à cabeça e ela precisa apenas me surpreender”, complementou. Segundo ele, o novo disco não terá uma “cara” única, uma vez que o repertório vai ser ditado pela própria sensibilidade do compositor.

Nesta sexta (24) tem show

Algumas das canções inéditas que Zeca Torres vai registrar no próximo álbum já poderão ser conferidas no show que o compositor faz nesta sexta (24), no Café Teatro (avenida 7 de setembro, ao lado do Basa, Centro), a partir das 20h, com entrada gratuita. A apresentação faz parte do projeto Canção da Mata, do Sesc Amazonas, e terá participações especiais de Karine Aguiar e Jorge Edu.

Músicas como “Dia de festa”, “Papagaio de famão” e “Porto de lenha” vão entrar no repertório do show, que também terá as composições que nasceram das parcerias com Eliakin Rufino, Joãozinho Gomes, Sérgio Souto, Célio Cruz e Aldísio Filgueiras.

Saiba mais

“Porto de Lenha”: primeiro álbum, lançado em 1991, traz parcerias com Aníbal Beça, Aldísio Filgueiras, Natan Prestes e Sérgio Cardoso.

Publicidade
Publicidade