Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Vida

Zezé Motta canta 'Divina Saudade' no Teatro Direcional

Show reverencia Elizeth Cardoso, considerada uma das maiores intérpretes da música nacional



1.jpg Cantora lançou o disco homônimo em Manaus, Belém e São Luís, no ano 2000
30/07/2013 às 14:58

Um retrato da música brasileira, passeando pelo samba, bossa nova e revisitando as principais vozes femininas da rádio. Este é o show “Divina Saudade”, interpretado por Zezé Motta e que regressa à capital amazonense nos dias 2 e 3 de agosto, no Teatro Direcional (Manauara Shopping, piso Buriti).

Fruto do álbum homônimo, lançado em 2000, a apresentação reverencia Elizeth Cardoso, considerada uma das maiores intérpretes da música nacional. “É um show do qual sempre me despeço, mas que acabo voltando a pedido do público (risos)”, brincou a cantora, em entrevista exclusiva ao jornal A CRÍTICA. “Realizei essa mesma apresentação aí há 13 anos, quando lancei o disco ‘Divina Saudade’ em Manaus, Belém e São Luís”, acrescentou.

A concepção do álbum, e por conseguinte do show, se deu de forma “mágica”, nas palavras de Zezé. “Estava terminando uma novela e já ansiosa com o próximo projeto. Questionava: ‘E agora, meu Deus?’. Certo dia, ao acordar, dei de cara com o livro ‘Elizeth, Uma Vida’, de Sérgio Cabral. Foi então que reli a obra e fiquei ainda mais apaixonada”, contou. A partir daí, a cantora tratou de ligar para o seu empresário e correr atrás de patrocínios, o que resultou no disco de 11 faixas. Queria fazer uma homenagem”, concluiu.

Comparação

Lançado o ‘Divina Saudade’, abriu-se uma fresta para que inúmeras comparações entre Zezé e Elizeth começassem a surgir. Os traços comuns entre a dupla, destacados pela imprensa e pelo público, iam além além de serem mulheres, cantoras, negras e brasileiras. Mergulhadas em um cenário pouco conhecido da vida musical carioca, ambas emergiram com suas artes em um país marcado pelo machismo e racismo.

O paralelo entre as duas, no entanto, é visto com bons olhos por Zezé. “Quando reli ‘Elizeth, Uma Vida’, li bem mais atenta. Fiquei impressionada com certos pontos e coincidências entre a gente: o mesmo signo, time de futebol e até mesmo o sabonete que ela usava (risos)”, lembrou a cantora. “A Elizeth era muito vaidosa e namoradeira, vivia apaixonada, além de ser uma mãezona”, completou.

Carreira

Com extensa trajetória pelos palcos do Brasil, Zezé é conhecida também pelo seu trabalho como atriz - são mais de 70 projetos, divididos entre a TV e o cinema. A cantora, entretanto, não esconde a sua preferência pela música. “Sinto-me entre a cruz e a caldeirinha toda vez que me perguntam isso (risos), pois adoro representar e cantar. Mas, se me encostassem na parede, escolheria a música”, entregou.

De acordo com ela, ainda, há uma troca bastante produtiva entre as duas profissões. “Em meus trabalhos musicais, levo muito meu lado atriz comigo. Estou sempre procurando nas canções seus personagens e dou uma interpretação a eles. Tem tudo a ver as duas artes, ser atriz me ajuda bastante nessas horas”, explicou.

O show ‘Divina Saudade’ está agendado para começar às 21h e seus ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria do teatro, pelos valores de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada). Para mais informações: (92) 3342-8030.

Tracklist

Divina Saudade


1 - Canção De Amor
2 - Conso
3 - Chega De Saudade
4 - A Noite De Saudade
5 - Prece/Feitio De Oração
6 - Noites Cariocas/Lamento
7 - Estrada Branca
8 - Molambo
9 - Barracão/Samba Triste
10 - Momentos/Tudo É Magnífico
11 - O Amor E A Rosa/Tristeza

Serviço

o que é: show “Divina Saudade” com Zezé Motta

quando: dias 2 e 3 de agosto, a partir das 21h

onde: Teatro Direcional - Manauara Shopping, piso Buriti

ingressos: R$ 40 (meia-entrada) e R$ 80 (inteira)

informações: (92) 3342-8030

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.