Sábado, 14 de Dezembro de 2019
Especiais

Gargalos e confusão nas ruas de Manaus

Intervenções não vêm sendo suficientes para dar fluidez ao sistema viário da cidade



1.jpg Problemas do trânsito caótico parece estar longe de ser equacionado na cidade
19/04/2012 às 09:40

Problema do trânsito caótico parece estar longe de ser equacionado na cidade Apesar das intervenções no sistema viário da cidade, como construções de viadutos e passagens de níveis nos últimos anos, Manaus continua com gargalos e falta de fluidez no trânsito. Horários de pico são sinônimos de retenção, perda de tempo, estresse, e soluções definitivas e eficazes, e o “choque de ordem” parece estar longe de serem encontrado pelas autoridades. Semáforos descoordenados ou apagados, falta de estacionamento, ausência de radares, ocupação de calçadas e a falta de preparação de agentes de trânsito ajudam aumentar a lista do trânsito caótico na cidade. “Eu achava que, com as intervenções que foram realizadas, conseguiria fazer o trajeto em 30 minutos, mas passei mais de uma hora e perdi meu horário de aula”, disse o professor Cláudio Melo, 40, morador do bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, que se desloca todos os dias à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizada na Zona Sul.

Frota



Com uma frota estimada em 542,6 mil veículos, a cidade fica praticamente paralisada nos horários de rush, provocando a intervenção dos manauenses na organização do caótico trânsito. “Eu defendo a ideia de que a avenida Djalma Batista seja mão única, com ou sem meio fio. Mas os semáforos que estão depois da passagem de nível da avenida Darcy Vargas teriam de estar coordenados”, disse o mototaxista Valdemir Ribeiro, um dos que sente na pele, diariamente, os problemas viários.

As faixas de pedestres da cidade, realçadas com a cor vermelha, foram inspiradas no sistema de faixas utilizados em Miami (EUA). Mas, na cidade do “Tio Sam” foram implantados dois semáforos, destinados a motoristas e pedestres. Em Manaus é bem diferente, com o pedestre tendo que sinalizar com a mão para atravessar a via, seguindo as orientações da campanha “Tô na Faixa”. Hoje, muita dessas faixas estão praticamente apagadas. Para o especialista em Planejamento de Transporte, Geraldo Alves de Souza, o problema vai continuar existindo. “Não há projetos pensados para o futuro, e sim eleitoreiros, que tentam passar uma ideia de organização nas vias”, afirmou ele, preocupado com a situação.

Em números
542,6 mil
É a frota estimada de veículos da cidade de Manaus a cidade fica praticamente paralisada nos horários de rush, provocando a intervenção dos manauenses na organização do trânsito e a conseguente dor de cabeça dos usuários do sistema.
R$ 56,3 Milhões
Custou o viaduto da Bola do São José, que fica localizado no bairro de mesmo nome, na Zona Leste. A obra, inaugurada em março deste ano, foi erguida em 17 meses após um atraso de seis meses.

Veja o debate completo na edição especial do Jornal A Crítica desta quarta-feira.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.