Publicidade
Especial
Especiais

Boi de promessa: Garantido nasceu da teimosia de Lindolfo Monteverde

‘Eu me garanto’, essa foi a frase que Lindolfo lançou há cem anos. Desafio continua a ser enfrentado até hoje com muita raça e amor 24/06/2013 às 10:19
Show 1
Maria do Carmo e João Batista, filhos do fundador Lindolfo Monteverde, continuam defendendo o boi Garantido
LÚCIO PINHEIRO ---

“Adeus que eu já vou embora. Não me despeço de ninguém para ninguém me perguntar: cabra bom quando tu vens?”. Esse foi o verso que Lindolfo Monteverde escolheu para se despedir da filha Maria do Carmo, no leito de morte, e ao mesmo tempo da metade vermelha e branca da ilha de Parintins, que, graças a ele, há um século tem um boi para chamar de seu: o Boi Garantido. A história desse boi centenário começa em 1913, com a teimosia de Lindolfo, menino de 11anos. Impressionado comas manifestações folclóricas dos nordestinos residentes na periferia de Parintins, principalmente as apresentações do Bumba Meu Boi, ele insistiu para que a família o ajudasse a levar para a rua a brincadeira que mais o divertia no terreiro de casa, na Baixa do São José. O menino queria ser dono de um boi e exibi-lo na rua.

Promessa

“Ele queria brincar de boi. Os avós perceberam a vontade dele, a criatividade que ele tinha, e o ajudaram. Minha avó dizia que ele só falava nisso”, conta Maria do Carmo Monteverde, de 75 anos. A brincadeira, que o Escritor Dé Monteverde, neto de Lindolfo menino começou com um boi forjado em Curuatá (casca que envolve o cacho dos frutos da palmeira inajá), já era mais do que sólida apenas pela paixão de Lindolfo pela arte. Mas se fortaleceu de vez na promessa que ele fez a São João Batista.

Debilitado pela malária, Lindolfo, já adolescente, prometeu ao santo que enquanto fosse vivo não deixaria de colocar o boi na rua. A saúde veio, e o Boi Garantido,há cem anos, não falha. Mestre Lindolfo, como ficou conhecido, viveu até os 77anos, 66 deles dedicados ao boi do povão. João Batista Monteverde, de 71 anos, que herdou do pai o posto de Amo do Boi (onde ficou por32 anos), diz que muitos bumbás e brincadeiras desapareciam de Parintins após a morte de seus inventores. Com o Garantido foi diferente: “O fator principal foi a criatividade do boi. E meu pai era um homem festeiro, isso chamava a atenção do povo daquele tempo. Tem ainda a obediência às datas. Todo ano, a pessoa chegava naquele dia e ia encontrar a festa”.

Longe de qualquer posto relevante dentro do Boi Garantido, Maria e João, os únicos filhos vivos de Lindolfo, expressam o amor pela criação do pai deles ajudando, todos os anos, o boi do povão a se apresentar no Bumbódromo, seja na batucada, seja empurrando uma alegoria na arena.

Birra de menino fez história

Foi do diálogo que teve com a mãe, na insistência de levar a brincadeira do boi bumbá para a rua que Lindolfo Monteverde batizou seu boi de Garantido.

Na teimosia do menino em ter um boi, a mãe dele (Alexandrina), sabendo das responsabilidades que envolvia fazer a brincadeira na rua, questionou ele: “Acho que você não se garante, Lindolfo”. E ele retrucou: “Eu me garanto”. “Ele foi essa pessoa abençoada para levar o boi do nordeste, que era muito limitado, a se expandir para o que é hoje o boi de Parintins”,afirma o professor e escritor Dé Monteverde, 42,neto de Lindolfo.

Dé é coordenador de Figura Típica Regional do Boi Garantido, um dos itens avaliados na apresentação dos bumbás de Parintins. Ele também tem se dedicado nos últimos anos a registrar em livros a história da família Monteverde e do boi vermelho e branco.

“O boi Garantido, a brincadeira de boi, cresceu, tomou essa proporção pela ousadia de meu avô. E as gerações seguintes entenderam isso e expandiram a brincadeira”, comenta Dé.

Três perguntas para Fred Goes – Comissão de Arte do Garantido

1º Como Lindolfo Monteverde teve contato com a brincadeira de boi?

No período áureo da Borracha, quando vieram 500mil nordestino para a Amazônia. Nessa leva, parte veio para Parintins.

2º Qual a contribuição do Lindolfo para o boi de Parintins?

O formato que o boi tem hoje veio muito das ideias do Lindolfo. E há de se ressaltar o fato dele ser um caboclo, que superou preconceitos com a arte.

3º Quais preconceitos, por exemplo?

No período dele, brincadeira de boi era coisa de preto, pobre e vagabundo. Isso no Brasil inteiro. O centenário consagra essa ‘virada’.

Publicidade
Publicidade